"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 
Você está em: Principal / Artigos / BISPO APÓSTATA




 
 
23/08/2014
BISPO APÓSTATA
 


      BISPO APÓSTATA

22/8/2014

https://josephmaryam.files.wordpress.com/2014/08/falsoecumenismo.jpg

No artigo que segue, o mesmo autor de outros textos extrai algumas declarações de Francisco em sua viagem à Coréia do Sul, e sobre elas aplica a Verdadeira Doutrina de Cristo. Ele tem palavras muito duras, as quais, quem sabe eu – ainda agora – não usaria, embora que elas falem por si só. O que já tenho arquivado é estarrecedor e nem cabem nelas. As frases pinçadas das declarações do Bispo de Roma estarão no texto “desta forma”...

      DESDE A CORÉIA O ÓDIO DA FÉ DE UM MAÇON

Por  josephmaryam | 19 agosto, 2014 en 7:17 PM | URL:http://josephmaryam.wordpress.com/

      1 – Bergóglio anuncia a sua renúncia!

      Estamos presenciando o declínio de um homem, que subiu ao poder da Igreja, sustentado por seu orgulho: trata-se de um Bispo apóstata da fé, um herege manifesto desde sempre, que fez do seu ministério um negócio político, econômico e cultural.

      Vejam: Ninguém sabe o tempo de duração de sua vida! Mas ele disse: “Eu não sei se durarei um ano, dois ou três anos”! Mais: Ninguém sabe se vai se salvar ou se perder! “E logo irei para a casa do Pai”. Estas duas frases indicam que a maçonaria que o elegeu já antes do Conclave, como o homem que deveria usurpar o Trono, já pôs em seu governo um termo para a mudança do poder.  Ele deverá deixar seu orgulho, o que o tem mantido na Cadeira, para que venha outro e siga destruindo a base, nada de passatempos ou entretenimentos, nem palhaçadas, e sim um golpe certeiro no Dogma e na Tradição da Igreja. E esta mudança não é para daqui a dois ou três anos, e sim está muito próxima e virá do dia para a noite.

      2 – Ele fracassou para o mundo!

      Um homem que não consegue ver seu pecado: “A oração pela paz não foi absolutamente nenhum fracasso”! Sim foi um grande fracasso para os homens porque se trata de um grande pecado ante a face de Deus: “Este encontro não se deve a uma conjuntura, e sim se trata de um passo fundamental da atitude humana, uma oração”. A oração não é uma atitude humana e sim uma obra divina nas almas. E para esta obra só uma coisa é necessária: que o homem abra o seu coração para Deus! E isso só pode acontecer quando o homem se livra do humano diante de si. Onde está somente o homem, não estará Deus! Onde os homens se reúnem para pronunciar palavras humanas, ali não existe oração a Deus.

      Porque rezar é pronunciar as palavras do Filho, com o Espírito de Deus, para obrar na vontade do Pai. Então, nesta conjuntura, nesta reunião de mentes humanas do Vaticano, ninguém acredita naquilo que Deus revelou aos homens. Todos buscam a linguagem da paz! Grande fracasso é o deste governo cego para a Verdade. A via para a paz foi cerrada por causa do pecado de Francisco, nesta oração demoníaca.  É tudo o que não se pode ver nem entender este homem: “Porém a porta permanece ali, aberta, desde aquele momento. Creio em Deus, creio no Senhor, esta porta está aberta”.  Ele está mentindo, em sua mente humana, se dando culto a si mesmo.

      3 – Quem é injusto que continue com suas injustiças!

      Um homem que perdeu o juízo: “Nestes caos, quando existe uma agressão injusta, só posso dizer que é lícito deter o agressor injusto. Sublinho o verbo “deter”, mas não digo bombardear, fazer guerra, somente detê-lo! Os meios pelos quais se poderá detê-lo devem ser avaliados”.  Os Estados Unidos estão bombardeando o Iraque! E isso é fazer uma guerra! Por que este homem não cala a sua boca? Por que não aceita que está de acordo em bombardear o Iraque? Por que emprega aqui sua linguagem humana par expor sua ideia: “é lícito deter”? Mas sua resposta é bem clara: “estou disposto a ir ao Iraque”!

