"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
21/05/2020
“Eu, um ex-maçom que retornou à fé, explicarei por que a Igreja e a loja são incompatíveis. E como a Maçonaria afeta a política "
 

“Eu, um ex-maçom que retornou à fé, explicarei por que a Igreja e a loja são incompatíveis. E como a Maçonaria afeta a política "

20-05-2020

https://blog.comshalom.org/carmadelio/wp-content/uploads/sites/2/2015/05/Serge-Abad-Gallardo.png

Publicado em: Blog de Aldo Maria Valli

"Não entendi imediatamente o que havia acontecido comigo, mas senti que Deus havia entrado na minha vida e que tudo em mim estava prestes a mudar para sempre".

Serge Abad Gallardo, ex-alto funcionário do governo francês e venerável mestre maçom, fala assim de sua conversão religiosa.

Tendo se tornado um maçom quando jovem, com a convicção de ser capaz de ajudar a tornar o mundo um lugar melhor, vinte e quatro anos depois Gallardo entendeu que havia servido à causa errada e, acima de tudo, ao mestre errado.

A despedida da ordem maçônica Le Droit Humain ocorreu em 2012, depois de rezar no santuário de Nossa Senhora de Lourdes. Desde então, Gallardo dedicou toda sua energia a compartilhar sua longa experiência na Maçonaria, informando as pessoas, com conferências regulares por toda a França, sobre os mecanismos e os perigos potenciais da atividade maçônica.

Para ajudar a espalhar sua mensagem, ele também escreveu vários livros, incluindo Je servais Lucifer sans le savoir e La Franc-maçonnerie démasquée. Seu último trabalho, Secret maçonnique ou verité catholique, lança luz sobre a dimensão problemática do sigilo na Maçonaria, em particular no que diz respeito às conseqüências para a sociedade e a democracia.

“O primeiro passo para a minha conversão - diz Gallardo - ocorreu em frente a uma estátua de Santa Teresa de Lisieux na Catedral de Narbonne. Meu filho estava com problemas e eu estava passando por um momento difícil. Um dia, decidi ir à catedral, bem ao lado do meu escritório, para orar. Pouco depois, disse a minha esposa que seria bom ir a Lourdes orar um pouco por mim e meu filho. Naquele momento, eu não tinha a confiança que tinha agora, mas um pequeno raio já estava subindo em mim quando decidi ir a Lourdes. Lá, fui à caverna e pela primeira vez recitei um rosário inteiro. No final da oração, quando me levantei, minhas pernas cederam e me senti paralisado. Vi uma luz intensa saindo da estátua da Virgem Maria. Algumas pessoas ao meu redor tentaram me ajudar a ficar de pé, mas minhas pernas ficaram paralisadas por vários minutos. Não disse nada à minha esposa porque queria fazer alguns exames médicos primeiro. Resultado: eu não tinha nada. Para garantir que eu não tivesse algum tipo de ilusão mística, também fui a um psiquiatra e ele certificou que eu estava completamente sã. Foi assim que minha verdadeira vida de fé começou ".

Gallardo continua: "Ouvi um padre dizer que, às vezes, Deus deixa Satanás agir para que tentações e ações demoníacas possam contribuir para a salvação do homem. Não saí imediatamente da Maçonaria, mas fiz isso progressivamente. Sentindo que esse mundo não estava em sintonia com a minha fé, parei de participar das reuniões maçônicas e conversei com alguns padres que confirmaram a incompatibilidade entre a fé católica e a adesão à Maçonaria. Abandonei definitivamente a loja maçônica cerca de um ano após meu retorno à fé ".

Obviamente quem faz essa escolha paga um preço. “Quando encontro meus antigos companheiros maçons na rua - diz Gallardo - muitos deles me dão as costas e nem me cumprimentam. Apenas alguns entenderam minha mudança e a respeitam. Quando você é maçom, os problemas administrativos podem ser resolvidos com muita facilidade, pois os maçons estão presentes em todas as administrações públicas. Você sempre tem uma saída. Mas uma vez que você deixa a Maçonaria, você perde tudo e eles podem tornar ainda mais difícil para você ".

