"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 
Você está em: Principal / Artigos / AS DUAS IGREJAS




 
 
13/08/2019
AS DUAS IGREJAS
 

AS DUAS IGREJAS

10/08/2019

http://www.imaculadamaria.com.br/z1img/18_01_2017__16_34_30114485cc1a261ea0b3cf29c0280453ed52cfa_640x480.jpg

Por Juan Suárez Falcó

Leonardo Castellani disse que, enquanto o trigo e o joio crescem, eles são indistinguíveis e que, apenas no final, quando a colheita está próxima, eles diferem claramente. A colheita deve ser próxima (Mt 13,39), porque o joio é mais arrogante do que nunca e abertamente mostrado acima do trigo. Porque a apostasia, que vem do topo da Igreja, alimenta-a e permanece, arrogante, levantando a cabeça contra Deus.

Enquanto JPII ou BXVI reinavam, este joio estava escondido dentro da Igreja. Agora, Deus consentiu que um falso profeta ocupe o trono de Pedro para que, como flautista de Hamelin, tire todos os ratos das casas e dance alegremente ao som da heresia que soa. Porque o diabo, fazendo o mal que ele quer, não pode deixar de fazer o bem que ele não quer, e finalmente serve a Deus em última análise.

Está cada vez mais claro que o cisma tantas vezes profetizado pela Virgem em suas aparições ou por São Francisco de Assis em si está muito próximo. Um cisma é sempre uma tragédia, mas Deus permite que eles purifiquem sua Igreja, para que a parte saudável enfrente o erro e o combata e, assim, seja fortalecida: esse sempre foi o caso e esse será o último grande cisma, o maior de todos. Porque a unidade é apenas um valor quando está na Verdade, porque quando o erro e a verdade coexistem e a confusão faz com que muitas almas se percam, o cisma é preferível a uma falsa unidade, de modo que a verdade prevaleça e um descanso fiel Perviva e não ser sufocado pelo joio.

Mas, atenção! ... Isto não será um cisma como os muitos que a Igreja Católica sofreu em seus dois mil anos de história. Será o último, e será um cisma invertido: até agora, foi o Papa, reunido a seus fiéis cardeais, que expulsaram da Igreja e excomungaram aqueles que persistiram em erro pelos cismáticos. Agora, aquele que ocupa a sede de Pedro não é um verdadeiro papa, mas um assalariado (da franco-maçonaria) que pulou a cerca do rebanho e que não se importa com as ovelhas. Ele é um lobo disfarçado de pastor, um usurpador, colocado ali para liquidar a Igreja, se isso fosse possível.

Agora será o falso profeta que excomungar o descanso fiel, os poucos cardeais, bispos, sacerdotes e leigos que não se submetem ao seu magistério envenenado (Amoris Laetitia na cabeça). A grande maioria, por respeito humano, por covardia ou por condescender com pecado e erro, apoiará Bergoglio e apenas um remanescente fiel o enfrentará. Mas essa excomunhão não será válida, porque não é ditada pelo verdadeiro Papa, Bento XVI, que é o único que pode amarrar e soltar na Igreja.

A propósito, hoje sabemos que a BXVI se reuniu com Monsenhor Melina para apoiá-lo após ser demitido por Bergoglio-Paglia do Instituto João Paulo II. E que alguns dias atrás ele estava em Castelgandolfo, como costumava fazer no verão. Como podemos ver, o papa reinante continua a exercer o petrus munus e ministerium, e ele não se retirou para uma vida de oração anônima, mas desde sua suposta resignação ele continua a estender livros, recebendo cardeais, bispos e padres, concedendo entrevistas e escrevendo, como aquela carta excelente de 19 fólios nos quais ele emendou o ensino deletério de Bergoglio de cima para baixo, antes da Semana Santa.

O grupo Bergoglian sabe que a BXVI não vai calar a boca se no Sínodo da Amazônia eles querem eliminar o celibato, permitir probabilidades virais ou diaconisas de ordem. Eles precisam silenciá-lo. E talvez as notícias logo venham que ele faleceu. Mas na realidade eles o terão amordaçado e escondido. Não acredite neles.

O cisma pode começar em outubro, um mês que o diabo odeia profundamente por ser o mês do rosário, o da Virgen del Pilar e o da mulher vestida de sol (a aparição de 13 de outubro de 1917, em Fátima).