      E para que esta viagem? “O verdadeiro Islão em sua adequada interpretação do Corão se apõe a toda a violência”( Eg – 254) Então agora entendemos este “é lícito deter”.  Quer dizer que é urgente ir ao Iraque para ensinar a estes que cortam as cabeças dos cristãos de que a verdadeira interpretação do Alcorão, segundo a sábia mente de Bergóglio, visa conseguir a paz?  Então ele é um instrumento do Alcorão e não dos Evangelhos! O que ele quer com sua linguagem humana é que todos o vejam como o defensor dos marginalizados, dos pobres, dos sem teto e das minorias.  “Em segundo lugar são as minorias. Agradeço por poder usar esta palavra. Porque ela me fala de cristãos, dos que sofrem, dos mártires. E sim, são muitos os mártires. Porém entre eles existem outras minorias religiosas, não são todos cristãos, mas são todos iguais diante de Deus”.

      Então todos os que sofrem são mártires! Todos os que se chamam cristão são mártires! Todos os homens, não importa no que acreditem, são filhos de Deus, são amados por Deus, são iguais frente a Deus! Então pode meter todos no mesmo saco, numa mesma linguagem, num mesmo sentimento, isso para não lhes faltar com a caridade?

      Em sua cegueira sentimental, se pode ver sua loucura: “Deter o agressor injusto é um direito da humanidade, mas também é um direito que tem o agressor de ser detido, para que não pratique o mal”. Esta frase só ele pode entender, porque é um absurdo! “um direito do agressor de ser detido”.  Acaso não diz a Palavra de Deus: Quem é injusto que continue praticando injustiças, que o torpe siga com suas torpezas, que o justo pratique a justiça e que o santo se santifique cada vez mais?(Ap 22, 11).

      Um agressor tem muitos direitos e obrigações, porém nunca de ser detido. O que se tem contra o agressor é o direito que temos de detê-lo! Porque se uma pessoa pratica o mal, o faz por livre vontade! Esta liberdade é o direito que ele elegeu: praticar o mal! E isso é o abc da lógica! Mas Francisco, quando fala, não tem lógica: ele perdeu o juízo! Deter o agressor injusto é um direito de Deus não do homem, porque o mal não está na mão do homem e sim do demônio. E quem poderá atar satanás com palavras humanas de paz? Quem poderá frear suas obras de maldade se tais palavras são apenas um jogo da mente de Satanás? Quem é capaz de parar uma guerra, senão Deus, quando diz ao demônio: basta! O homem não tem direito de deter o mal, e sim de fazer o bem! Somente assim obram os corações que temem a Deus!

      4 – Cala diante das multidões para lhes dizer o politicamente correto.

      É inaceitável que um homem que se faz de sábio incorra em semelhante relativismo moral, igualando as duas Coreias. “Para que se estenda cada vez mais a convicção de que todos os coreanos são irmãos e irmãs, membros de uma única família, de um só povo. Pois falam a mesma língua”. Porém é ainda mais inaceitável querer reconciliar Deus com o demônio, por num mesmo plano as vítimas e os agressores, aos comunistas com os católicos, aos selvagens com os civilizados. “Espero que, em espírito de amizade e de colaboração com outros cristãos, com seguidores de outras religiões e com os homens e mulheres de boa vontade, que se preocupam com o futuro da sociedade coreana, todos sejam fermento do Reino de Deus nesta terra”. Não se pode colaborar com o pecado, nem com homens que vivem o mal, nem com pessoas que não querem acreditar no Evangelho de Jesus Cristo. Não se faz amigos nos países comunistas! Com todo aquele que se apartou da verdade, nem comer, nem sorrir, nem abraçar!

      Coreia do Norte representa o totalitarismo, a miséria, a xepa, a negação da prosperidade, a falta absoluta de liberdades. Por que se por a dialogar com estes homens? Não seriam eles que, primeiramente devem demonstrar que renunciam ao mal e que lutam em suas vidas para fazer o bem? Por que Francisco não lhes disse isso, muito ao contrário se pôs a chorar seu sentimento humano: “rezem para que surjam novas oportunidades de diálogo, de encontro, para se se superem as diferenças, para que, com generosidade constante, se preste assistência humanitária a quantos passam necessidade”.

      Mas por que este homem se mete em questões políticas e sociais, que não lhe competem, que não são de sua área, e que significam ir contra o Magistério dos Papas?  Porque ele os convida a superar as diferenças e não incita os Norte coreanos a acabar com seus pecados? Por que ele não se atreve a ir até a Coreia do Norte, e dizer-lhes a Verdade debaixo de seus narizes? Porque ele mesmo é um comunista, como os que vivem na Coreia do Norte. E está fazendo seu trabalho, sua apologia: a busca de uma Nova Ordem Mundial! E, portanto, não se importa com a Verdade. Vive apenas seu idealismo, seu comunismo.

