"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
09/04/2019
Cardeal Sarah: A ideologia de gênero "luciferiana" leva as pessoas a "se mutilarem sem sentido"
 

Cardeal Sarah: A ideologia de gênero "luciferiana" leva as pessoas a "se mutilarem sem sentido"

Seg 8 abr. 2019 - 8:44 pm EST

https://assets.lifesitenews.com/images/made/images/remote/https_www.lifesitenews.com/images/local/Cardinal_Robert_Sarah_810_500_75_s_c1.jpg

NOISY-LE-ROI, França, 8 de abril de 2019 (LifeSiteNews) - Um cardeal africano alertou que o Ocidente está mergulhando na barbárie e provavelmente levará o mundo em desenvolvimento para baixo.

O cardeal Robert Sarah, autor de novos clássicos espirituais como Deus ou Nada e O Poder do Silêncio, deu uma entrevista à revista católica francesa La Nef na qual ele disse ao seu fundador Christophe Geffroy que o Ocidente rejeitou Deus e Seus dons, incluindo a cultura. e a própria natureza humana.

Uma tradução inglesa da entrevista original foi disponibilizada por Zachary Thomas através do Catholic Herald do Reino Unido.

"As pessoas no Ocidente são culpadas de rejeitar a Deus", disse Sarah a Geffroy.

“Eles não apenas rejeitaram a Deus. Friedrich Nietzsche, que pode ser considerado o porta-voz do Ocidente, afirmou: “Deus está morto! Deus continua morto! E nós o matamos ... 'Nós assassinamos a Deus. Em vista da morte de Deus entre os homens, Nietzsche o substituiria por um "super-homem" profético.

Essa rejeição ocidental de Deus envolve a rejeição da própria paternidade, pelo que Sarah parece significar uma recusa em ser um descendente cultural, uma recusa em aceitar os dons que uma cultura concede às crianças de uma geração para a outra.

"Os ocidentais estão convencidos de que receber é contrário à dignidade das pessoas humanas", disse o cardeal.

“Mas o homem civilizado é fundamentalmente um herdeiro, ele recebe uma história, uma cultura, uma língua, um nome, uma família. Isso é o que o distingue do bárbaro. Recusar-se a inscrever-se dentro de uma rede de dependência, herança e filiação nos condena a voltar nus à selva de uma economia competitiva deixada à própria sorte. ”

Sarah disse que esta condenação é para um "inferno da globalização liberal", em que as pessoas lutam umas contra as outras sem lei, exceto a de lucro financeiro.

O cardeal guineense também mirou na ideologia transgênero, que ele chamou de “uma recusa luciferiana de receber uma natureza sexual de Deus”.

"Dele recebemos nossa natureza como homem e mulher", disse Sarah a Geffroy.

“Isso é intolerável para as mentes modernas. A ideologia de gênero é uma recusa luciferiana de receber uma natureza sexual de Deus. Assim, alguns se rebelam contra Deus e se mutilam inutilmente para mudar seu sexo. Mas na realidade eles não mudam fundamentalmente nada de sua estrutura como homem ou mulher ”, continuou ele.

“O Ocidente se recusa a receber e aceitará apenas o que ele mesmo constrói. O transumanismo é o avatar final desse movimento. Por ser um presente de Deus, a própria natureza humana se torna insuportável para o homem ocidental ”.

O Cardeal Sarah explicou que a revolta é "espiritual ... a revolta de Satanás contra o dom da graça" e que os ocidentais não querem a salvação de Deus, como prefeririam criar a sua própria. Ele também insinuou que o Ocidente está empenhado em empurrar sua salvação para o mundo em desenvolvimento com sua rebelião.

"A África e a Ásia ainda não estão totalmente contaminadas pela ideologia de gênero, pelo transumanismo ou pelo ódio à paternidade", disse ele. “Mas o espírito neo-colonialista das potências ocidentais ea vontade de dominar pressionam os países a adotarem essas ideologias mortais”.

Sarah acredita que os cristãos não devem desistir de seu lugar na vida pública, dizendo que uma "sociedade inspirada pelo Evangelho protege os fracos contra as conseqüências do pecado".

"Por outro lado, uma sociedade isolada de Deus rapidamente se transforma em uma ditadura e se torna uma estrutura de pecado, encorajando as pessoas para o mal", continuou o cardeal.

“É por isso que podemos dizer que não pode haver sociedade justa sem um lugar para Deus na esfera pública. Um estado que oficialmente defende o ateísmo é um estado injusto. Um estado que relega Deus à esfera privada se exclui da verdadeira fonte de direitos e justiça. Um estado que pretende fundar direitos apenas da boa vontade e não busca fundar a lei em uma ordem objetiva recebida do Criador, corre o risco de cair no totalitarismo ”.

O mais recente livro do cardeal Sarah, Le soir approche et déjà le soir baisse ("É quase noite, e o dia está quase no fim"), foi lançado na França em 20 de março.


Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/cdl-sarah-gender-ideology-luciferian-leads-people-to-pointlessly-mutilate-themselves

 
 
 

Artigo Visto: 449 - Impresso: 3 - Enviado: 0

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.590.874 - Visitas Únicas Hoje: 205 Usuários Online: 137