"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
10/09/2019
Leigos protestam contra o bergoglianismo em Roma
 

Leigos protestam contra o bergoglianismo em Roma

09 de setembro de 2019

https://www.churchmilitant.com/images/social_images/2019-09-09_Lay_Catholics_Demand_Change_in_Rome.jpg

ROMA (ChurchMilitant.com) - Um grupo de fiéis católicos está lançando uma campanha de oração para livrar o Vaticano da corrupção, organizado por um "grupo de amigos católicos, leigos e consagrados", "Rezemos pela Igreja!" acontecerá no dia 5 de outubro, véspera do Sínodo da Amazônia, em Roma.

Explicando sua motivação, os organizadores citam o lamento da Sexta-feira Santa de 2005 de Joseph Ratzinger: "Quanta sujeira há na Igreja, e mesmo entre aqueles que, no sacerdócio, deveriam pertencer a Ela completamente!"

O anúncio da campanha lista 10 "graças" que os participantes pedem a Deus:

- Que os escândalos sexuais e financeiros que desfiguram a face da Igreja parem, e que o clero envolvido nesses escândalos não seja promovido a posições de liderança, mas, pelo contrário, seja removido e convidado a se arrepender;

-que o depositum fidei [depósito da fé], do qual ninguém na Igreja de Cristo, nem mesmo o Papa, como mestre, não deve ser adulterado;

- que famílias religiosas, bispos, padres e professores fiéis a Cristo e à Igreja já não sejam mais assumidos [comissionados], perseguidos ou demitidos sem acusações concretas e verificadas, pelo único motivo de sua ligação à "fé" de todos os tempos ";

-que a hierarquia da Igreja seja corajosa na pregação do Evangelho e mostre seus santos como um exemplo para os fiéis, não para aqueles que dividiram e dilaceraram a Igreja (como o monge Martin Lutero, no passado), ou para aqueles que lutam contra a vida apoiando diariamente o aborto, drogas gratuitas e eutanásia ... (como Emma Bonino, nos tempos atuais);

-que a prioridade daqueles que lideram a Igreja seja proclamar a fé em Jesus Cristo Salvador, deixando a "César, o que é de César",

e evitem atuar como sociólogos, cientistas políticos, climatologistas ...

- que os homens da Igreja não deixem de proclamar os "princípios não negociáveis", em particular a defesa da vida e da família, e critiquem a cultura da morte e a ideologia de gênero;

- que o amor à Criação não se confunda com a ecologia pagã e panteísta, nem a "misericórdia" de Deus com o relativismo moral e o indiferentismo religioso;

-que escutemos o clamor vindo da igreja africana ("Que o Ocidente não engane nossos jovens emigrantes com falsos mitos e falsas promessas!") e as igrejas da Europa Oriental que repitam, com João Paulo II, que "o país de um também seja uma mãe para cada pessoa, de uma maneira muito verdadeira "e que a" defesa da própria identidade "não tem nada a ver com outras aberrações;

- que os católicos chineses não sejam sacrificados ao regime ditatorial comunista em nome de acordos impossíveis e injustos, como o Cardeal Zen Ze-kiun denunciou repetidamente;

-que os cristãos perseguidos em todo o mundo, que enfrentam tortura e morte pelo bem de Cristo, já não escutem mais de Roma que Alá e Jesus Cristo são o "mesmo Deus".

Os sofrimentos da Igreja vêm precisamente de dentro da Igreja, do pecado que existe na Igreja.Os observadores da Igreja reconheceram nas petições, condenando-as direta ou indiretamente, várias iniciativas do Papa Francisco, como acusação do atual pontificado. Estas  iniciativas incluem a nomeação de predadores acusados para posições de alto escalão no Vaticano (por exemplo, padre Gustavo Zanchetta, padre Edgar Peña Parra); o "golpe" projetado no Instituto Juan Pablo II; elogios às ativistas do aborto Emma Bonino, da Itália, e Lilianne Ploumen, da Holanda; a promoção da ideologia neopagã através do Sínodo da Amazônia; a demonização dos defensores da segurança nas fronteiras; a traição da Igreja clandestina na China; e a afirmação, através da Declaração de Abu Dhabi, de que Deus deseja uma "diversidade de religiões".

Reiterando seu pedido de uma limpeza divina da Igreja, os organizadores apontam outro aviso dado pelo Papa Bento XV em Fátima, maio de 2010 (AP / Paulo Duarte) "Os sofrimentos da Igreja vêm precisamente de dentro da Igreja, do pecado que existe na Igreja ", alertou o pontífice durante sua viagem a Fátima em maio de 2010." Hoje vemos isso de uma maneira verdadeiramente aterradora: que a maior perseguição à Igreja não vem de seus inimigos externos, mas surge do pecado interno da Igreja ", acrescentou.

Em seu anúncio, os organizadores lembram: "Como cardeal e como papa, Bento XVI queria nos lembrar que na Igreja existem homens que não são 'da Igreja', que realmente não pertencem a Ela e que, de fato, trabalham mais do que nunca para a sua destruição”.

E acrescentam: "Os vilões e hipócritas que estão na Igreja", disse Santo Agostinho em De Civitate Dei [A Cidade de Deus], um dia se tornarão na maioria, de acordo com a profecia de São Paulo na Segunda Carta aos Tessalonicenses ". .

Reze pela Igreja! Acontecerá no sábado, 5 de outubro, às 14h30. hora local (8:30 da manhã ET).

Os participantes se encontrarão a leste do Vaticano no Largo Giovanni XXIII, uma praça nos arredores de Castel Sant'Angelo. Aqueles que não podem comparecer pessoalmente são convidados a se unir em oração mesmo de longe.

Fonte: https://religionlavozlibre.blogspot.com/2019/09/laicos-protestaran-contra-el.html?

 
 
 

Artigo Visto: 331 - Impresso: 7 - Enviado: 3

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.672.543 - Visitas Únicas Hoje: 1.448 Usuários Online: 274