      5 – Direitos humanos, injustiças sociais, a chave do seu ministério!

      De um homem para os humanos: “Assistir aos pobres é bom e necessário, porém não basta. Eu os animo a multiplicar esforços no âmbito da promoção humana, de modo que todo homem e toda mulher chegue a alegria de viver com dignidade, de ganhar o pão de cada dia, e de sustentar a sua família”. A dignidade de estar com o estômago cheio e de ter uma vida assentada, mas apenas no sentido material, este é o pensamento de um falso pastor, que despreza o alimento espiritual, e que dá para as almas somente um alimento que lhes vai ao gosto, porém não serve nem para salvá-las ou as santificar.

      Este homem, ao qual muitos o chamam de Papa, não é Papa, não é o que parece, porque fala somente de que o homem está “ameaçado pela cultura do dinheiro, o que deixa sem trabalho a muitas pessoas”, porém não fala do pecado do orgulho, da avareza, da usura, que os homens cometem como ofensas a Deus, e em consequência, vivem uma cultura social, vivem numa política onde impera o pecado. E assim cada homem, em particular, não quita os seus pecados, e o pecado permanece nesta cultura, nesta vida social, nesta família, nesta Igreja, porque já não trata as coisas pelo seu verdadeiro nome.

      A fé deste homem é de origem maçônica: “A fecundidade da fé se expressa na prática da solidariedade para com nossos irmãos e irmãs, independentemente de sua cultura ou condição social, já que Cristo não diferencia “nem judeu nem grego””. Na volta da tortilha, ele evoca São Paulo, mas diz o contrário, porque somente lhe interessa citar o nome de Deus de maneira blasfema, pecando contra o segundo mandamento da Lei de Deus: Não tomarás Seu Santo Nome em vão! Não evoques são Paulo para expressar teu laicismo maçônico: temos que ser solidários com todos, sem averiguar seus erros, suas mentiras, suas heresias, seus pecados, porque o homem é bom então tem que tolerar a mente dos outros, porque com eles se aprende muito? A sabedoria humana é o que persegue a este falsário do Evangelho de Jesus Cristo.

      6 – Sal da fé maçônica destrói a Verdade de Deus que se revelou por Jesus Cristo!

      “Sejam guardiães da memória, sejam guardiães da esperança”.  Em sua principal heresia, a memória fundante que ele guarda em sua luz da fé. Guardião da memória, porém não guardar Cristo em seus corações? Se o coração se entrega totalmente a Cristo, então tal coração pertence somente a Cristo. Deste modo o homem não tem que ficar recordando, fazendo um ato para a memória do passado, porque Cristo está vivo em seu coração.

      Mas este homem coloca o homem no centro: “tenho dito que os pobres estão no centro do Evangelho; estão também no princípio e no fim”. Cristo é o Evangelho, não os pobres! Cristo é Alfa e ômega da vida espiritual e não os pobres. Cristo é o Evangelho da Salvação e da santificação das almas! Cristo é a Palavra que dá a vida divina para as almas. Cristo não é uma linguagem bonita e agradável! Cristo não é encher estômagos! Cristo é para dar a Vida Divina ao homem, coisa que ele nunca poderá encontrar em suas culturas, economias e em suas coisas humanas.

      “A solidariedade com os pobres está no centro do Evangelho e é um elemento essencial da vida cristã”. Eis um homem que não fala do verdadeiro amor ao próximo, nem, portanto, dos Sete mandamentos da Lei de Deus que nós temos de cumprir para amar ao próximo, mas que reduz isso a simples solidariedade. Ser solidários, como se esta fosse a coisa mais importante da Doutrina de Cristo. A solidariedade de Cristo para com os homens consistiu em morrer em uma Cruz para quitar os pecados dos homens. Esta virtude de Cristo congrega muitas virtudes, que se não forem vividas, nem praticadas, nos impossibilitam de sermos solidários com a humanidade, como foi Cristo.

