"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
08/02/2018
Bispos ignoram danos do Lulopetismo e da Teologia da Libertação no corpo da Igreja do Brasil.
 

Bispos ignoram danos do Lulopetismo e da Teologia da Libertação no corpo da Igreja do Brasil.

08 de fevereiro de 2018

https://fratresinunum.files.wordpress.com/2018/02/lula-missa.jpg

Por Hermes Rodrigues Nery - FratresInUnum.com

Depois do escandaloso 14° Encontro Intereclesial de CEBs, ocorrido em Londrina, PR, com atos e cenas bizarras que chocaram a tantos católicos em diversas partes do País, o Arcebispo de Curitiba, Dom José Antonio Peruzzo, em pronunciamento gravado e divulgado nas redes sociais, adotou o tom “politicamente correto” para rechaçar as abundantes críticas (especialmente de leigos) ao evento escancaradamente ideologizado e partidarizado. As palavras de Dom Peruzzo, eivadas de retórica, não convenceram, ignorando o sentimento de milhares de católicos que já não sabem mais o que fazer para estancar o lulopetismo dentro das paróquias e movimentos, que através da nefasta teologia da libertação, vem ainda causando graves danos ao corpo da Igreja.

Em março de 2016, estive pessoalmente conversando com vários bispos (inclusive na Assembléia da CNBB), sobre o modo como setores progressistas instrumentalizam a Igreja para fins políticos contrários ao ensinamento da sã doutrina moral e social católica. Na ocasião, o Cardeal de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer foi enfático em dizer que a Igreja não toma posições partidárias (o mesmo tom adotado por Dom Peruzzo), também ignorando os efeitos danosos do lulopetismo nas paróquias e dioceses. Escrevi uma “Carta aos Bispos do Brasil”, fazendo um apelo “a cada membro do episcopado brasileiro, para que em cada Diocese haja uma posição clara e firme em relação aos graves danos que o Partido dos Trabalhadores (PT) causou à Igreja Católica e à nação brasileira nestas últimas décadas, especialmente nos últimos treze anos à frente do governo. Um partido que chegou aonde chegou com a conivência, a cumplicidade, a omissão (e até o favorecimento) de muitos bispos, seduzidos pela retórica do populismo e pela demagogia.” Dizendo ainda que “era preciso ter havido coragem para denunciar o PT como um partido revolucionário, de ideário socialista, aliado de governos comunistas e ditatoriais (especialmente Cuba), que emergiu com a bandeira da ética para chegar ao poder e depois dilapidar o estado brasileiro, aparelhando as instituições e implementando a agenda anti-vida e anti-família das fundações internacionais, a agenda abortista, etc. E tudo isso com a complacência do clero progressista da CNBB, e através de ONGs e pastorais atuando no seio da igreja, dos teólogos da libertação, e de toda sorte de infiltrados.”

Não somente a “Carta aos Bispos”, como o corpo-a-corpo feito com bispos durante a Assembléia da CNBB, daquele ano, foram totalmente ignorados, desprezados. Foi então que percebi que não adiantava denunciar o que ocorria de grave em tantas paróquias cúmplices da teologia da libertação e do lulopetismo. As denúncias eram feitas e ignoradas. Os apelos eram feitos e desprezados. Como, por exemplo, quando solicitamos providências a Dom Walmor de Oliveira em relação ao caso Van Balen, quando exigimos o cancelamento de palestra feita por abortista em uma faculdade católica, quando requeremos de Dom Manoel Carral Parrado providências para afastar o Padre Paulo Bezerra, etc.

Pareciam inúteis os esforços, os apelos, as denúncias, etc. O que recebíamos? Em vez de palavras de ânimo e apoio, na defesa da sã doutrina católica (o pastoreio firme na defesa da fé e da vida), eram o riso, o escárnio, o desprezo, pois que muitos bispos continuavam confortavelmente coniventes em ver espalhada a cizânia da teologia da libertação (sob diversas formas e aspectos), principalmente nos conselhos paroquiais e diocesanos.

Durante muito tempo questionamos os motivos pelos quais tantos padres e bispos se silenciavam diante do aparelhamento ideológico, deixando que paróquias e movimentos (Pastorais sociais, da juventude, etc.) fossem utilizados como espaços de propagação da teologia da libertação, que não havia sido minada, pelo contrário, era disseminada por outros meios (inculturação, ecumenismo, ecologismo e tudo mais), com padres e até bispos agindo como intelectuais orgânicos, gramscianos. E o que vimos, ao longo de décadas, foram paróquias e movimentos se descaracterizarem, perderem sua identidade católica, para servir a um projeto de poder que visa destruir a verdadeira fé. Com o relativismo, o discurso de muitos foi ficando cada vez mais ambíguo, justificando assim uma subversão inimaginável.

