"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
10/11/2017
Não, Monsenhor CUPICH! Vamos resistir a apostasia! Deus está do nosso lado.
 

Não, Monsenhor CUPICH! Vamos resistir a apostasia! Deus está do nosso lado.

Há três dias, Infocatólica fez eco da notícia de que o Cardeal Cupich pede aos católicos que abandonem as crenças mais preciosas no interesse do diálogo ...

http://comovaradealmendro.es/wp-content/uploads/2017/11/GettyImages-455787174-1280x720-810x456.jpg

Escrito por Montserrat Sanmartí Fernández

Esta notícia é para congelar o sangue de qualquer bom católico. O que o Cardeal Cupich disse? Bem, bem ... é só que isso agora não tem mais que ser buscado. Agora, o diálogo com os hereges é mais importante do que a nossa fé. Veja você!

Disse o Cardeal:

"Se os católicos querem participar do" discernimento "como o Papa Francisco faz, eles devem abandonar" as crenças mais preciosas ".

Bem, olhe, ouça. O que vai ser esse não, como dizemos castamente na Espanha. E vai ser que não, primeiro; porque não queremos participar do "discernimento" que Francisco tem. Não e não, e mil vezes não. Seu "discernimento fabuloso" levou a uma ruína total da Santa Igreja de Deus, que já estava bastante danificada, a propósito, e que atingiu o golpe de misericórdia. E não queremos fazer parte dessa ruína, Ei. Eles querem nos provocar?

Segunda coisa para a qual vai ser esse não: NÓS NÃO VAMOS DESISTIR DE NOSSAS CRENÇAS MAIS PRECIOSAS, NEM EM SONHOS. RETIRE-O DA CABEÇA. A igreja não está organizada por você, nem por Francisco, nem por todos aqueles que o rodeiam. A Igreja é o repositório da fé que nos chegou através do Magistério e da Sagrada Tradição. Se você, Francisco e seus grandes amigos querem ser apóstatas, vão em frente, vão embora. Já estão atrasados! Deixe os católicos fiéis em paz. Repito em cor e em letras maiúsculas para que seja claro para Cupich e seus seguidores, que é o que são, terroristas de almas:

NÃO RENUNCIAMOS AS NOSSAS CRENÇAS MAIS PRECIOSAS:

1- NÃO RENUNCIAMOS A TRANSUBTANCIAÇÃO;

2- NÃO RENUNCIAMOS A SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA, MÃE DE DEUS;

3- NÃO RENUNCIAMOS A INDISSOLUBILIDADE DO MATRIMÔNIO;

4- NÃO RENUNCIAMOS A SANTIDADE DA VIDA HUMANA, DESDE A CONCEPÇÃO ATÉ À SUA MORTE NATURAL;

5- NÃO RENUNCIAMOS O CREDO E AS VERDADES CONTIDAS NELE;

6- NÃO RENUNCIAMOS OS NOSSOS DOGMAS SAGRADOS;

7- NÃO RENUNCIAMOS AO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA (antes que seja revisados por vocês, como nós sabemos que estão fazendo);

8- NÃO RENUNCIAMOS AS ESCRITURAS FIDEDIGNAS ((nós já vimos que estão revendo e acomodando ao seu gosto e prazer, cortando as partes "irritantes");

9- NÃO RENUNCIAMOS A FÉ QUE RECEBEMOS DESDE CRIANÇAS E QUE VOCÊS TENTAM VIRAR, COMO SE FOSSE UMA MEIA;

10- NÃO RENUNCIAREMOS A NENHUM DOS CONCÍLIOS NO INTERESSE DE SEU MUITO ESTIMADO “AGGIORNAMENTO" QUE JÁ CANSA E CANSA;

11- NÃO RENUNCIAREMOS AO MOTU PRÓPRIO DE BENTO XVI, MESMO QUE O INCOMODE E PERTURBE;

12- NÃO RENUNCIAREMOS AO DIREITO QUE TEMOS COMO CATÓLICOS PARA DISCERNIR O QUE É CERTO E O QUE É ERRADO NA LUZ DOS MANDAMENTOS DA LEI DE DEUS, NA LUZ DO MAGISTÉRIO E DA SAGRADA TRADIÇÃO, NA LUZ DO CATECISMO E DAS ESCRITURAS BEM INTERPRETADAS;

13- NÃO RENUNCIAREMOS AS NOSSAS PRÁTICAS MAIS QUERIDAS: SANTA MISSA (nada de santa memória) SANTO ROSÁRIO, VISITA AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO E À ADORAÇÃO EUCARÍSTICA, PRINCIPALMENTE.