      Porém este homem somente se fixa em seu negócio comunista e não na vida do Espírito. E nunca mais estará com Ele, porque tem blasfemado contra o Espírito Santo. Vive agora somente o seu idílio com o demônio: se acredita ser um santo, um sábio, um imaculado e cheio do temor de Deus. Ele é, sem dúvida o mais pobre entre os pobres, porque diz ter Cristo em seu coração. Porém tem o demônio como guia em sua vida de pecados!

      Ao colocar os pobres no centro, cai no panteísmo: “Se aceitamos o fato de sermos uma igreja missionária, uma Igreja constantemente em busca do mundo, em particular das periferias da sociedade contemporânea, temos que desenvolver este “gosto espiritual” que nos torna capazes de acolher e de nos identificar com cada membro do Corpo de Cristo”. Cristo não está nos homens e sim na Eucaristia. Sim, temos que imitar a Cristo! Temos que nos identificar com Cristo! Temos que nos transformar em outro Cristo!

      Ora, este claro panteísmo o leva a proclamar: “Como podemos ser guardiães da esperança sem termos em conta a memória, a sabedoria e a experiência dos anciãos e as aspirações dos jovens?”. Se se guarda a memória humana, então se busca a sabedoria humana de alguns velhos e a inexperiência dos jovens? Se uma alma guarda Cristo em seu coração, então não busca um velho para receber ensinamento e sim para cumprir o quarto mandamento da Lei de Deus e se indica aos jovens o verdadeiro caminho da vida: Cristo Crucificado!

      Se um jovem não aspira a vida que Cristo lhe oferece, então sua vida é sem sentido, um absurdo, apenas um jogo humano. Que experiência de vida demonstra Francisco, em seus oitenta anos?  Nenhuma! Não aprendeu a viver para Cristo e sim para seu ideário maçônico! Não aprendeu obedecer a Cristo, então não pode ser a voz de Cristo na Igreja. Não aprendeu a viver a pobreza, então não pode ensinar a magnanimidade nem a virtude da Justiça aos homens.

      7 – Contra o capitalismo!

      Muitos leem a este homem e engolem tudo: este é um sinal de quem não tem vida espiritual! Este homem ataca assim ao capitalismo: “A hipocrisia dos homens e mulheres consagradas que professam o voto de pobreza, mas que ao contrário vivem como ricos, danifica as almas dos fiéis e prejudica a Igreja”. Mas isso é exatamente ferir toda a Igreja. Isso é cair no mesmo erro da própria linguagem:  Francisco se diz pobre, humilde, mas faz uma viagem caríssima para falar sobre três coisas: fraternidade, teologia da libertação e vida humana! Não foi à Coreia para pregar o Evangelho de Cristo. Foi lá passear, para estar com as pessoas e consolidar a sua nova sociedade religiosa, e contar fábulas para os homens. E isso tudo à custa de muito dinheiro!

      Francisco se diz pobre, mas vive como um rico! Vive desperdiçando dinheiro, porque não o usa para fazer a vontade de Deus. Se ele agisse na Igreja, como João Paulo II, fazendo o que Deus pedia, então os gastos em suas viagens não seriam um desperdício. Porém este homem faz da Igreja o seu negócio. Buscando dinheiro e gastando dinheiro. E tem orgulho em criticar os religiosos porque não vivem na pobreza! Francisco tem que se desfazer de sua hipocrisia para poder chamar aos outros de hipócritas! Se não faz isso, então esta frase é comunista: tu religioso pobre, estás gastando um dinheiro que pode encher o estômago da Igreja. 

      A mesma coisa disse Judas! Não viver o voto de pobreza é uma hipocrisia, além de um pecado contra a caridade! Ser hipócrita é um pecado contra a fé! Professar um voto de pobreza não significa não ter dinheiro, e sim saber usá-lo segundo a Vontade de Deus. Podemos fazer o voto de pobreza, tendo milhões. A Igreja tem milhões e é pobre. Porque o problema e o pecado não estão no dinheiro e sim no uso que se faz dele.

      Este anti-capitalismo de Francisco o bota em corda bamba. Não faz uma homilia sem estar às voltas com dinheiro. Este homem é obcecado pelo dinheiro: “vivemos em uma sociedade em que, junto com imensas riquezas prospera silenciosamente a mais degradante pobreza, onde não raramente se escuta o grito dos pobres, e onde Cristo nos segue chamando, pedindo para que os amemos e os sirvamos, estendendo as mãos aos irmãos mais necessitados”.  Cristo nos chama apenas a dar comer aos pobres? É tudo isso que este homem tem na mente? Para Francisco, Cristo nos chama para salvar a alma de um pobre? Não, esta frase ele nunca disse, porque não vela pelas almas e sim pelas necessidades corporais. Fala constantemente deste falso cristo, com sua falsa misericórdia. E os maus católicos, como cordeiros bebem de suas iníquas palavras.