Alguns cardeais fiéis decidiram não calar a boca no Sínodo da Amazônia: Brandmuller, Burke, Muller já estão falando alto e claramente ... Eles não estão dispostos a calarem-se em silêncio no Sínodo da família, o que deu origem àquela Exortação Pós-Sinodal ao contrário a revelação pública como foi Amoris Laetitia, que permite a comunhão àqueles que vivem em adultério, como o próprio Bergoglio foi responsável por afirmar quando publicou no Actae Apostolicae Sedis a carta enviada pelos bispos de Buenos Aires com essa interpretação autêntica, a “única possível ”(sic).

Irmãos, o tempo para o teste virá em breve. Os apóstolos dormem. Apenas alguns, pela graça de Deus, observamos. Vamos nos preparar para o cisma com mais oração, sacramentos e adoração eucarística. Somente aqueles que estão unidos ao Imaculado Coração de Maria resistirão.

Vejamos agora algumas diferenças irreconciliáveis ​​entre as duas Igrejas que agora convivem e são cada vez mais vistas com mais clareza: a cidade de Deus e a cidade do homem, usando as palavras de Santo Agostinho.

https://pt.churchpop.com/wp-content/uploads/2017/06/religiao-700x393.jpg

A Verdadeira Igreja Católica

1º É a Igreja mariana, que ama a Mãe de Deus com um zelo especial, que reza o rosário diariamente, que a venera nos quatro dogmas já proclamados e que escuta as mensagens e advertências que nos deixou em suas aparições.

A Falsa Igreja Católica - A Igreja que se recusa a dar importância a Maria porque, supostamente, isso nos distancia dos protestantes. A Virgem não aparece: aqueles que acreditam em suas mensagens e em suas aparências têm uma fé imatura.

2ª A Igreja Católica é a única Igreja fundada por Cristo, a única verdadeira.

A Falsa- Todas as denominações Protestantes e Ortodoxas são também Igreja.

3º O verdadeiro ecumenismo é converter protestantes e ortodoxos e trazê-los de volta à Igreja Católica.

A Falsa- Não devemos converter protestantes e ortodoxos porque cada um deles tem uma parte da verdade: a Igreja como um poliedro (sic). Ecumenismo significa unir a qualquer preço e para isso devemos eliminar o conceito de transubstanciação e os dogmas marianos.

4º Extra ecclesiam nulla salus: Cristo é Deus e só Ele salva. Não nos foi dado outro nome debaixo do Céu pelo qual possamos ser salvos. Quem nega sua divindade é anti-Cristo.

A Falsa- Não há que converter judeus, muçulmanos, budistas, hinduístas, etc. Afinal, eles também acreditam em Deus Pai.

5º A misericórdia de Deus só nos é proveitosa quando a aceitamos através da confissão de nossos pecados no confessionário, com dor de nossos pecados e propósito de emenda. Confissões nas quais não há propósito de mudança ou disposição para deixar uma situação de pecado público são inválidas.

A Falsa- Todas as pessoas se salvam. Na melhor das hipóteses, apenas aqueles que exploram as pessoas e os gangsters vão para o inferno.

6º O adultério é um ato intrinsecamente mau (Veritatis Splendor) e, portanto, é um pecado mortal (Lc 16, 18).

A Falsa- O adultério não é um pecado mortal. As circunstâncias devem ser avaliadas e Cristo não é um tirano que impede que uma pessoa divorciada tenha uma segunda chance e mais quando a pessoa divorciada foi abandonada por seu cônjuge.

7º A sodomia é pecado mortal e é um dos pecados que clamam ao céu.

A Falsa- Não é, porque o importante é o amor.

8º Aborto é um ato intrinsecamente mau, é um pecado mortal e envolve excomunhão automática para quem pratica, quem se submete a ele e para quem ajuda ou apóia a mulher que aborta (Canon 1398 CDC).

A Falsa- Depende das circunstâncias. Precisamos entender as mulheres que abortam.

9º Cristo está real e substancialmente presente na Eucaristia, com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.

A Falsa- A Eucaristia é uma mera memória da última ceia do Senhor, uma metáfora. O importante é a comunhão ou unidade das pessoas com elas mesmas na missa.

9º Há que se amar a Deus acima de todas as coisas. Há que se ter amor ao seu próximo como a si mesmo pelo amor de Deus. O amor por Deus nunca compete com o amor pelos homens.

A Falsa- O mais importante é amar os homens e ajudá-los no progresso material. Amar a Deus em demasia nos afasta dos outros. Aqueles que amam a muito a Deus através da adoração, no cuidado da liturgia, etc. Esses são fariseus.

