"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
22/02/2021
Laus, as aparições mais longas da história
 

Laus, as aparições mais longas da história

22-02-2021

"A Madona de Laus" (Ed. Sugarco, 2021), do Padre Serafino Tognetti, é um livro resultante da descoberta de uma substancial documentação em francês sobre as aparições marianas que educou, para instruir todos os crentes, a vidente Benedetta (Benoîte) Rencurel que nos mostra como nos tornar santos.

por Marco Lepore

“É um dos tesouros mais escondidos e poderosos da história da Europa ”, argumentou Jean Guitton . É, portanto, estranho que o que aconteceu em Laus, França, a partir de 1664, seja tão pouco conhecido. No entanto, é uma das poucas aparições oficialmente reconhecidas pela Igreja: apenas 15, enquanto mais de 250 ainda estão sendo estudadas; além disso, foram as aparições mais longas da história, pois duraram 54 anos consecutivos!

Todos conhecem as aparições da Virgem Maria em Lourdes, Fátima, La Salette, Guadalupe etc., para citar apenas algumas das mais famosas, enquanto as de Laus caíram misteriosamente no esquecimento pela maioria, apesar de ser uma bela história, envolvente, comovente, absolutamente edificante, um vislumbre do céu que seria uma pena não poder contemplar.

Devemos, pois, uma gratidão infinita ao Padre Serafino Tognetti, que escreveu e publicou o livro "La Madonna di Laus" (Ed. Sugarco, 2021), fruto da descoberta in loco de uma substancial documentação em francês, também constituída de manuscritos escritos, durante a vida do vidente, por pessoas que foram testemunhas oculares da história e, de várias maneiras, envolvidas nela.

O livro narra, em grande detalhe, a “incrível” aventura de Benedetta (Benoîte) Rencurel. Um texto que pode ser lido de uma vez (ainda que na verdade deva ser saboreado e meditado lentamente) porque é escrito com a simplicidade e verve estilística que caracterizam a modalidade de comunicação típica do Padre Serafino Tognetti, filho espiritual de um grande místico como Divo Barsotti, mas capaz, como poucos, de “traduzir” de maneira compreensível, e muitas vezes com grande simpatia, o pensamento e os profundos ensinamentos deste.

É verdade que em Laus nenhuma mensagem foi dada para toda a humanidade, não houve profecias e fenômenos marcantes como o sol girando em Fátima ou a imagem milagrosa do manto em Guadalupe, e talvez por esta razão as aparições não "à história ”, Ainda que eventos igualmente extraordinários ocorram em termos de escopo e número, como pode ser descoberto lendo o livro.

O aspecto mais relevante, porém, além de extremamente atual e interessante para nós hoje, é que Nossa Senhora, aparecendo por 54 anos consecutivos à mesma pessoa, a humilde e ignorante pastora Benedetta Rencurel (que era analfabeta e assim permaneceu por toda a vida), fez-nos conhecer “viver”, passo a passo, a sua maravilhosa pedagogia, moldando esta simples criatura para se tornar um cristão perfeito. Isso é um santo. “A verdadeira obra de Maria Santíssima em Laus foi a formação espiritual de Benedita, para que ficasse claro a todos, então, o que deve ser feito e como viver para estar sempre na graça de Deus e ser santificado na graça ”(p.89).

Do mesmo modo, através dos ensinamentos simples, maternais, ternos mas infalíveis de Nossa Senhora, também é possível a cada uma de nós trilhar o caminho da santidade com confiança. Maria Porta do Céu, Mãe do Bom Conselho, Refúgio dos pecadores ... É por isso que as aparições de Laus devem ser absolutamente conhecidas.

Uma vida, a de Benedita, vivida - pode-se dizer - "lado a lado" com a Santíssima Virgem, talvez já várias vezes encontrada quando ainda menina, mas que se apresentou de forma mais explícita quando ainda não tinha dezessete anos. A partir daquele momento, a doce presença de Maria nunca mais falharia, acompanhando-a no seu caminho e conduzindo-a à santidade até à sua morte, que aconteceu aos setenta e um anos.

Deve-se dizer também que além das aparições marianas, Benedetta também viu anjos (com seu anjo da guarda, então, ela teve contato constante), vários santos e viveu experiências místicas particulares. Entre 1669 e 1684, ela teve uma visão de Cristo crucificado quatro vezes, que falou com ela da cruz colocada na estrada para Avançon, uma cidade não muito longe de Laus. Em comunhão com Ele, ela experimentou uma crucificação mística "toda sexta-feira" por vários anos. Ele também teve que sofrer frequentes ataques espirituais e físicos do diabo, furioso pelo grande número de almas que se converteram em peregrinação àquele lugar.

Benedetta, de fato, tinha recebido o dom de ler os corações e de discernir os espíritos: «A pastora conhecia perfeitamente as almas dos visitantes e conhecia-as melhor do que elas próprias, tanto que muitas vezes era ela quem lembrava aos pecadores os episódios que eles tinha esquecido ”(p.104). Longe de ser motivo de constrangimento, precisamente por isso mais e mais pessoas se dirigem a ela, sendo ajudadas a retomar seriamente o caminho de conversão, antes de tudo graças a uma confissão sacramental bem feita e, depois, aproximando-se da Eucaristia.

Uma característica particular das aparições de Laus é que a Igreja local, ao realizar as investigações necessárias e detalhadas que nunca faltam nestes casos, foi praticamente forçada a reconhecer a credibilidade do que estava acontecendo desde muito cedo. Não demorou, pois, a colocar à disposição dois padres para organizar a recepção dos peregrinos cada vez mais numerosos, que logo se tornaram como um rio impetuoso e imparável, certamente atraídos pela notícia das aparições, mas igualmente pela possibilidade de encontrar Benedita.

Aqui está a mensagem de Laus:“A própria vidente, sua vida. Ela se tornou uma penitente, uma mística, uma mestra de ascetismo, ensinando aos outros o segredo da santidade ”. O doce perfume que caracterizou as aparições desde os seus primórdios e que se espalhou por todo o lado - um perfume que ainda hoje os peregrinos às vezes têm oportunidade de cheirar em Laus - nada mais é do que o perfume da santidade (sobretudo de Maria) a que todos somos. chamado. Ainda hoje, na verdade hoje mais do que nunca ... E é por isso que, provavelmente, após três séculos de silêncio, Laus reaparece repentinamente em sua visibilidade em 2008, quando as aparições são oficialmente reconhecidas pela Igreja. “Com um salto acrobático de trezentos anos, Laus se lança ao presente e se coloca diante de nós, com um apelo urgente. O que isso significa para nós? Que as coisas que antes eram tidas como certas não o são mais." (P.199)

Mas há também outro aspecto, que vale para todos os tempos, como explica o autor na apresentação do livro: “A mensagem é para hoje e para hoje, porque em Deus há contemporaneidade. A história, escreve Léon Bloy, é o desenrolar de um enredo de eternidade sob olhos temporais e transitórios. Estamos sempre no século XV, como no século X, como no momento central da imolação do Calvário, como antes da vinda de Cristo. Os eventos se desenrolam diante de nossos olhos como uma grande imagem. Somente nossa visão é subsequente. Nossa Senhora de Laus fala-nos, especialmente hoje ”. Vamos tentar escutar.

Fonte: https://lanuovabq.it/it/laus-le-apparizioni-piu-lunghe-della-storia

 
 
 

Artigo Visto: 219 - Impresso: 4 - Enviado: 0

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 4.525.046 - Visitas Únicas Hoje: 1.133 Usuários Online: 222