"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
28/05/2020
De Fátima a Bréscia, a história de uma Madonnina especial
 

De Fátima a Bréscia, a história de uma Madonnina especial

28/05/2020

Tem uma história que exala mistério e fé, em grande parte inédita, a estátua de Nossa Senhora de Fátima confiada por alguns dias à Nova Bússola Quotidiana. Guardada por 55 anos por uma família bresciana, ela chegou à Itália graças a um filho espiritual do Padre Pio, muito devotado à Virgem, depois de um pedido "ousado" ao reitor do Santuário na Cova d'Iria. Contaremos os detalhes ...

https://lanuovabq.it/storage/imgs/madonna-di-fatima-2-large.jpg

Para admirá-lo de perto, ele aparece em toda a sua beleza, especialmente nas delicadas feições do rosto e dos olhos. Vívido. É uma das poucas estátuas - pelo menos em comparação com o tamanho - da Madona de Fátima hoje espalhada fora de Portugal e uma vez mantida dentro do Santuário na Cova d'Iria. [1] Vamos falar sobre a estátua que foi trazida para a capela da equipe editorial da Nuova Bussola Quotidiana na terça-feira 26 de maio, onde permanecerá até 6 de junho (e na frente da qual rezamos diariamente o Rosário no Facebook às 12h45).

Com cerca de 1,5 metro de altura, incluindo a base, e pesando 23 quilos, é guardada há 55 anos por uma família de Brescia, em uma capela dentro de sua casa. Sua história, muito particular, clara em suas características essenciais - completa com documentos oficiais - e envolta em mistério para os outros, está ligada à de um filho espiritual de São Pio de Pietrelcina, chamado Paolo, que retornou à Casa do Pai no início de 1999. Omitimos o sobrenome porque a família deseja a maior confidencialidade possível.

https://lanuovabq.it/storage/imgs/originals/madonna-di-fatima-in-cappellina-large.jpg

Precisamos passar algumas palavras preliminares sobre Paulo que, como um verdadeiro discípulo de Padre Pio, tentou ao máximo imitar sua ocultação. "Ele era um leigo consagrado, celibatário, com uma grande devoção a Nossa Senhora", diz o irmão, "mas não sabemos que tipo de consagração ele fez porque revelou pouco sobre si mesmo". Já na adolescência, acrescenta seu irmão, "Paulo começou a ajudar os doentes, essencialmente os moribundos, ajudando-os a morrer". Por volta de 23 a 24 anos, Paulo deixou sua terra natal e depois se despediu da família para se dedicar melhor a servir os idosos e os pobres. «Ele nos dizia muitas vezes:“ Nos meus bolsos há mais dinheiro do que em muitas empresas. Meu caixa é São José. Quando tenho pessoas para ajudar e não tenho dinheiro para ajudá-las, passo a noite em frente a São José e pela manhã recebo o necessário "».

Um dia, no meio de seus vários movimentos, Paolo esteve em San Giovanni Rotondo, por Padre Pio. O frade capuchinho disse-lhe: "Escute, vá a Brescia amanhã porque eles estão esperando você ir a Fátima". Paolo obedeceu e, quando chegou em casa, recebeu uma ligação. Quatro pessoas, incluindo uma dama que ele conhecia, pediram que ele se preparasse "porque partiremos para Fátima amanhã". Foi a primeira vez no santuário português.

https://lanuovabq.it/storage/imgs/originals/madonna-di-fatima-particolare-occhi-medium.jpg

Ele voltou a Fátima novamente, com outros quatro brescianos, em 1965. Era exatamente 13 de setembro de 65, véspera da reabertura da quarta e última sessão do Concílio Vaticano II, presidida por Paulo VI, também de Brescia (da Concesio). O pequeno grupo de Brescia trouxe com eles, como presente para a Madonna, uma Rosa de Ouro, feita por ourives locais. Linda. O reitor do santuário, Antonio Borges - que já havia recebido um em nome do papa Montini naquele mesmo ano - apreciou muito.

Paulo pulou a bola e avançou com seu ousado pedido: perguntou ao reitor se era possível levar a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima para a terra de Paulo VI. Atordoado, Borges teve que dizer não a ele. Mas Paolo não desistiu e perguntou se era possível trazer para a Itália a estátua da Capela das Aparições, a primeira de todas, concluída pelo escultor José Ferreira Thedim em 1920. Mais uma vez, desta vez o reitor do Santuário teve que, apesar de si mesmo, dizer não . A história do fato está contida em alguns jornais portugueses da época.

https://lanuovabq.it/storage/imgs/originals/novidades-del-14-settembre-1965-large.jpg

Mas algo mudou durante a noite. "No dia seguinte, o reitor - o irmão explica novamente para o Nuova Bussola - disse a Paolo que ele não tinha conseguido dormir e que havia tomado uma decisão. Ele não podia lhe dar nenhuma das duas estátuas solicitadas, mas poderia lhe dar uma terceira estátua da Madonna, exibida no Santuário. E é a estátua que ainda hoje, 55 anos depois, é guardada pela minha família ». Nesse dia, 14 de setembro, a Santa Missa foi celebrada na Basílica de Fátima às 17h30, em união espiritual com os Padres Conciliares que se reuniram em Roma. Seguiu-se a solene exposição do Santíssimo Sacramento e a recitação do Rosário para o sucesso do Concílio.