10º Para ser salvo, você tem que guardar os mandamentos de Deus e fazer boas obras. Devemos aderir ao ensinamento da Igreja em sua totalidade.

A Falsa- Você tem que ser "criativo": o importante não é o ensino, mas o amor dos pobres. Aqueles que seguem o ensinamento são fariseus. A única lei de Cristo é amar o próximo. O resto é rigorismo.

11º Celibato sacerdotal é um tesouro para a Igreja.

A Falsa- O celibato é uma lei insuportável e impiedosa.

12º Somente quem aceita o ensinamento da Igreja em plenitude pode receber a comunhão.

A Falsa- Todos podem comungar: Cristo não quer que haja separações entre o bons e os maus.

13º Faltar deliberadamente a missa aos domingos e dias festivos (quando você pode ir) é um pecado mortal.

A Falsa- Faltar a missa aos domingos e dias festivos não é um pecado grave: o importante é amar o próximo. No final da nossa vida, seremos julgados pelo amor, não pelas vezes que fomos à missa.

14º A emigração é uma tragédia e devemos colocar meios para evitá-la. Antes de emigrar, as pessoas têm o direito de não emigrar. Os Estados têm o direito de controlar suas fronteiras e impedir que pessoas indesejáveis entrem em seus países. Devemos distinguir entre refugiados por perseguições religiosas (cristãos perseguidos), que devem acessar nossos países, entre emigrantes econômicos e entre eles e emigrantes por interesse ou invasão. Os Estados devem ajudar na fonte, não favorecer a aceitação indiscriminada dos migrantes. Nós devemos preferivelmente aceitar cristãos.

A Falsa- Devemos permitir a todos que quiserem entrar. Os estados não devem ter fronteiras. A segurança nacional deve estar por trás desta máxima. Essa é a autêntica caridade.

15 A liturgia deve ser séria e cuidadosa porque dá glória a Deus. A maneira como você adora o Senhor determina sua fé (lex orandi, lex credendi).

A Falsa- A liberdade litúrgica e a criatividade são boas. Você tem que tornar as missas agradáveis: neste um bom exemplo são os pentecostais, com muitas canções, palmas e danças. Devemos evitar os silêncios nas missas.

16º O inferno existe. É dogma da fé. Cristo fala muitas vezes sobre ele.

A Falsa- O inferno não existe. É uma metáfora. Todos se salvam. Ou, em qualquer caso, as almas ruins são aniquiladas. Não é na lógica do Evangelho que ninguém seja eternamente condenado.

17º O pecado original existe e deixou ferido a natureza humana e com tendência à concupiscência, embora não tenha eliminado o arbítrio do homem para, com graça, poder fazer o bem.

A Falsa- Não há pecado original, pois o homem vem do macaco. A evolução das espécies (também do homem) é indiscutível.

18º  A Bíblia é a Palavra de Deus. Sua primeira interpretação deve ser literal. Deve ser interpretado de acordo com o magistério da Igreja.

A Falsa- A Bíblia deve ser reinterpretada de acordo com os gêneros literários de cada livro. Nunca devemos interpretá-lo literalmente. Milagres não foram milagres porque Cristo não fez mágica. Qualquer elemento sobrenatural deve ser removido e o método crítico-histórico aplicado. Todos devem interpretar a Bíblia de acordo com suas próprias circunstâncias e mentalidades.

19º Para salvar a si mesmo, não é suficiente acreditar em Cristo. Nós devemos fazer boas obras e guardar os mandamentos.

A Falsa- Cristo não pede o impossível: todos que crêem nele são salvos. Sua misericórdia é infinita.

20º Não há situação, por mais dura que seja, que não possa ser superada pela graça de Deus, é por isso que os padres podem viver em castidade, os maridos são fiéis aos esposos e os separados ou aqueles que têm tendências homossexuais podem e devem viver castidade e continência.

A Falsa- Ninguém pode pedir a uma pessoa divorciada que viva em castidade pelo resto de sua vida: isso seria cruel. E pela mesma razão, ninguém pode pedir a um gay que viva em castidade. Ou um padre que é celibatário. Ou para uma pessoa casada que seja sempre fiel ao seu cônjuge.

21º Sexo só é permitido dentro do casamento canônico. Aqueles que vivem em união civil ou em uniões livres estão em pecado mortal.

A Falsa- O importante é o amor: qualquer união é válida porque implica um compromisso. Até mesmo alguns casamentos gays têm virtudes dignas de admiração, como a fidelidade que se têm um pelo outro.

