"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
28/10/2019
Bispo Schneider condena a estátua de Pachamama como 'novo bezerro de ouro' em carta aberta
 

Bispo Schneider condena a estátua de Pachamama como 'novo bezerro de ouro' em carta aberta

Sáb 26 Out 2019 - 11:17 EST

https://assets.lifesitenews.com/images/made/images/remote/https_www.lifesitenews.com/images/local/Bishop_Schneider_credit_Edward_Pentin_810_500_75_s_c1.jpeg

Por Diane Montagna

ROMA, 26 de outubro de 2019 (LifeSiteNews) - O bispo Athanasius Schneider emitiu hoje uma carta aberta condenando com força o uso da estátua de Pachamama no Sínodo da Amazônia no Vaticano.

Na carta aberta de 26 de outubro, o bispo Schneider também está pedindo a todos os católicos - bispos, padres e leigos - que ofereçam atos de reparação, protesto e correção pelo uso das estátuas de Pachamama, que ele chama de "novo bezerro de ouro".

O Bispo Schneider escreve: "Sincretismo e paganismo são como venenos que entram nas veias do Corpo Místico de Cristo, a Igreja".

Ele continua: “Como sucessor dos apóstolos, encarregado do cuidado do rebanho de Deus, não posso ficar calado diante da flagrante violação da santa vontade de Deus e das conseqüências desastrosas que isso terá sobre as almas individuais, a Igreja como um todo, e de fato toda a raça humana. É, portanto, com muito amor pelas almas dos meus irmãos e irmãs que escrevo esta mensagem. ”

Em comentários na sexta-feira, o Papa Francisco confirmou que várias estátuas de uma mulher grávida sem roupa - que foram usadas em uma cerimônia nos Jardins do Vaticano em 4 de outubro, processadas na Basílica de São Pedro e mantidas em um altar lateral à Igreja de Santa Maria em Traspontina na via della Conciliazione - são símbolos da “Pachamama”. Falando aos bispos e outros participantes do sínodo no sínodo, o papa pediu perdão àqueles que foram ofendidos pelas estátuas retiradas da igreja Traspontina e jogadas no rio Tibre.

O Papa Francisco informou aos participantes do Sínodo que as estátuas foram recuperadas do Tibre e disse que elas podem ser exibidas na missa de encerramento do Sínodo no domingo, 27 de outubro.

Abaixo, o texto completo da carta aberta do bispo Athanasius Schneider.

1. “Você não terá outros deuses diante de mim”, diz o Senhor Deus, como o primeiro dos mandamentos (Êx 20: 3). Entregue originalmente a Moisés e ao povo hebreu, esse comando permanece válido para todas as pessoas e todos os tempos, como Deus nos diz: “Vocês não esculpirão ídolos na forma de qualquer coisa no céu acima ou na terra abaixo ou na terra. águas sob a terra; você não se curvará diante deles nem os adorará ”(Êx 20: 4-5). Nosso Senhor Jesus Cristo manteve esse mandamento perfeitamente. Quando ofereceu os reinos do mundo se ele apenas se curvasse ao diabo, Jesus respondeu: “Começa, Satanás! pois está escrito: 'Adorarás o Senhor, teu Deus, e só ele servirás' ”(Mt 4:10; Dt 6: 13-14). O exemplo de Cristo é, portanto, da maior importância para todas as pessoas que desejam "o verdadeiro Deus e a vida eterna"; como São João Apóstolo nos exorta: “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos” (1 João 5: 20-21).

Em nossos dias, essa mensagem tem uma importância especial, pois o sincretismo e o paganismo são como venenos que entram nas veias do Corpo Místico de Cristo, a Igreja. Como sucessora dos apóstolos, encarregada do cuidado do rebanho de Deus, não posso ficar calada diante da flagrante violação da santa vontade de Deus e das conseqüências desastrosas que isso terá sobre as almas individuais, a Igreja como um todo e, de fato, toda a raça humana. É, portanto, com muito amor pelas almas dos meus irmãos e irmãs que escrevo esta mensagem.