Quando perguntado se seu testemunho, contido em livros e palestras, ajudou outras pessoas a abrir os olhos, Gallardo responde: “Sim, ajudou muitas pessoas. Um dia, conheci um lojista que não conhecia ser um maçom, porque ele pertencia a uma obediência diferente da minha. Ele reconheceu e me acusou de escrever livros contra a Maçonaria. No final, ele confessou ser católico e maçom, acreditando que não há incompatibilidade. Ele então me disse que um oficial sênior de sua loja renunciou após ler um dos meus livros. Por ser católico, percebeu que estava cometendo um pecado grave. Inúmeros ex-maçons me escreveram para compartilhar seus testemunhos. Não posso mudar o mundo, mas posso abrir algumas consciências. "

Depois de deixar a Maçonaria, Gallardo foi demitido da administração pública por "desempenho insatisfatório". Nos trinta e cinco anos anteriores, ele sempre recebera grandes elogios dos supervisores. Hoje ele está desempregado e espera se aposentar em breve.

“É uma situação que aceitei muito bem. Escrevo e oro para a glória do Senhor, para ajudar todos, especialmente os cristãos, a evitar a armadilha da maçonaria. "

Voltando no tempo, Gallardo lembra: "Eu tinha trinta anos, procurando respostas sobre o sentido da vida, e eu tinha um alto status social. Para a Maçonaria, o candidato perfeito." Por vinte e quatro anos funcionou, mas se um, de uma forma ou de outra, mantém aberta a porta da fé católica, o conflito inevitavelmente surgirá. "Não podemos acreditar que Deus se fez carne, que Cristo é o Filho de Deus e morreu na cruz para nos salvar, e ao mesmo tempo considerar, como os maçons acreditam, que Deus é algo abstrato, uma força indefinida chamada o grande arquiteto do Universo, semelhante a  uma força cósmica. Essas duas coisas são muito diferentes para serem compatíveis. Alguns maçons dizem acreditar no Deus cristão e acham que é compatível com sua atividade maçônica, mas é um grave erro teológico."

O segundo fator de incompatibilidade é dado pelo fato de que “não se pode buscar a verdade através do esoterismo, recorrendo a rituais e processos mágicos, a alguns elementos cósmicos que não são necessariamente divinos e, ao mesmo tempo, confiar-se a Deus para caminhar em direção a Verdade. Esses dois caminhos são completamente incompatíveis e opostos ”.

Gallardo relata que nunca viu um padre católico em sua loja, mas já ouviu falar de alguns casos de padres maçons: "Não posso testemunhar pessoalmente, mas é muito provável que haja representantes da Igreja Católica que pertencem à Maçonaria. O historiador espanhol Alberto Bárcena dedicou um livro a esse tema em 2016."

Em livros e conferências, citando trechos de rituais de iniciação maçônica, Gallardo frequentemente menciona frases estranhamente semelhantes a alguns versículos bíblicos. Por que esse uso das escrituras sagradas pelos maçons?

"Há definitivamente uma apropriação indevida. O rito escocês da Maçonaria, o mais antigo e mais praticado do mundo, originalmente se referia à Bíblia em rituais de alto nível, a fim de colocar uma máscara em suas atividades e tranquilizar as autoridades civis e eclesiásticas. A presença de passagens bíblicas também é uma das razões pelas quais muitos cristãos são capturados, porque se diz que na Maçonaria as pessoas juram sobre a Bíblia e estudam o Evangelho de São João. Mas isso é um engano.

Mas por que, em determinado momento, Gallardo pensou que havia se colocado a serviço de Satanás, como diz o título de um de seus livros?

“Um dia, quando eu fazia parte da loja Le Droit Humain, ouvi um ritual de primeiro grau que nunca tinha ouvido antes e que presta homenagem a Lúcifer. Também faz parte do rito escocês antigo e aceito. Ouvi o venerável mestre dizer: 'Devemos agradecer a Lúcifer por trazer luz aos homens'. A Maçonaria acredita que as religiões, e em particular o Catolicismo, obscurecem a verdade para os crentes e a guardam para si, enquanto a Maçonaria forneceria as chaves da interpretação, para que as pessoas possam se libertar completamente. Nos meus dois últimos livros, cito trechos de um documento acessível apenas a membros de alto nível, e não a membros novos. Foi extraído de Paroles Plurielles - uma publicação da ordem maçônica à qual eu pertencia - na qual há um texto que elogia a transgressão e aquele que a permite: Lúcifer. Vale a pena notar que os maçons geralmente mencionam Lúcifer em vez de Satanás. "

Mas os maçons podem realmente deixar a loja ou estão presos para sempre?