22º A missão da Igreja é salvar almas

A Falsa- A missão do sacerdote é acompanhar a todos em sua vida, sem pedir conversão.

23º Há que missionar para salvar as almas daqueles que não ouviram falar de Deus ou aqueles que estão no erro de outras religiões. Fora da Igreja, somente aqueles que praticam a religião natural inscrita por Deus nos corações de todos os homens são salvos, desde que tenham ignorância invencível e isso é muito difícil quando um povo é pagão ou quando alguém pratica religiões que impõem elementos contrários ao lei natural.

A Falsa- Não tem sentido em missionar para converter todos à Igreja Católica, já que todas as religiões são formas válidas de serem salvas. Até um ateu ou pagão é salvo. Os missionários devem limitar-se a ajudar o desenvolvimento econômico e social das populações para onde são enviados.

24º Somente estando em graça se pode merecer: boas obras feitas sem estar na graça não servem como méritos para serem salvas.

A Falsa- Todas as boas obras salvam. Por exemplo, aqueles que trabalham em uma ONG e fazem coisas boas, mesmo que não acreditem em Cristo ou estejam em graça, merecem sobrenaturalmente.

25º A Eucaristia é o centro e o auge da vida cristã.

A Falsa- O pico e o auge da vida cristã devem ser o homem, o irmão, o próximo. Dar importância à Eucaristia e concebê-la como transubstanciação nos afasta dos protestantes e do ecumenismo.

26º O Papa só é infalível quando, no Concílio Ecumênico, proclama um dogma em matéria de fé ou moral

A Falsa- Tudo o que o papa diz é infalível e deve ser obedecido em tudo, porque o papa nunca erra (aplicável apenas ao atual papa, não aos anteriores).

27º A falsa obediência não é católica: obedecer a uma ordem de um superior que atente contra a fé ou a moral ou que leve ao pecado é pecado em si.

A Falsa- Quem obedece nunca está errado: ele sempre obedece, mesmo as ordens erradas ou contrárias à fé ou à moral, porque o culpado seria o mandante, nunca você.

28º Somente aqueles que estão na graça de Deus podem comungar. Comunhão em pecado mortal é pecado mortal de sacrilégio e quem come o corpo do Senhor indignamente engole sua própria condenação.

A Falsa- Isso é discriminatório: todos devem comungar, pois a misericórdia de Deus é infinita e a Eucaristia é um remédio.

29º A Segunda Vinda do Senhor ou Parousia é um dogma de fé e é íntima (Pio XII ou Paulo VI e a Virgem disseram em uma multidão de aparições aprovadas) e deve ser pregada sobre ele para que os fiéis estejam preparados para o que está por vir: grande apostasia da Igreja, do Anticristo e do falso profeta, grande tribulação e triunfo final do Senhor em Sua Vinda. Devemos discernir os sinais dos tempos e a apostasia que já temos, embora dói. Fechar isso é um grave pecado de omissão porque faz com que os fiéis ignorem essas questões.

A Falsa- Nunca devemos falar de apocalipse ou escatologia, porque isso cria medo entre os fiéis e é de spoilers e pessimistas: a Igreja triunfará por si mesma no mundo e todo o progresso humano é bom. Portanto, falar sobre a segunda vinda de Cristo é inconveniente; ninguém sabe o que significa apocalipse e será, em qualquer caso, em milhares de anos. Melhor calar sobre essas questões.

30º Os verdadeiros profetas sempre foram aqueles que chamaram o povo à conversão antes da atual apostasia. Um bom sacerdote deve agir como um profeta e alertar sobre o pecado mortal e a necessidade de viver na graça para salvar a si mesmo. Especialmente eles devem desmascarar pecados mortais admitidos socialmente, como adultério, sodomia, aborto, contracepção, eutanásia ou impureza. Os falsos profetas são aqueles que falam de um presente e um futuro cor-de-rosa para a Igreja.

A Falsa- Os falsos profetas são os profetas das calamidades. A Igreja está indo muito bem e o que está por vir será ainda melhor. Os fariseus e fundamentalistas são amargos. Os sacerdotes, nas suas homilias, só deveriam falar da infinita misericórdia do Senhor, que já nos salvou com a sua paixão.

31º Sacerdotes e religiosos, como diz o CDC (numerais 284 e 669), devem usar batinas, trajes religiosos ou distintivos eclesiásticos. O sacerdote e os religiosos são consagrados a Deus e devem também se diferenciar fora dos leigos: isso os ajuda a obter mais respeito dos outros, para que qualquer um possa pedir confissão a qualquer momento e que o trato com as mulheres seja mais sério Devem evitar, ainda mais rigorosamente que os leigos, se possível, lugares que possam dar lugar a ocasiões de pecado.