2. Em 4 de outubro de 2019, na véspera do Sínodo Amazônico, foi realizada uma cerimônia religiosa nos Jardins do Vaticano, na presença do Papa Francisco e de vários bispos e cardeais, liderados em parte por xamãs e objetos simbólicos. foram usados; ou seja, uma escultura de madeira de uma mulher grávida sem roupa. Essas representações são conhecidas e pertencem a rituais indígenas das tribos amazônicas e, especificamente, ao culto à chamada Mãe Terra, a Pachamama. Nos dias seguintes, as figuras femininas nuas de madeira também foram veneradas na Basílica de São Pedro, em frente à Túmulo de São Pedro. O Papa Francisco também cumprimentou dois bispos carregando o objeto Pachamama nos ombros, processando-o no Salão do Sínodo, onde foi colocado em um local de honra. Estátuas de Pachamama também foram expostas na igreja de Santa Maria, na Traspontina.

Em resposta aos protestos dos fiéis católicos a respeito desses ritos e do uso dessas estátuas, porta-vozes do Vaticano e membros de comitês do Sínodo da Amazônia subestimaram ou negaram o evidente caráter sincretístico religioso das estátuas. Suas respostas, no entanto, foram evasivas e contraditórias; eram atos de acrobacias intelectuais e negações de evidências óbvias.

A empresa americana de mídia visual “Getty Images” fez uma fotografia oficial da imprensa deste ritual com esta descrição: “O papa Francisco e o cardeal Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo, presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM), diante de uma estátua representando Pachamama (Mãe Terra). ”O Rev. Paulo Suess, participante do Sínodo da Amazônia, não deixou dúvidas quanto ao caráter pagão das cerimônias com as imagens de madeira nos Jardins do Vaticano e se atreveu a receber os ritos pagãos , dizendo: “Mesmo que este fosse um rito pagão, é, no entanto, um culto pagão a Deus. Não se pode descartar o paganismo como nada ”(17 de outubro, entrevista no Vatican News). Em uma declaração oficial, em 21 de outubro, a Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM) condenou o ato heróico dos cavalheiros que jogaram as imagens de madeira no Tibre como um ato de "intolerância religiosa". Eles desmascararam as mentiras e truques. com o qual negaram o caráter religioso das veneradas imagens de madeira. Voluntários da Igreja Carmelita Santa Maria, em Traspontina, onde foram exibidas as estátuas de madeira, corroboraram com esta afirmação, dizendo: “A mãe [esculpida] que eu trouxe do Brasil ... que estava na procissão, nós a trouxemos do Brasil. Foi feito por um artista indígena, e pedimos a ele uma obra de arte que simbolizasse toda essa conexão da Mãe Terra, das mulheres, o aspecto feminino de Deus, que Deus é quem protege e nutre a vida ”, ela disse, chamando isso de símbolo da "Mãe Terra" e da "Pachamama".

Fontes objetivas observam que o Pachamama é um objeto de veneração, uma deusa à qual alguns bolivianos sacrificam lhamas, uma divindade terrestre adorada por alguns peruanos, enraizada nas crenças e práticas pagãs dos Incas.

3. Os católicos não podem aceitar nenhum culto pagão, nem qualquer sincretismo entre as crenças e práticas pagãs e as da Igreja Católica. Os atos de adoração de acender uma luz, de curvar-se, de prostrar-se ou debruçar-se profundamente no chão e dançar diante de uma estátua feminina sem roupa, que não representa Nossa Senhora nem um santo canonizado da Igreja, viola os primeiros mandamentos de Deus: “Você não haverá outros deuses diante de mim ”e a proibição explícita de Deus, que ordena:“ Cuidado para que você não levante os olhos para o céu, e quando você vê o sol, a lua e as estrelas, todo o exército do céu, você estará atraídos e adorá-los e servi-los, coisas que o Senhor teu Deus atribuiu a todos os povos debaixo de todo o céu ”(Dt 4:19), e:“ Não farás para vós nem ídolos nem imagem de escultura, nem criarás para vós. levantai uma imagem permanente, e nenhuma imagem de pedra na tua terra vos curvará; porque eu sou o Senhor vosso Deus ”(Lv 26: 1).