“Oficialmente, do ponto de vista administrativo, você é livre para sair com facilidade. Embora não seja frequente, não é tão raro um maçom abandonar. Você apenas precisa enviar uma carta ao venerável mestre. Eles dizem que você ainda pertencerá à maçonaria para sempre, mas esse não é o caso. Na encíclica Humanum Genus, de 1884, o Papa Leão XIII lembra que um maçom que volta à Igreja como católico arrependido é libertado de qualquer voto maçônico. Está muito claro. "

“É importante para mim lembrar - diz Gallardo - que não tenho nada contra os maçons como pessoas. Muitos deles não têm consciência do aspecto luciferiano, do tipo de doutrinação e do pensamento único que caracteriza a doutrina maçônica. Algumas são pessoas realmente boas, convencidas de que trabalham para o bem da humanidade e tentam melhorar a si mesmas com grande honestidade intelectual. No entanto, oponho-me fortemente à aura de segredo e mistério que envolve a maçonaria. Acho que as pessoas devem saber exatamente no que estão se metendo. "

Mas a Maçonaria realmente tem a capacidade de prejudicar a sociedade e a vida política? Os maçons estão realmente na origem de leis sociais, como aquelas sobre aborto ou "casamento" entre pessoas do mesmo sexo, como é frequentemente suspeito, ou declarações semelhantes fazem parte das teorias da conspiração tão esotéricas quanto as idéias dos próprios maçons?

“Não é absolutamente uma teoria da conspiração afirmar que a Maçonaria detém forte poder político sobre a sociedade. Há evidências sólidas. Na França, por exemplo, a lei que autorizou a pílula contraceptiva (1967) começou com Lucien Neuwirth, que era maçom. A lei do aborto francesa (1975) foi promovida por Simone Veil. Não sei se ela era maçom, mas estava abertamente próxima dos ideais maçônicos. O primeiro político a tentar introduzir a legalização da eutanásia em 1978 na França foi um maçom, senador Henri Caillavet. Da mesma forma, a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo (2013) foi promovida pela política francesa Christiane Taubira, que eu conheci na Guiana - onde trabalhei por alguns anos - e que é maçom ".

“No meu livro, forneço alguns números. Os maçons representam cerca de 0,03% da população francesa e, no entanto, 35% dos deputados e senadores franceses são maçons. Tornar-se deputado ou senador é cento e vinte vezes mais provável para um maçom do que para alguém que não é. Depois, há a chamada Fraternelle parlementaire, uma organização informal que reúne funcionários eleitos nos mais altos níveis políticos. Eles vêm de todas as obediências maçônicas, incluindo algumas que não são necessariamente aliadas, esquerda e direita. O ex-presidente da associação, Bernard Saugey (senador maçom dos republicanos, partido político de centro-direita) disse uma vez: "Se eu fizer meu trabalho bem, os parlamentares de esquerda e direita votarão juntos em questões sociais". E agora temos novas evidências, com a lei de reprodução assistida por médico recentemente aprovada pelo Senado. Uma solução para essa séria ameaça à democracia seria abolir o sigilo e forçar os políticos a declarar publicamente que são maçons. Pelo menos os cidadãos saberiam claramente em quem estão votando ".

A.M.V.

Fonte: National Catholic Register – Via: https://www.aldomariavalli.it/2020/05/19/io-ex-massone-tornato-alla-fede-vi-spiego-perche-chiesa-e-loggia-sono-incompatibili-e-come-la-massoneria-condiziona-la-politica/

 

 

 


 

 
 
 

Artigo Visto: 389 - Impresso: 5 - Enviado: 2

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 4.296.086 - Visitas Únicas Hoje: 234 Usuários Online: 100