A Falsa- O sacerdote não deve ser distinguido dos leigos. Eles devem fazer tudo o que os leigos fazem e, quanto mais integrados estiverem no mundo, melhor para todos. Os sacerdotes devem ir às praias para descansar e ter o mesmo lazer que os leigos.

32º O bom cristão deve ser sal e fermento: avise os outros sobre a necessidade de conversão para se salvarem e não comparecerem a cerimônias não-cristãs. Se você não pedir a conversão ao seu irmão, Deus lhe pedirá para contar (Mt 18, 15 e Ezeq. 33, 7-9). Mas para fazer isso, você deve primeiro remover o feixe de seus olhos, isto é, sua vida deve ser exemplar, você não pode ser um pecador público e você deve viver na graça de Deus. Não sejas hipócrita.

A Falsa- Um bom cristão deve viver e deixar viver: nada para convencer sodomitas ou divorciados se casaram novamente sobre a necessidade de conversão para se salvar, por exemplo. Isso é um sinal de farisaísmo e hipocrisia.

33º O católico deve levar uma vida coerente com sua fé: ele deve expressar seu credo em público, com caridade, mas com firmeza. Se isso lhe trouxer perseguição, eles serão medalhas que Cristo coloca em seu peito (Mt 5, 10-12). O martírio nunca é insignificante para um católico, embora você não deva procurá-lo porque é uma graça concedida por Deus.

A Falsa- Apenas seja católico entre os católicos e em casa. Em público, você não deve expressar sua fé, porque isso só lhe trará problemas e, ao fazê-lo, você não respeitará a liberdade dos outros ou o secularismo de nossa sociedade.

34º Cristo deve reinar em tudo humano. Um católico não deve obedecer a leis contrárias à sua fé ou moral e, nesses casos, deve exercer objeção de consciência, a qualquer custo.

A Falsa- Vivemos na democracia: devemos aceitar as leis votadas pela soberania popular, mesmo que sejam contrárias à nossa fé. Opor-se a eles não é democrático porque todos nós temos os mesmos direitos.

35º Um bom católico deve frequentar os sacramentos: ir à Missa diária sempre que possível e confessar pelo menos uma vez por mês.

A Falsa- Isso é um sinal do farisaísmo. Aqueles que dizem que amam muito a Deus mais tarde não amam o próximo.

36º O ensinamento de João Paulo II e BXVI é um cerco contra o modernismo e um resumo do ensinamento habitual da Igreja e sua tradição (Veritatis Splendor, Familiaris Consortio, Evangelium Vitae, Redemptoris Mater, Ecclesia de Eucharistia ...

A Falsa- Esses Papas eram uns rígidos. Seu ensinamento é irrealizável e falta de misericórdia pelo rigor. Nós gostamos do ensino atual: Amoris Laetitia ou Laudato Si´.

37º Importância dos sacramentais para lutar contra o diabo: crucifixos, rosários, água benta, etc.

A Falsa- Paparruchas Essas são crenças medievais. O diabo não existe como um ser. É uma metáfora do mal.

38º Cristo realmente ressuscitou. É o evento histórico mais importante da história. Ele apareceu a sua mãe e discípulos por 40 dias e depois subiu ao céu, onde está sentado, com seu corpo glorioso, à direita do Pai.

A Falsa- A ressurreição não foi real: é uma crença humana gerada pela emoção dos apóstolos, pelo desejo que eles tinham de ver Jesus novamente. Cristo ressuscitou nos corações dos fiéis, mas não realmente. A cruz terminou em fracasso. Logo seu túmulo será encontrado.

39º Liberalismo é pecado.

A Falsa- Se deve permitir que todos na democracia tenham sua própria opinião e todos sejam igualmente respeitáveis.

40º Você não pode pertencer ou votar em partidos que apoiam ou exaltam pecados mortais, como aborto, sodomia ou eutanásia.

A Falsa- Se pode ser perfeitamente cristão e pertencer ou votar em qualquer partido político, porque você tem que separar o que é de César do que é de Deus. É suficiente que você não apoie o aborto ou a eutanásia.

Fonte: https://comovaradealmendro.es/2019/08/10/las-dos-iglesias/

 
 
 

Artigo Visto: 1079 - Impresso: 15 - Enviado: 6

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.628.220 - Visitas Únicas Hoje: 558 Usuários Online: 181