"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
30/05/2020
Vídeo - Católica convertida ao Islã ante o silêncio de Francisco para não prejudicar diálogo interreligioso
 

Vídeo - Católica convertida ao Islã ante o silêncio de Francisco para não prejudicar diálogo interreligioso

29 de mai. de 2020

DESDE A ESPANHA - Helga Maria Saboia Bezerra

Assista este vídeo diretamente no canal da Helga pelo YouTube clicando no link do vídeo


O Church Militant publicou este 29 de Março um artigo intitulado "Pope Silent on Captive Italian’s Proselytism", no qual conta a história de Silvia Romano, a jovem italiana de 24 anos que esteve 18 meses em cativeiro, capturada que havia sido por um grupo terrorista muçulmano enquanto trabalhava como cooperadora em um orfanato no Quênia. Apesar do enorme clamor público desatado pela notícia de que Silvia Romano, recém liberada e de volta na Itália, se havia convertido ao Islã, Francisco manteve, até agora, um silêncio sepulcral que aponta para o fato de que não deseja prejudicar o "diálogo interreligioso" que mantém com o mundo árabe.

Seria injusto omitir o fato de que o diálogo interreligioso também esteve presente, e muito presente, nos papados de Bento VI e de João Paulo II, pois está fundado no Concílio Vaticano II. A Declaração "Nostra aetate" (em latim: Nosso tempo) constitui um dos principais documentos do Concílio Vaticano II. Foi uma das três declarações do Vaticano II, os outros documentos consistindo em nove decretos e quatro constituições. O mais curto dos documentos, contém poucas, se é que há alguma, referências aos debates e à justificativa que entrou em sua elaboração; portanto, as mudanças a serem provocadas pela "Nostra aetate", carregavam implicações ainda não totalmente apreciadas na época e que continuam sem ser apreciadas pela maioria dos Católicos dos dias atuais. Trata sobre as relações da Igreja Católica com as religiões não-Cristãs. Foi aprovada por 2221 votos contra 88, no dia 28 de Outubro de 1965. Estableceu novas bases nas relações dos Católicos com os judeus, os muçulmanos, os budistas, os hindus e demais crentes de outras religiões não Cristãs como os Jainistas. Representou uma quebra na Tradição bimilenar da Igreja Católica e está na raiz da abominação do Sínodo da Amazônia.

 
 
 

Artigo Visto: 189 - Impresso: 1 - Enviado: 1

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 4.183.944 - Visitas Únicas Hoje: 228 Usuários Online: 111