Os apóstolos proibiram até as menores alusões ou ambigüidades com relação a atos de ídolos veneradores: “E que acordo tem o templo de Deus com os ídolos?” (2 Cor 6: 15-16) e “Fugem da idolatria. As coisas que os gentios sacrificam, sacrificam aos demônios, e não a Deus; e eu não gostaria que você tivesse comunhão com os demônios. Você não pode beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não pode ser participante da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Provocamos o Senhor ao ciúme? Somos mais fortes que ele? ”(1 Cor 10:16, 21-22).

São Paulo, sem dúvida, diria a todos que participaram ativamente dos atos de veneração das estátuas de Pachamama, que simbolizam coisas materiais ou criativas, estas palavras: “Mas agora, depois que você conhece a Deus, ou melhor, é conhecido por Deus : como voltar novamente aos elementos fracos e necessitados, aos quais deseja servir novamente? ”(Gal 4: 9). Os pagãos, de fato, adoravam os elementos como se fossem seres vivos. E, observando os atos religiosos sincretistas ou pelo menos altamente ambíguos nos Jardins do Vaticano, na Basílica de São Pedro e na igreja de Santa Maria em Traspontina, São Paulo dizia: “Eles adoraram e serviram a criatura em vez do Criador, que é abençoado para sempre ”(Rom 1:25).

Todos os verdadeiros católicos, que ainda têm o espírito dos apóstolos e dos mártires cristãos, deveriam chorar e dizer sobre as cerimônias pagãs que ocorreram na Cidade Eterna de Roma, parafraseando as palavras do Salmo 79: 1: “Ó Deus, o pagãos entraram na tua herança; tua cidade santa de Roma eles contaminaram; eles colocaram Roma em ruínas ”

4. A tradição ininterrupta da Igreja evitou as menores ambiguidades ou colaborações com atos idólatras. As explicações dadas pelos porta-vozes do Vaticano e por pessoas ligadas ao Sínodo da Amazônia, a fim de justificar a veneração religiosa da figura de madeira de uma mulher grávida e nua, eram muito semelhantes aos argumentos dados pelos pagãos na época dos Padres da Igreja, conforme relatado por Santo Atanásio. Santo Atanásio refutou os pseudo-argumentos dos pagãos, e suas refutações se aplicam totalmente às justificativas dadas pelas autoridades do Vaticano. Santo Atanásio disse: “Eles se gabarão de que adoram e servem, não meros estoques e pedras e formas de homens e pássaros irracionais e coisas e bestas rastejantes, mas o sol e a lua e todo o universo celestial e a terra, deificando assim a criação ”(Contra Gentiles, 21, 1-3) e:“ Eles combinarão todos juntos, como constituindo um corpo único, e dirão que o todo é Deus ”(Contra Gentiles, 28, 2). "Em vez do Deus real e verdadeiro, eles divinizaram as coisas que não eram, servindo à criatura e não ao Criador (ver Rom. 1:25), envolvendo-se assim em loucura e impiedade" (Contra Gentiles, 47, 2).

O apologista do século II Athenágoras disse sobre a veneração dos elementos materiais pelos pagãos: “Eles divinizam os elementos e suas várias partes, aplicando nomes diferentes a eles em momentos diferentes. Dizem que Cronos é tempo, e Rhea a terra, e que ela engravida de Cronos, e produz, de onde é considerada a mãe de todos. Faltando descobrir a grandeza de Deus, e não sendo capazes de elevar-se ao alto com sua razão (pois não têm afinidade com o lugar celestial), eles se escondem entre as formas da matéria e enraízam-se na terra, divinizam as mudanças de os elementos ”(Apol. 22).

