"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
08/09/2020
A Natividade de Maria, o início de uma nova criação
 

A Natividade de Maria, o início de uma nova criação

08-09-2020

Longe de ser um simples "aniversário", a festa de hoje celebra a redenção do mundo decaído, o início da salvação. Portanto, a liturgia Sírio-Ocidental tem uma oração, o Sedro , que para a Natividade de Maria não tem medo de lembrar o versículo de um salmo normalmente referindo-se à Ressurreição. Os livros de história não o mencionam, mas o nascimento da Mãe de Deus nos diz que o mal está derrotado e a criação renovada.

por Luisella Scrosati

As Igrejas orientais puderam solenizar a festa litúrgica de hoje, à qual dedicam textos litúrgicos de incomparável beleza e profundidade e que nos ajudam pelo menos um pouco a compreender a sublevação cósmica desta tão bela e, infelizmente, tão ignorada festa. O escritor (mea culpa!), Por muito tempo nada fez senão considerar este dia simplesmente como o "aniversário" de Nossa Senhora, acompanhado por um Feliz aniversário talvez um pouco mais cristão, e por um sincero carinho para com a Mãe celestial , ignorando completamente que, na humildade desta festa, nada menos que o início de uma nova criação, a redenção do mundo decaído, o início da salvação é comemorado.

Os cristãos da Síria Ocidental têm um livro litúrgico, correspondendo ao nosso Ofício Divino, que contém o Próprio dos domingos e festas de sua liturgia. O livro se chama Fanquito e uma das orações nele contidas, o Sedro , uma oração sacerdotal da Festa da Natividade da Mãe de Deus, é uma obra-prima teológica. Na abertura desta oração articulada, lemos:

«Ao celebrar a festa da Natividade da Virgem, a mais sublime das criaturas, nos sentimos cheios de alegria espiritual e cantamos doces melodias, dizendo com o divino David:« Este é o dia que o Senhor fez, alegremo-nos e exultemos com ele ».

A referência a este versículo do Salmo 117 não pode nos deixar indiferentes ; normalmente se refere ao dia da Ressurreição do Senhor, o dia em que a morte foi vencida e uma nova forma de vida para a alma e o corpo se tornou presente no Senhor ressuscitado.

A liturgia siríaca não tem medo de associar o versículo ao dia litúrgico do nascimento da Virgem , entendendo que a nova criação, libertada do pecado, já está presente na vinda ao mundo da Imaculada e sempre Virgem. Este é o dia feito pelo Senhor, esta é a criação correspondendo perfeitamente à sua vontade amorosa, sem que o diabo pudesse de forma alguma desfigurá-la. Neste dia, histórico e litúrgico, respira-se toda a inocência da criação e regozija-se por ter entrado no mundo um novo princípio imaculado, virgem, diante do qual a sensação de castidade que se percebe no correr das águas. de um riacho de montanha intocada ou a pureza da neve branca são apenas um anúncio fraco.

Continua o Sedro do dia :

«Que magnífica esperança nos é dada neste dia através do menino nascido em casa de Joaquim e Ana; por meio dele os bens começam e os males acabam; para ela, a antiga amargura do céu se transforma em doçura e delícias espirituais; para ela, é removido o engano da cobra que havia perdido a cabeça da humanidade. Hoje toda a raça humana se alegra e exulta pelo nascimento de seu Soberano, o bendito e honrado acima de todas as criaturas ”.

Todos os eventos da história, considerados extraordinários e dignos de menção nos anais, nas enciclopédias, nos volumes que desperdiçam palavras em engrandecer feitos mais ou menos nobres, nem sequer podem aproximar-se da solenidade deste dia. Todos os episódios da história permanecem fechados no círculo do tempo, incapazes de gerar algo verdadeiramente novo; mas o nascimento da Virgem é outra coisa: é o novo paraíso terrestre incontaminado; ela é a nova Eva, virgem sem mancha, verdadeira mãe de todas as coisas vivas; é, como outro texto litúrgico oriental celebra, o Sinassary composto por Ter Israel, um monge armênio do século XIII, a árvore da vida, acessível novamente: “Agora, se a árvore da vida, isto é, a bendita Mãe de Deus , [...] é a causa da vida de todos os seres, e se esta árvore, segundo David, é plantada junto ao ribeiro das águas (cf. Sl 1,

O que o deixa espantado é que ... ninguém percebeu. Se nos manuais de história talvez haja algumas linhas dedicadas ao nascimento do Senhor Jesus, nem que seja para explicar aos alunos o motivo da atual contagem dos anos, nada se encontra sobre o nascimento da Mãe de Deus. A criação se renova totalmente e a demônio derrotado; a nova Eva, da qual o novo Adão será tirado, invertendo a ordem da criação anterior, está presente e a árvore da vida, plantada no meio do Paraíso, está novamente acessível; a terra virgem do começo, sobre a qual o Espírito Santo paira, está pronta para dar o Homem-Deus ao mundo. E ninguém percebeu. Aqui está a derrota da sabedoria deste mundo.

O homem está muito familiarizado com as coisas terrenas, ele está muito agitado pelo que deve fazer que não encontra tempo para contemplar a obra de Deus e esperar com confiança sua conclusão. No entanto, Deus não se contradiz: assim foi, assim é, assim será.

A festa litúrgica de hoje é um grande ato de abandono a Deus , certo de que a verdadeira vida já está presente e agindo no mundo, que a salvação já veio, que o Maligno já está vencido, embora esta salvação esteja oculta aos nossos olhos. Mas é aí que deve ser procurado, na novidade de Deus, que tem um nome muito específico: Maria. Lá, e não nas vãs esperanças da ciência ou política, economia e cultura; e menos ainda nas iniciativas humanas de reforma da Igreja. Todas essas coisas são ídolos, «obra das mãos do homem. Têm boca e não falam, têm olhos e não veem, têm ouvidos e não ouvem, têm narinas e não cheiram. Eles têm mãos e não tocam, têm pés e não andam; da garganta não fazem nenhum som. Seja como aqueles que os fazem e quem neles confia »(Sl 114,4-8).

Que esta festa nos livre de falsas esperanças ; que, como mais uma vez deseja o texto de Sedro , “nos traga alegrias espirituais e paz de consciência; nossos males sejam curados, nossa tristeza acabe e que a luz de sua sabedoria brilhe em nossas almas; que este dia brilhe com a promessa de um futuro brilhante e favorável ”. O futuro do reino do Coração Imaculado de Maria.

Fonte:https://lanuovabq.it/it/la-nativita-di-maria-inizio-di-una-nuova-creazione

 
 
 

Artigo Visto: 147 - Impresso: 1 - Enviado: 0

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 4.302.444 - Visitas Únicas Hoje: 1.273 Usuários Online: 222