"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
22/02/2021
Bergoglio se parece cada vez mais com Nero
 

Bergoglio se parece cada vez mais com Nero

21 de fevereiro de 2021

CARDEAL ROBERT SARAH: “VOCÊS NÃO SÃO TRADICIONALISTAS. VOCÊS SÃO CATÓLICOS!

Caro Tosatti, a partir de hoje o Cardeal Robert Sarah é um homem livre, um sacerdote livre e certamente mais sereno.

Bergoglio deve pensar que o puniu, quando na verdade o libertou.

Ontem, com a notícia de sua renúncia, pensei pela primeira vez no alívio que este santo homem deve ter sentido quando não foi mais forçado a viver uma unidade de vida impossível (como prefeito do Culto Divino) sob o mandato de Bergoglio.

Pensei no alívio que o cardeal Sarah deve ter sentido por não ter de aceitar o compromisso entre sua responsabilidade pessoal e a de um membro de uma Prelazia, que ele não queria implicar indiretamente com comportamentos que não eram do agrado do Papa.

Pensei no alívio que deve ter sentido ao deixar de ser obrigado a elogiar publicamente o Papa ou observar as suas indicações de que não partilha (pense na ladainha dos emigrantes ou no milagre da transferência da Santa Casa de Loreto).

Pensei no alívio que ele deve ter sentido por não ser mais forçado a conciliar seu senso de responsabilidade para com Deus e sua obediência forçada aos humores e disposições de um "Nero" do catolicismo.

A renúncia do cardeal Sarah me fez pensar justamente em Sêneca e Nero, sabe-se lá por quê. Sêneca foi um filósofo estóico romano, muito poderoso sob Nero até que o agradou; quando ele parou, ele foi induzido a cometer suicídio (AD 65).

Nero ateou fogo em Roma, Bergoglio ateou fogo na Igreja Romana.

Sêneca, que explicou os erros de Nero, foi levado ao suicídio. Sarah, culpado apenas de ter manifestado a Verdade, foi demitido.

Tanto Nero quanto Bergoglio condenaram as intenções de seus conselheiros, simplesmente porque estavam falando a verdade.

O blog bergogliano - Faro de Roma - escreve que o Papa foi forçado a fazer Sarah renunciar devido às demasiadas provocações que este fez, bem como em vista de um futuro conclave.

Ele explica que o Papa Bergoglio não tolerou que Sarah defendesse uma suposta “verdadeira catolicidade” que não a sua.

Não tolerou que muitas vezes fosse ver Bento XVI para chorar com ele a respeito da Igreja.

Ele não tolerava escrever livros, dar entrevistas e buscar notoriedade na opinião pública.

O Papa o teria advertido publicamente, admoestado, repreendido e até corrigido com uma carta. O Papa, especialmente, não tolerou seu livro sobre o celibato dos padres, escrito com Bento XVI quando  "Querida Amazônia " estava em andamento. (De acordo com o Farol de Roma) “Sara mostrou que não entende a situação e que pouco se importa com a unidade da Igreja”.

Sarah entendeu perfeitamente a situação e rezou incessantemente pela unidade da Igreja posta à prova pelo atual pontífice.

Eu sei.

Mons ICS

Fonte: https://www.marcotosatti.com/2021/02/21/monsenor-ics-y-el-cardenal-sarah-el-papa-bergoglio-cada-vez-mas-parecido-a-neron/

 
 
 

Artigo Visto: 203 - Impresso: 0 - Enviado: 0

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 4.525.026 - Visitas Únicas Hoje: 1.113 Usuários Online: 236