"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
17/05/2019
A Mensagem de Fátima e nossa batalha contínua pela Alma da Igreja
 

A Mensagem de Fátima e nossa batalha contínua pela Alma da Igreja

16 de maio de 2019

https://onepeterfive.com/wp-content/uploads/2019/05/Fatima-1500x926.jpg

Steve Skojec 

No início desta semana, o 102º aniversário da primeira mensagem de Fátima aconteceu. Muitos católicos nunca esperaram ver o fim do ano do centenário sem algum grande milagre - algum sinal celestial para trazer o fim do atual castigo.

E, no entanto, aqui estamos nós, dois anos depois, sem mais respostas.

Talvez Nossa Senhora não tenha nada de novo a dizer enquanto aguarda o cumprimento de seu pedido original: que a Rússia seja devidamente consagrada e que mais de nós façam os Cinco Primeiros Sábados de Reparação.

Mas, à medida que retornamos às suas palavras repetidas vezes, também vale a pena considerar que talvez a mensagem que precisamos desesperadamente ouvir tenha estado bem diante de nós o tempo todo. Em sua primeira aparição às crianças de Fátima em 13 de maio de 1917, Nossa Senhora perguntou:

Desejam oferecer-se a Deus para suportar todos os sofrimentos que lhe apraz enviar, tanto como um ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido como um ato de súplica pela conversão dos pecadores?

Quando as crianças responderam afirmativamente, ela disse:

    Bem, então vocês terão muito a sofrer. Mas a graça de Deus será o vosso conforto.

Não é exatamente isso que estamos experimentando agora? Os sofrimentos que Deus está nos enviando agora são algo que não podemos consertar, mas apenas perdurar, e é realmente muito difícil suportar o que está acontecendo com a nossa amada Igreja. Mesmo assim, Nossa Senhora nos disse que podemos tornar esses sofrimentos eficazes, oferecendo-os a Deus como reparação pelo pecado e pela conversão dos pecadores.

Estamos nos lembrando de deixar de lado nossa raiva e amargura para fazer isso?

E verdadeiramente, enquanto observamos a loucura da disforia de gênero, a agenda LGBT, os ataques ao casamento cristão e a luxúria diabolicamente insaciável pelo aborto acontecendo em nossa sociedade em todos os lugares que olhamos, podemos ajudar, mas nos perguntar se o mundo nunca esteve em maior necessidade de conversão? E quando olhamos para a Santa Madre Igreja, e vemos a corrupção, o escândalo, o abuso, o desrespeito pelas coisas sagradas, não podemos ver que a necessidade de arrependimento e restauração é uma questão da maior urgência?

Temos a capacidade de fazer algum bem real, unindo nossos sofrimentos com os dEle. Não precisamos permitir o castigo deste papado e todos os males que ele causou não valerão nada. Em sua encíclica sobre o Reinado Social de Cristo, Quas Primas, o Papa Pio XI nos lembra que:

Nos primórdios da era cristã, quando o povo de Cristo sofria perseguição cruel, o culto dos mártires era iniciado em ordem, diz Santo Agostinho, “para que as festas dos mártires pudessem incitar os homens ao martírio”. As honras pagas aos confessores, às virgens e às viúvas produziram resultados maravilhosos em um aumento do gosto pela virtude, necessário mesmo em tempos de paz. Mas mais frutíferas ainda eram as festas instituídas em honra da Santíssima Virgem. Como resultado, esses homens cresceram não apenas em sua devoção à Mãe de Deus como um defensor sempre presente, mas também em seu amor por Ela como uma Mãe legada a eles por seu Redentor. Não menos importante entre as bênçãos que resultaram da honra pública e legítima paga à Santíssima Virgem e aos santos é a perfeita e perene imunidade da Igreja contra o erro e a heresia. Podemos muito bem admirar nisso a admirável sabedoria da Providência de Deus, que, sempre trazendo o bem do mal, de tempos em tempos sofreu a fé e a piedade dos homens para enfraquecer, e permitiu que a verdade católica fosse atacada por falsas doutrinas. mas sempre com o resultado de que a verdade brilhou depois com maior esplendor, e que a fé dos homens, despertada de sua letargia, se mostrou mais vigorosa do que antes. [enfase adicionada]

Se há uma luz no fim do nosso túnel particular, é o conhecimento de que tudo que é bom será fortalecido, e o que é mal será esmagado por Nossa Senhora.