Mas, o mais grave nisso tudo, ainda não foi desvendado. Quem banca esse processo? O que pensar da Caritas, por exemplo, financiada pela Fundação Ford? Pois o lulopetismo  ainda se mantém, apesar de tudo o que a Operação Lava Jato expôs ao País, porque padres e bispos são beneficiados financeiramente. Uma Lava Jato em muitas paróquias e movimentos revelaria muita coisa. Certamente, muitos padres intelectuais orgânicos também terminariam seus dias na cadeia. O fato é: o que fazer diante de tudo isso? Como desaparelhar a Igreja, se bispos tomam à frente em defesa, muitas vezes, do indefensável. Enquanto tais setores da Igreja, no Brasil, estiverem reféns do lulopetismo e da teologia da libertação, o corpo da Igreja, no Brasil, estará padecendo tão grave enfermidade, a requerer remédios amargos, que os bispos procrastinam, para angústia dos católicos.

Hermes Rodrigues Nery é coordenador do Movimento Legislação e Vida

Fonte: https://fratresinunum.com/2018/02/08/bispos-ignoram-danos-do-lulopetismo-e-da-teologia-da-libertacao-no-corpo-da-igreja-do-brasil/

-------

Pronunciamento de Dom Peruzzo, Arcebispo de Curitiba, sobre o Intereclesial das CEB's em Londrina.

Alguns comentários retirados da conta da arquidiocese no Facebbok:

Vinicius Pietro Mendes - Sua Excelência Reverendíssima, não estamos tratando de mero achismo, estamos tratando de fatos, dentre os quais, alguns gravados em vídeo. Dentre tudo oque ocorreu, o único que se pronunciou foi Dom Geremias pedindo somente para que fossem tiradas as faixas e isto, somente depois das críticas ao intereclesial. E os demais bispos? E os demais membros do clero que ali estavam? Se a Igreja não é partidária porque permitiram tais atos de apoio à corruptos e condenados? Os senhores não são nossos pais espirituais, nossos pastores? Pai verdadeiro que ama seus filhos os corrige, impõe limites, sem medo. Se os senhores que deveriam fazer isto não fazem, quem irá fazer? Irão deixar a Igreja à vontade para fazerem oque quiserem? A diversidade só é valida dentre oque é certo. Estamos no ano do laicato, e nós leigos estamos somente pedindo atitudes contra oque houve de errado. E o fazemos porque amamos a Santa Igreja e não queremos deixá-la nas mãos dos lobos que querem aproveitar-se dela para fazerem politicagem. Sua benção.

---

Alex Sandro de Almeida - Sua benção! Faltou citar as canções aos orixás, as danças de candomblé na missa campal, a moção de repúdio ao juiz Sérgio Moro, o minuto de silêncio ao molusco. Peço a Deus de todo meu coração, que não permitamos que a maldade do coração do homem, não contamine a pureza do Sagrado. Pedimos apenas aos senhor Bispo que aponte todos os fatos, não apenas o político, mas também o litúrgico o doutrinal. Porque amamos a Santa Igreja, nós a defendemos.

---

Éder Aparecido Da Silva - Me perdoe por favor, mas vossa eminência não está sendo sincero com o povo. Eu imploro, faça um reconhecimento humilde, de o exemplo eminência! O que houve alí foi um absurdo sem tamanho, não tente reduzir o problema a questão das faixas, o mais grave partiu dos palestrantes e organizadores, acaso as falas de Frei Beto estão em conformidade com a doutrina? A incitação a desobediência cívil é doutrina? As celebrações eram litúrgicas? Por favor, as pessoas não são cegas, não tente fazer parecer que o erro partiu de quem fez os vídeos ou daqueles que assistiram e se indignaram.

---

Marcelo Udo - Com todo o respeito de uma ovelha com seus pastores, as perguntas que precisam ser respondidas estão postas abaixo, e não um vídeo como este cheio de malabarismos retóricos a ponto de colocar o Marxismo quase no lugar do "antes e depois de Cristo":

1 - houve um minuto de silêncio sobre o julgamento do TRF-4 neste evento das CEBs totalmente tendencioso a acusar os juízes como errados em condenar Lula. Qual o papel da Igreja que sabe que o povo vê uma repetição de fatos desde o Mensalão?

2 - Por que D. Geremias deixou prosseguir este minuto de silêncio?

3 - Por que o sacerdote neste vídeo faz malabarismos com o argumento antepondo o marxismo antes dos apóstolos? O Marxismo na lei da Igreja provoca excomunhão automática ou não mais?