As seguintes palavras do Segundo Concílio de Nicéia são totalmente aplicáveis ​​a todos os clérigos, que apoiaram os atos religiosos sincretísticos acima mencionados em Roma: “Muitos pastores destruíram minha videira, contaminaram minha porção. Pois eles seguiram homens profanos e confiando em seus próprios frenéticos, caluniaram a santa Igreja, que Cristo nosso Deus esposou para si mesmo, e falharam em distinguir o santo do profano, afirmando que os ícones de nosso Senhor e de seus santos não eram. diferente das imagens de madeira de ídolos satânicos. "

Conforme estabelecido pelo Segundo Concílio de Nicéia, a Igreja permite a veneração com gestos exteriores de adoração, como reverências, beijos e bênçãos, sem outros símbolos, gravuras ou estátuas, mas “os ícones de nosso Senhor Deus e Salvador Jesus Cristo, o de Nossa Senhora Theotokos, as dos veneráveis ​​anjos e as de todas as pessoas santas. Sempre que essas representações são contempladas, elas fazem com que aqueles que olham para elas comemorem e amem seu protótipo. ”

5. Os que crêem no único Deus verdadeiro sempre trabalharam para eliminar a adoração de falsos deuses e para remover suas imagens do meio do povo santo de Deus. Quando Hebreus se curvaram diante da estátua do Bezerro de Ouro - encorajados e encorajados pelo alto clero - Deus condenou tais atos. Seu servo Moisés também condenou esses atos de “acolhimento e tolerância” em relação às divindades indígenas locais da época e moeu a estátua em pó e a espalhou na água (ver Êx 32:20). Da mesma forma, os levitas foram elogiados por parar todos os que adoravam o bezerro de ouro (Êx 32: 20,29). Ao longo dos tempos, os verdadeiros católicos também têm trabalhado para derrubar os "poderes desta escuridão atual" (Ef 6:12) e a veneração das imagens que os representam.

Em meio à consternação e choque pela abominação perpetrada pelos atos religiosos sincretistas no Vaticano, toda a Igreja e o mundo testemunharam um ato altamente meritório, corajoso e louvável de alguns bravos senhores cristãos, que em 21 de outubro expulsaram as estátuas de madeira idólatras de a Igreja de Santa Maria em Traspontina, em Roma, e as jogou no Tibre. Como novos Macabeus, eles agiram no espírito da santa ira de Nosso Senhor, que expulsou os mercadores do templo de Jerusalém com um chicote. Os gestos desses homens cristãos serão registrados nos anais da história da Igreja como um ato heróico que trouxe glória ao nome cristão, enquanto os atos de clérigos de alto escalão, pelo contrário, que contaminaram o nome cristão em Roma, continuarão. na história como atos covardes e traiçoeiros de ambiguidade e sincretismo.

O Papa São Gregório Magno, em uma carta a St. Aethelbert, o primeiro rei cristão da Inglaterra, exorta-o a destruir imagens idólatras: “Suprima a adoração de ídolos; derrubar seus edifícios e santuários ”(Bede, História Eclesiástica, Livro I).

São Bonifácio, o apóstolo da Alemanha, derrubou por sua própria mão um carvalho dedicado ao ídolo Thor ou Donar, que não era apenas um religioso, mas também um símbolo da proteção dos soldados, da vegetação e até da fertilidade dos indígenas. cultura das tribos germânicas.

São Vladimir, o primeiro príncipe cristão em Kiev, teve os ídolos de madeira que ele havia erguido, derrubados e cortados em pedaços. A estátua de madeira do deus pagão principal, Perun, ele lançou no rio Dnieper. Este ato de São Vladimir lembra muito o ato heróico daqueles senhores cristãos, que em 21 de outubro de 2019 jogaram as estátuas de madeira da cultura indígena pagã das tribos da Amazônia no rio Tibre.

Se as ações de Moisés, de Nosso Senhor Jesus Cristo, expulsando violentamente os mercadores do Templo, de São Bonifácio e São Vladimir, tivessem ocorrido em nossos dias, os porta-vozes do Vaticano certamente os teriam condenado como atos de ordem religiosa e cultural. intolerância e roubo.

6. A frase do documento de Abu Dhabi, que diz: “O pluralismo e a diversidade de religiões, cor, sexo, raça e linguagem são desejados por Deus em Sua sabedoria” encontrou sua realização prática nas cerimônias do Vaticano sobre a veneração da madeira. estátuas, que representam divindades pagãs ou símbolos culturais indígenas da fertilidade. Foi a conseqüência prática lógica da declaração de Abu Dhabi.