Isto deve passar também.

Até lá, vamos realizar a luta, lembrando sempre a admoestação de São Pedro em sua primeira epístola:

Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido.
Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês.
Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.
Resistam-lhe, permanecendo firmes na fé, sabendo que os irmãos que vocês têm em todo o mundo estão passando pelos mesmos sofrimentos.
O Deus de toda a graça, que os chamou para a sua glória eterna em Cristo Jesus, depois de terem sofrido por pouco tempo, os restaurará, os confirmará, os fortalecerá e os porá sobre firmes alicerces.
A ele seja o poder para todo o sempre. Amém. (1 Pedro 5: 6-11)

Estas são palavras importantes para lembrar. Se a tempestade diminuiu um pouco, por um momento, podemos ver no horizonte que o Sínodo Pan-Amazônico que está chegando. O Instrumentum Laboris que irá guiar esse sínodo é, de fato, esperado no próximo mês. Temos a certeza pelo amigo papal e seu aliado cardeal Cláudio Hummes de que, de acordo com suas conversas com o papa, há uma “grande necessidade de novos caminhos, para não temer coisas novas, para não obstruí-las, para não se opor a elas. Temos que evitar trazer as coisas velhas como se fossem mais importantes do que as novas ”. Ele também diz que devemos entender que o sínodo“ terá repercussões universais ”. (Graças à sua natureza franca, já sabemos que uma provável repercussão será um ataque ao celibato sacerdotal sob o disfarce de uma falta de sacerdotes para oferecer os sacramentos.) Ouvimos grandes expectativas de outros prelados progressistas de que o Sínodo abordará questões adicionais de moralidade sexual e do sacerdócio masculino, e que “nada será o mesmo que era.

Estas são palavras ameaçadoras. E nós somos impotentes por nós mesmos para parar sua agenda.

Mas nós temos recursos. Mencionei no início desta semana nossa necessidade de retornar à nossa missão: reconstruir a cultura católica e restaurar a tradição católica. Sempre foi minha esperança usar essa plataforma para fazer exatamente isso: fortalecer os irmãos na fé, para que eles pudessem resistir melhor à tempestade que estava chegando.

Foi o primeiro sínodo deste pontificado - o do casamento e da família - que nos tirou do rumo. Quando vimos como pouca cobertura crítica desse sínodo estava saindo da mídia católica, sabíamos que tínhamos que tomar uma posição. E temos sido, por falta de um termo melhor, em pé de guerra desde então. Reagir às histórias mais do que proativamente ajudar nosso público a fortalecer seu conhecimento e prática do catolicismo.

Desta vez, não permitiremos que isso aconteça. Vamos cobrir o Sínodo, na medida em que faz sentido fazê-lo, mas ao mesmo tempo não os deixaremos distrair do que realmente importa. Continuaremos trabalhando para oferecer não apenas uma descrição do veneno, mas a receita do antídoto. Vamos nos lembrar da beleza da fé, uma pomada para as feridas infligidas por aqueles que procuram refazê-la ou destruí-la. Eles podem nos tirar muito, mas não podem tirar nossas almas. Ainda assim, cabe a nós fortalecê-los.

Como você pode ver, temos um trabalho muito importante pela frente neste verão.

Em Cristo,

Steve Skojec
Editor e Diretor Executivo
OnePeterFive

https://onepeterfive.com/wp-content/uploads/2016/12/stevefox-128x128.png

Steve Skojec é o editor fundador e diretor executivo da OnePeterFive.com. Ele recebeu seu bacharelado em Comunicações e Teologia pela Universidade Franciscana de Steubenville em 2001. Seu comentário apareceu no The New York Times, no USA Today, no The Washington Post, no Washington Times, na Crise Magazine, no EWTN, no Huffington Post Live, no Fox News Channel. , Foreign Policy e a BBC. Steve e sua esposa Jamie têm sete filhos.

Fonte: https://onepeterfive.com/the-fatima-message-our-ongoing-battle-for-the-soul-of-the-church/

 
 
 

Artigo Visto: 593 - Impresso: 5 - Enviado: 0

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.672.544 - Visitas Únicas Hoje: 1.449 Usuários Online: 269