"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
20/08/2020
Assim o Santuário de Fátima recordou a quarta aparição de Nossa Senhora
 

Assim o Santuário de Fátima recordou a quarta aparição de Nossa Senhora

20-08-2020

Monumento de Nossa Senhora de Fátima em Valinhos / Foto: Santuário de Fátima

FATIMA, 20 ago. 20 / 12:33 pm (ACI).- O Santuário de Fátima fez memória na quarta-feira, 19 de agosto, da quarta aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos, que aconteceu nos Valinhos, ocasião em que a Virgem reforçou o convite insistente à oração.

Como no dia 13 de agosto de 1917 Francisco, Jacinta e Lúcia tinham sido levados pelo Administrador do Concelho para Vila Nova de Ourém, para interrogatório, a Virgem Maria lhes apareceu no domingo seguinte, 19 de agosto, nos Valinhos, a cerca de 500 metros do lugar de Aljustrel.

Nesta aparição, Nossa Senhora pediu aos pastorinhos que continuassem indo à Cova da Iria nos dias 13 e que rezassem o terço todos os dias.

“Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas”, disse a Virgem.

Ao recordar este acontecimento, foi celebrada a Missa na Basílica da Santíssima Trindade, Santuário de Fátima, presidida pelo reitor, Pe. Carlos Cabecinhas.

O sacerdote assinalou que este acontecimento “lança um apelo muito concreto à oração”.

“É talvez a marca mais característica de Fátima, a mensagem de Fátima desafia-nos a rezar insistentemente, uma ação que não é inacessível e está ao nosso alcance”, disse o reitor, segundo o site do santuário mariano.

Pe. Cabecinhas ressaltou que o testemunho dos pastorinhos é de uma “forte experiência de encontro com Deus, através da oração e esta ação transformou as suas vidas”.

“É esta experiência que tantos peregrinos aqui fazem, de oração e diálogo com Deus”, assinalou.

Ainda se referindo aos peregrinos, o sacerdote os incitou a ver “de que modo as aparições testemunham a imensa bondade de Deus, deixando neste lugar uma mensagem de esperança e um apelo à oração constante e confiante”.

“A celebração deste dia fala de esperança, é um convite à esperança”, afirmou.

Nesse sentido, o reitor observou que, apesar das “dificuldades do momento presente, Nossa Senhora continua a alimentar a nossa esperança”.

Segundo ele, a conjuntura que o mundo atravessa, trouxe “tempos difíceis, alterou hábitos, criou insegurança, apreensão em relação ao futuro”. Diante de tudo isso, Maria em Fátima “vem dizer que continua a haver motivo para esperança, assegura que não estamos sós e que Deus não se esquece de nós e não nos abandona, e isto é importante”.

“A mensagem de Nossa Senhora neste lugar é de esperança, a esperança de quem sabe que não estamos só nas dificuldades”, reiterou.

Esta aparição de Nossa Senhora de Fátima também é recordada por meio de um monumento que se encontra entre a oitava e a nona estações da Via Sacra, no Caminho dos Pastorinhos.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/assim-o-santuario-de-fatima-recordou-a-quarta-aparicao-de-nossa-senhora-32077

---

Relato da quarta aparição de Nossa Senhora em Fátima (19/08/1917)

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

«– Que é que Vossemecê me quer?   

– Quero que continueis a ir à Cova da Iria no dia 13, que continueis a rezar o Terço todos os dias. No último mês, farei o milagre para que todos acreditem. [Se não tivessem abalado contigo para a Aldeia seria o Milagre mais conhecido; havia de vir São José com o Menino Jesus para dar a paz ao mundo e havia de vir Nosso Senhor benzer o povo, vinha Nossa Senhora do Rosário com um Anjo de cada lado e Nossa Senhora com um arco de flores à roda.]   

– Que é que Vossemecê quer que se faça ao dinheiro que o povo deixa na Cova da Iria?

– Façam dois andores: um leva-lo tu com a Jacinta e outras duas meninas, vestidas de branco; o outro leva-o o Francisco com três meninos. O dinheiro dos andores é para a festa de Nossa Senhora do Rosário e o que sobrar é para a ajuda duma capela que hão-de mandar fazer.  

– Queria pedir-lhe a cura dalguns doentes.

– Sim, alguns curarei durante o ano.

E tomando um aspecto mais triste:   

– Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios por os pecadores, que vão muitas almas para o inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas».

Fonte: https://www.diesirae.pt/2020/08/relato-da-quarta-aparicao-de-nossa.html?

 
 
 

Artigo Visto: 254 - Impresso: 1 - Enviado: 1

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 4.341.769 - Visitas Únicas Hoje: 452 Usuários Online: 148