7. Em vista dos requisitos da autêntica adoração e adoração ao Único Deus Verdadeiro, à Santíssima Trindade e a Cristo Nosso Salvador, em virtude de minha ordenação como bispo católico e sucessor dos apóstolos, e com verdadeira fidelidade e amor pelo Romano Pontífice, Sucessor de Pedro, e por sua tarefa de presidir a "Cathedra da verdade" (cathedra veritatis), condeno a veneração do símbolo pagão de Pachamama nos Jardins do Vaticano, na basílica de São Pedro, e na igreja romana de Santa Maria em Traspontina.

Seria bom para todos os verdadeiros católicos, primeiro e acima de tudo bispos, e também sacerdotes e leigos fiéis, formar uma cadeia mundial de orações e atos de reparação pela abominação da veneração de ídolos de madeira perpetrados em Roma durante o Sínodo da Amazônia. Diante de um escândalo tão evidente, é impossível que um bispo católico permaneça em silêncio, seria indigno de um sucessor dos apóstolos. O primeiro na Igreja que deve condenar tais atos e reparar é o Papa Francisco.

A reação honesta e cristã à dança em torno do Pachamama, o novo bezerro de ouro, no Vaticano deve consistir em um protesto digno, uma correção desse erro e, sobretudo, em atos de reparação.

Com lágrimas nos olhos e com sincera tristeza no coração, deve-se oferecer a Deus orações de intercessão e reparação pela eterna salvação da alma do papa Francisco, o vigário de Cristo na terra, e a salvação daqueles padres e fiéis católicos. que cometeram tais atos de adoração, que são proibidos pela Revelação Divina. Alguém poderia propor para esse objetivo a seguinte oração:

“A Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, recebe das mãos da Imaculada Mãe de Deus e da Virgem Maria sempre do nosso coração contrito um sincero ato de reparação pelos atos de adoração de ídolos e símbolos de madeira, ocorridos em Roma , a Cidade Eterna e o coração do mundo católico, durante o Sínodo da Amazônia. Derrame no coração de nosso Santo Padre Papa Francisco, dos Cardeais, dos Bispos, dos sacerdotes e dos fiéis leigos, seu Espírito, que expulsará as trevas das mentes, para que possam reconhecer a impiedade de tais atos, que ofendeu sua Majestade Divina e oferece a você atos públicos e privados de reparação.

Derrama em todos os membros da Igreja a luz da plenitude e beleza da Fé Católica. Acenda neles o fervoroso zelo de levar a salvação de Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, a todos os homens, especialmente às pessoas da região amazônica, que ainda são escravizadas a serviço de coisas fracas e perecíveis, como são. os símbolos e ídolos surdos e mudos da “mãe terra”, para todas as pessoas e especialmente para as tribos da Amazônia, que não têm a liberdade dos filhos de Deus e que não têm a felicidade indescritível de conhecer Jesus Cristo e ter Nele parte na vida de sua natureza Divina.

Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, você é o único Deus verdadeiro, além de Quem não há outro deus nem salvação, tenha misericórdia de sua Igreja. Olhe especialmente para as lágrimas e os suspiros contritos e humildes dos pequeninos da Igreja, olhe para as lágrimas e orações das crianças pequenas, dos adolescentes, dos rapazes e moças, dos pais e mães da família e também dos verdadeiros heróis cristãos, que no zelo pela sua glória e no amor pela Mãe Igreja jogaram na água os símbolos da abominação que a contaminaram. Tende piedade de nós: poupa-nos, ó Senhor, parce Domine, parce Domine! Tende piedade de nós: Kyrie eleison!

Fonte:https://www.lifesitenews.com/news/bishop-athanasius-schneider-issues-open-letter-condemning-pachamama-statue-as-new-golden-calf

 
 
 

Artigo Visto: 484 - Impresso: 3 - Enviado: 4

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.774.617 - Visitas Únicas Hoje: 856 Usuários Online: 235