      “Existe um perigo, uma tentação, que aparece nos momentos de prosperidade: é o perigo de que a comunidade cristã se “socialize”, perca a função que têm os pobres na Igreja. Até o ponto de se transformar em uma comunidade de classe média, da qual os pobres cheguem a sentir vergonha: dá-lhes vergonha de entrar! É a tentação do bem estar espiritual, do bem estar pastoral. Não uma igreja pobre para os pobres, sim rica para os ricos, uma igreja de classe média para os acomodados. Não expulsam os pobres, porém vivem de tal forma que não se atrevem a entrar, não se sentem na própria casa. Esta é uma tentação da prosperidade! Que o diabo não semeie o joio, esta tentação de afastar os pobres da estrutura profética da Igreja, e os converta em uma igreja acomodada para os acomodados, uma igreja do bem estar”. Toda esta fanfarronice se chama luta de classes! Isso é rasgar as próprias vestes, então porque existem pobres devemos acabar com os ricos porque possuem riquezas?

      Isso é desde sempre a linguagem da teologia da libertação. Com esta ideia de que a Igreja tem que ser pobre para os pobres, então se faz esta clara política comunista. Não existe nada neste parágrafo que pertença à doutrina de Cristo, somente à doutrina marxista e protestante. Ele é um homem que não entende o que é bem estar espiritual e que não sabe o que significa pobreza de espírito. Um pobre ignorante de tudo, que já dá claras mostras de seu cansaço no governo da Igreja. Ele está enfermo e farto por não conseguir o que o seu orgulho queria.

      Por isso logo teremos outro à frente desta sociedade, que já não representa a Igreja Católica e sim a nova igreja universal, onde impera o humanismo em todas as suas vertentes. (fim)

     COMENTÁRIO DE ARNALDO HAAS

     Há neste artigo mais uma contundente denúncia contra os verdadeiros ardis que se escondem por trás das palavras humanistas e comunistas do Bispo de Roma. É preciso ter bastante argúcia para lhes perceber o sentido e denunciar o verdadeiro significado. Toda a produção literária dele, todos os discursos públicos e entrevistas, todas as suas homilias e confabulações sempre escondem algum tipo de veneno, alguma ardilosa colocação, que visa dar uma face bonita ao mal, para, como sempre, enganar os cordeiros idiotizados por satanás, com seus pastores. Uma espantosa cegueira, inexplicável, ininteligível simplesmente imobiliza a imensa maioria do Clero Católico: ele aceita tudo, engole tudo, esconde tudo, ou atrás de seu modernismo assanhado, ou atrás de uma covardia vendida.

      O discurso falso dos pobres é o mais surrado discurso dos comunistas. Para tomarem o poder! O falso discurso da solidariedade é o mais surrado discurso da maçonaria! Para gerir o poder! O falso discurso da não agressão, é o mais surrado discurso daquele que, exatamente, desejam a guerra. Para abusar do poder! O falso discurso do ecumenismo concentra toda a filosofia da Nova Era. Para que o homem tome o lugar de Deus! E somando estes quatro falsos discursos, temos concentrado todo o esforço “evangelizador” do anticristo, porque todos eles surgem da cartilha e da doutrina de satanás. Cínica e ardilosamente, estes discursos capciosos conduzem pacificamente o rebanho católico no rumo da Nova Ordem Mundial, conforme prefigura a estilização da falsa Cruz que Francisco ostenta no peito com tanto orgulho. Mais uma prova do seu desmedido orgulho!

http://www.supernova-corp.com/mi/images/cruzbergoglio.jpg

      Pobres, sempre os tereis em vosso meio, disse Jesus a Judas! Disse isso porque sabia muito bem que sempre haveria pessoas afastadas Dele, pois são apenas estas pessoas que sofrem pobreza material. Junto de Deus não há fome, nem miséria! Solidariedade maçônica, que dá a esmola depois do roubo coletivo, e ainda faz a doação frente às câmeras e os holofotes da mídia, esta nada tem a ver com o amor de quem dá com a direita e a esquerda nem fica sabendo. Diante das câmeras, também, ele executa o discurso da pobreza! A guerra é uma opção humana, é coisa dos maus, e destes o Evangelho pede que nos afastemos, pois quem se junta com os pecadores também os aprova. O ecumenismo sob a orientação atual do Vaticano vem de satanás, não de Jesus: quem o pratica segue a aquele, não a Este! Mais uma vez a realidade coloca a nu, as intenções dele, pelas quais não devemos rezar.