4 - Por que colocar em pauta o Capitalismo? Para suavizar o Marxismo? Não queremos nenhum dos dois na Igreja.

5 - Os vídeos foram claríssimos et contra factos argumenta non sunt. D. Geremias, ex assistente de Frei Betto, que patrocinou tudo isto, que deve apoiar a Teologia da Libertação e que há pouco tempo apoiou evento LGBT, ou estamos enganados?

6 - As novas leis da Igreja nos guiam para apoiar comportamentos LGBT, Socialismo/Comunismo Disfarçado, Ecumenismo e Frei Betto e Boffe? Que Jesus no Sermão da Montanha praticou o Fome Zero? Essa que deve ser a nossa linguagem entre católicos, padre?

Com todo respeito e tristíssimo.

Trazendo a novela Roque Santeiro, temos de ir contra o Pe. Hipólito que seguia a tradição da Igreja e aceitar o Pe. da Roça envolvido em brigas por terra e que depois se juntou com uma mulher nesta luta? Veja desde lá estamos sendo recrutados, não?

---

Priscilla Silva -  Dom Peruzzo, vossa bênção... é uma pena, um Arcebispo com o gabarito do Senhor, com uma postura tão indiferente e pormenorizada com relação as atrocidades e heresias que ocorreram durante as Celebrações Eucarística (pão estranho, como corpo de Nosso Senhor?) Missa não é local de experimentos ou teatros! VExa Revma, uns dos Arcebispos mais cultos do Brasil, não sabe das terras nas quais andam Frei Beto? Será que acredita mesmo, sendo quem és, que a Cebs não é canal de militância comunista e meio para disseminação da Teologia da Libertação aos pobres de Cristo?
Porque os Bispos estão permitindo que os pobres sejam as ovelhas incautas nas mãos desses lobos genocidas?? Como podem acreditar, que o que fazem é a vontade de Deus? Eles estão minando a base da Igreja... mas como VExa Revma sendo doutor em Biblia, sabe muiiitiissimo melhor do que eu, "As portas do Inferno não prevalecerão sobre ela". Salve a Santa Igreja Católica Apostólica Romana, Salve a Santa Tradição!

---

Victor Lima - "O movimento não foi partidario"

-Fizeram 1 minuto de silencio por pesar ao Julgamento de Lula
-Dom Geremias só pediu para retirar as faixas depois de saber que havia resistência ao movimento politico (Tanto que o povo aplaudiu isso)
-A cartilha distribuída ao povo da igreja mencionava várias vezes o "Golpe de 2016"
Agora vamos ver como foi abordada a "Problemática Marxista"
-Aborto
-Ideologia de Gênero
-Palestras como Frei Betto que ja ousou fazer um artigo que era intitulado "Deus é gay?" E que abertamente apoia o ABORTO!!!
Dom Peruzzo, não pertenço a sua arquidiocese, mas gostaria que se pronunciasse se é realmente cristão, convidar um palestrante pró aborto e pró ideologia de gênero e braço direito de um político corrupto e condenado a 12 anos de prisão, e dar autoridade a ele para falar em nome da igreja para os fieis.

---

Altair Silva - O bispo diz que devemos ir atras de todos e ouvir a todos, mas quando perguntei se ele concorda com a cartilha da 14 intereclesial de base que defende o aborto, a legalização das drogas e a ideologia de gênero a página do facebook da arquidiocese, me marcaram como spam. Pelo jeito todo mundo tem voz dentro da Igreja, os que fizeram as canções aos orixás, as danças de candomblé na missa campal, a moção de repúdio ao juiz Sérgio Moro, o minuto de silêncio ao molusco, a moção de desagravo contra a condenação do Lula, a via-sacra com fotos de Lula e Dilma, Frei Betto dizendo que Cristo não veio fundar uma religião ou uma Igreja, mas um movimento politico-social . Todos tem voz dentro da Igreja, menos um católico fiel que questiona porque uma cartilha é distribuída a favor do aborto dentro de um evento católico. Temos que lutar hoje para sermos católicos dentro da Igreja. A igreja da teologia da libertação pede diálogo com todos as cresças, menos com a crença cristã e católica.


Fonte: https://www.facebook.com/arquidiocesedecuritiba/videos/1454719351306490/?hc_ref=ARTZbendG91lSjtscAm7hRoljGPbq8bJ5HE__9xS84U7LSgnnQH0l6eO4oVqw-lCIaI&fref=gs&dti=325332360970294&hc_location=group

----

 
 
 

Artigo Visto: 693 - Impresso: 53 - Enviado: 1

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.139.846 - Visitas Únicas Hoje: 457 Usuários Online: 138