EM DIFINITIVO, NÃO RENUNCIAMOS NEM RENUNCIAREMOS A NOSSA FÉ CATÓLICA ÍNTEGRA, NÃO ENTREGAREMOS NENHUMA DE NOSSAS MAIS PRECIOSAS CRENÇAS, PORQUE SOMOS CATÓLICOS E QUEREMOS VIVER E MORRER NA UNA, SANTA, CATÓLICA E APOSTÓLICA IGREJA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

Monsenhor Cupich disse também que:

«É a disposição de Francisco para deixar de ir no desnecessário e explorar águas inexploradas que lhe dão liberdade interna, embora perturbe alguns»

Me pergunto a que "Águas inexploradas" Francisco vai querer alcançar. É melhor eu pensar que são águas podres e fedidas. Como se neste ponto da história da Igreja não houvesse tempo para conhecer e explorar tudo o que diz respeito à nossa salvação, já que essa é a missão da Igreja. Verdade ou estou confuso? Pergunto-me se Bergoglio que se acredita ser o "salvador do mundo" e deve pensar que, sem o seu papado, haveria coisas "inexploradas". Eu rio para não chorar ...

Segue Cupich:

O Papado do Papa Francisco é definido pelo "diálogo", que ele disse que equivale a "construir pontes". «O diálogo não é uma palavra ruim, é a nossa palavra»

Pois nada, nada de diálogo com o mal! As pontes que constroem serão para a perdição, e aqueles que se atrevem a cruzá-las acabarão engolidos pelas águas, como os egípcios que perseguiram o povo escolhido no Mar Vermelho aqueles que tinham a verdade do seu lado. O bem sempre ganha! Os malvados já foram derrotados.

Continua o Cardeal:

Os católicos "devem ter uma mudança de coração para que o diálogo seja bem-sucedido e para encontrar um terreno comum". Eles devem entender que Jesus Cristo está "sempre fazendo algo novo"

Em poucas palavras Monsenhor: de acordo com você, nós somos os católicos que devem "baixar as nossas calças", sabendo que eles são os hereges e que temos a verdade. Incrível! Recordo-vos, querido: o único fundamento comum que temos não é o diálogo, porque é comum. O resto é inegociável, porque eles não estão na verdade e Cristo é a Verdade e a Vida. Tudo o que Ele disse permanece e vai permanecer. Ou foi esquecido que quando oramos dizemos: "como foi no início, agora e para sempre e para sempre." Amém "? Pare de dizer "belas palavras", e fique com a Verdade. Nós somos das "pontes e do diálogo" até o topo da coroa, por favor.

A última frase que citou Cupich para não alongar é artifício:

A minha própria Arquidiocese está "reconstruindo" e "reinventando" a Igreja através de um processo de "discernimento" e "diálogo".

Pois bem, perfeito. A igreja, de acordo com Cupich, não é mais uma. Agora acontece que, graças à "horizontalidade" propiciada por Francisco desde o início de seu pontificado desastroso, cada diocese pode "reconstruir e reinventar" sua própria idéia de igreja. Vamos, o protestantismo falou como se fosse o catolicismo. "eu interpreto, você interpreta, ele interpreta!" Eu reconstruo, eu reinventei......! Eu, a verdade, tenho alucinações em cores.

Bem, nada escute. Continue "reconstruindo e inventando", nunca disse melhor. Inventar, inventar, que a verdadeira Igreja não está contigo. Você, como disse o Cardeal Fulton Sheen, criou uma nova igreja extravagante e esvaziou todo o conteúdo católico. Deixaram de ser católicos. Deus ajude você a ver o seu erro antes que seja tarde demais! Acho que esqueceram um dos nossos dogmas, o da existência do inferno. Ou é que, de acordo com as suas "reinvenções", o inferno é uma fábula?


Fonte: http://comovaradealmendro.es/2017/11/no-monsenor-cupich-resistir-la-apostasia-dios-esta-nuestra-parte/

 
 
 

Artigo Visto: 645 - Impresso: 18 - Enviado: 3

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 2.813.598 - Visitas Únicas Hoje: 259 Usuários Online: 69