      Como podemos ver, Francisco joga habilmente – melhor dizendo, cinicamente – com os dois lados. Com o seu discurso de pobrismo, de anti-capitalismo, ele tenta conduzir a Igreja para o comunismo, cruel e assassino, que será o governo do anticristo. Com esta sua preocupação obsessiva, nauseante, com a pobreza física das pessoas, ele dá um claro sinal de que nega a verdadeira pobreza a que Jesus se refere: à pobreza desapegada dos bens materiais, e isso vindo de alguém que pode ser muito rico. Ele fala isso, mas não vive! Um exemplo? Vasculhem na internet e acharão Francisco em uma mesa redonda com representantes de outras religiões! Não tinha água mineral nas garrafas que estavam sobre aquela mesa. A não ser que na Itália água tenha a cor de vinho! Que lá é bom... E caro!

http://blog.opovo.com.br/ancoradouro/wp-content/uploads/sites/2/2014/01/francisco-625x376.jpg

      Notem que tudo é ardilosamente colocado em pílulas! Não existe ainda, um compêndio sobre todas as heresias e abominações que se escondem por trás das manifestações dele, entretanto, se o leitor catalogar uma por uma, verá como aos poucos ele divulga toda a “bíblia” de satanás. São mentiras, que repetidas exaustivamente acabam se tornando “verdades” na mente dos incautos, aqueles bilhões de títeres – bonequinhos destes que se puxando uma cordinha eles pulam e se contorcem – e que se não tomarmos muito cuidado, acabaremos também por engolir este veneno, que leva somente a um final: à perdição das almas!

      Cuidado com intelectuais, autoridades vistosas e pomposas, com gordos flácidos e lustrosos, que vivem a clamar pelos pobres! São todos charlatões! São todos cínicos e descarados, porque vestem sedas e vivem muito bem obrigado! Este tipo de pobre anti-Deus, que eles dizem defender, é antítese deles mesmos e do que vivem. Só teria moral para falar sobre tais pobres, aqueles que se vestem de andrajos, moram debaixo das pontes, em moquifos ou palafitas, que são obrigados a comer calangos e serpentes, porque na outra ponta os seus falsos defensores comem tudo, esbanjam, desperdiçam e jogam fora! Tudo entre belas rodadas de bom vinho!

      Cuidado, muito cuidado com o que este homem diz: suas palavras não são as daquele evangelizador que, segundo ele, deve ter “odor de ovelhas”, mas sim as daquele que tem catinga de bode, e vocês sabem muito bem que figura o bode representa. Não devemos contemporizar com nada, com nenhum errinho, e também com nenhuma explicação que tente consertar o inexplicável. Se dermos abertura para aceitar qualquer mínima coisa errada diferente da Doutrina Santa que recebemos dos nossos pais, coisa que tente sepultar toda a Tradição que recebemos desta Igreja bimilenar, e se deixarmos que eles reconstruam modernamente as Sagradas Escrituras, alerta, atenção: todas estas coisas provêm do velho e fedorento “bode”.

http://www.deldebbio.com.br/deldebbio/wp-content/uploads/2009/02/bode1.jpg

      Em suma: a falsa igreja: pobre para os pobres, nos moldes de Francisco, é a sociedade comunista do fracasso. É a empresa relativista da falência da fé! É a economia modernista da perda eterna! É a ONG humanista do culto ao deus homem! E isso a torna na catedral das ruínas da fé, na capela dos conciliábulos e na antessala do inferno. Tudo isso significa asfaltar o caminho para a vinda do anticristo. Talvez foi por perceber isso que aquele sacerdote gritou ao entender esta tremenda realidade: Meu Deus, então nós estamos nas mãos do demônio? Sim, o mundo e a Igreja! E o mundo vai mal, porque a Igreja vai ainda pior!

 

Fonte:http://www.recadosaarao.com.br

 

 
 
 

Artigo Visto: 885 - Impresso: 32 - Enviado: 17

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.545.122 - Visitas Únicas Hoje: 974 Usuários Online: 181