«Depois da bênção eucarística», acompanhamos a crônica da época no jornal Novidades, «foi organizada uma procissão com uma bela imagem de Nossa Senhora no caminho da capela, acompanhada por todos os fiéis que encheram completamente a Basílica. A imagem foi carregada [no ombro, ed.] Por membros da comissão Brescia com duas damas ao lado que usavam a coroa e a Rosa de Ouro oferecida ao Santuário. " Chegando à Capela das Aparições, com um séquito de muitos peregrinos que evidentemente não sabiam por que essa procissão em particular estava ocorrendo ", o reitor monsenhor falou algumas palavras de explicação da inesperada cerimônia, coroando mais tarde a Imagem da Santíssima Virgem que no dia seguinte [15 de setembro] ela partiria para a Itália ».

https://lanuovabq.it/storage/imgs/originals/rettore-del-santuario-di-fatima-mostra-rosa-d-oro-donata-da-paolo-e-gruppo-di-brescia-cerimonia-14-set-1965-medium.png

"No final", continua o relato de Novidades, "todos cantaram a Salve Regina com grande fervor, enquanto a Imagem de Nossa Senhora foi colocada na coluna que indica o local das aparições de 1917". Para selar tudo, Monsenhor Borges enviou um telegrama a Paulo VI: «O Santíssimo Pai, o grupo de peregrinos de Brescia, juntamente com os fiéis do Santuário de Fátima, oferece à Virgem Maria uma Rosa de Ouro, implorando sua proteção materna para o Concílio Ecumênico ».

Em 15 de setembro de 1965, a estátua foi para a Itália. E por quase 36 anos ela não se mudou da casa da família de Paolo, além de alguns "passeios" dentro da paróquia. "Por brincadeira, meu irmão disse:" Chegará um dia em que, se você quiser vê-la, terá que se mudar ". O próprio Paulo recebeu uma profecia pessoal do Padre Pio, que um dia lhe revelou que "aos 60 anos você terá uma mudança na sua vida". Não se sabe a que o santo de Pietrelcina estava se referindo, mas o certo é que Paulo morreu aos 60 anos, apenas alguns dias antes de seu aniversário de 61 anos.

https://lanuovabq.it/storage/imgs/originals/lettera-16-09-1965-del-rettore-antonio-borges-attestante-consegna-corona-statua-medium.jpg

O outro fato é o vínculo especial que esta estátua tem com os capuchinhos. Eles celebram uma a duas missas por mês há décadas na capela da família onde a estátua é mantida. E foram eles que iniciaram a prática da peregrinatio Mariana fora da paróquia. "A primeira peregrinação, por volta de 2001, era desejada por um capuchinho de nosso conhecimento", explica o irmão de Paolo. "Na época, esse religioso, ao voltar de San Giovanni Rotondo, depois de celebrar a missa em nossa capela, perguntou-me:" Você me dará Nossa Senhora para levá-la ao Sabbioni di Crema em maio? "". Local, este último, onde desde 1575 há um convento capuchinho.

A partir desse momento, esta esplêndida estátua de Maria, que nos fala visivelmente do amor de Deus e da Mãe celestial por cada um de nós, foi trazida a vários lugares da Lombardia, chegando também a Emília Romanha (de barco). Sempre recebido com grande alegria, ele sempre retribuiu com graças, visíveis e ocultas.

---

https://lanuovabq.it/storage/imgs/originals/tre-modelli-0-medium.jpg

[1] A estátua reflete o que foi classificado como "modelo B" (veja a foto). Existem três modelos básicos de estátuas de Fátima. São modelos feitos ao longo dos anos - com base nas indicações da Irmã Lúcia - por José Ferreira Thedim (1892-1971), que completou a estátua original (veja "modelo A") em 1920. Lembre-se: quando falamos em " 12 cópias ”, refere-se às estátuas semelhantes ao primeiro exemplar da Estátua do Peregrino de Fátima, concluída em 1947, e não à estátua de 1920, que é mantida quase permanentemente na Capela das Aparições (que é lançada em 13 de maio e em ocasiões especiais).

Cerimônia de Madonna Fatima-Brescia (14-09-1965)

https://lanuovabq.it/storage/imgs/madonna-fatima-brescia-14-set-1965-large.png

https://lanuovabq.it/storage/imgs/rettore-del-santuario-di-fatima-mostra-rosa-d-oro-donata-da-paolo-e-gruppo-di-brescia-cerimonia-14-set-1965-large-0.png

Fonte: https://lanuovabq.it/it/da-fatima-a-brescia-storia-di-una-madonnina-speciale

 
 
 

Artigo Visto: 224 - Impresso: 2 - Enviado: 1

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 4.189.707 - Visitas Únicas Hoje: 829 Usuários Online: 201