"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
02/07/2019
A blasfêmia do orgulho gay? Não com o meu dinheiro
 

A blasfêmia do orgulho gay? Não com o meu dinheiro

02/07/2019

http://lanuovabq.it/storage/imgs/roma-cr-large.png

Editorial - Silvana De Mari

As paradas do orgulho gay são deliberadamente obscenas (gay.it também diz isso), para ofender a moral comum. Maus atos e homens nus, mas não penalidades criminais, porque a lei não é a mesma para todos. As ofensas contra a fé católica, Jesus e Maria, objeto de paródias e blasfêmias, são cada vez mais numerosas e sérias. Tudo acontece com o apoio do Estado e os impostos pagos pelos próprios fiéis são ofendidos. É hora de dizer o suficiente.

A lei igual para todos é a escrita sumptuosa que se destaca atrás do juiz, nos tribunais onde me processam. A sentença é falsa. Durante o chamado orgulho, os homens se apresentam nus, especialmente no orgulho alemão e americano, ainda raramente por nós. Quantas chances tem um de nós, qualquer pessoa comum, de poder descer a rua sem ser preso? De acordo com o nosso código penal, a definição de abuso infantil também inclui a exposição de crianças para ver adultos nus e testemunhar atos sexuais ou obscenos.

No orgulho gay, há homens e homens nus que se referem ao sexo anal. Em gay.it, explica-se porque o orgulho DEVE ser obsceno. Esse orgulho é obsceno, portanto, não dizemos que somos fanáticos e idiotas, mas diz gay.it. Atos obscenos em um lugar público são um crime. Ofender a moralidade de um povo não é exatamente o caminho mais curto ou mais óbvio para coletar simpatia. Ofender a moralidade de um povo é um teste de força: podemos fazer de você o que queremos, você deve sofrer nossa indignação contra sua moralidade e de seus antepassados, de sua religião e de seus antepassados ​​porque, comparados a nós, você e seus antepassados ​​são inferiores.

Por outro lado, a ofensa à religião por desprezo não é mais um crime, mas é uma ferida no coração para um crente. No orgulho gay os ataques contra Cristo e a Madona, paródias, disfarces, blasfêmias audíveis em longos minutos gravados no Youtube são cada vez mais numerosos, sérios e repugnantes. Não posso deixar de pagar impostos, porque senão me vejo enfrentando agentes financeiros que são homens armados. Um estado corrupto exige que eu, através de homens armados, contribua para a ofensa contra minha religião.

Há apenas um outro povo que foi forçado a isso: eles são os judeus da Alemanha nazista nos anos 1930, da ascensão ao poder do nazismo até o começo da Segunda Guerra Mundial, quando os judeus ainda faziam parte do tecido social alemão. Com seus impostos, eles foram forçados a financiar manifestações em que seus objetos sagrados eram profanados e sua religião ridicularizada.

Travestis trans disfarçados como Madonna profanam o mesmo Rosário que meu pai segurava em suas mãos quando ele morreu de câncer e que minha mãe segurava em suas mãos nas horas em que temia que a qualquer momento eu morresse. O cartaz de publicidade oficial do orgulho gay de Perugia mostrou uma Madonna-trans. Somos forçados a financiar aqueles que atropelam e insultam nossa religião. Para uma pessoa crente ver sua religião ridicularizada é atroz. Vê-lo feito com o seu próprio dinheiro dos impostos é duplamente atroz e é uma violação dos direitos mais básicos do indivíduo, os direitos garantidos pela Constituição, que, portanto, o orgulho gay atropela.

A religião cristã é absolutamente "homofóbica": condena a sodomia. A condenação é absoluta em Levítico, absoluta nos Evangelhos, já que Cristo declara não modificar a Lei nem mesmo por uma vírgula, que nomeia a destruição de Sodoma mais de uma vez como um exemplo de Justiça. Acrescente a isso São Paulo, Santo Agostinho, São Tomás de Aquino e, o mais difícil de tudo, Santa Catarina de Siena.

Portanto, é absolutamente lógico que o orgulho zombe do cristianismo: o que não é lógico é que eles são financiados por cristãos com dinheiro extorquido de impostos. Não com o meu dinheiro. O mesmo vale para o aborto. Você faz o que quiser, mas com seu dinheiro e não com o meu. Você quer fazer um aborto, quer recitar um pai blasfemo, disfarçar-se com um disfarce ridículo que ofende a Cristo? Não com o meu dinheiro, caso contrário, é o mais ignóbil das ditaduras.

Fonte: http://lanuovabq.it/it/le-blasfemie-dei-gay-pride-non-con-i-miei-soldi

 
 
 

Artigo Visto: 468 - Impresso: 4 - Enviado: 7

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.583.174 - Visitas Únicas Hoje: 1.296 Usuários Online: 236