"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
13/06/2018
Sombras que envolvem a Minha Igreja
 

Sombras que envolvem a Minha Igreja

https://deusilusao.files.wordpress.com/2011/10/jesus1.jpg

A questão de que falarei a ti não é nova. Já outras vezes te apontei as sombras que cercam a Minha Igreja.

Eu te disse sombras, isso significa que são várias, mas todas têm uma única causa: "grande crise de fé".

A fé não é um produto do homem, mas um grande dom de Deus; é um precioso fruto da Minha Redenção que brota do Meu Coração aberto e misericordioso.

Eu Sou a vida dos homens, mas a vida é uma luz que brilha na escuridão e as trevas não a abraçaram.

A vida, falo da Minha Vida Divina, pode ser aumentada, desenvolvida; pode ser extinta ou enfraquecida a ponto de privá-la de toda força e energia.

Meu Corpo Místico está em crise, está envolto em sombras escuras, como a terra quando a tempestade é desencadeada no céu. Minha Igreja está em crise porque seus membros estão sufocando na mordaça do materialismo, a vida divina, a vida interior da fé e com a fé, a esperança e a caridade.

Tenho te falado de lâmpadas apagadas, de lâmpadas que se apagam: são almas de muitos sacerdotes Meus e de muitos fiéis em quem já não bate, já não vibra a vida divina da Graça.

Para que serve uma luz apagada? E um cadáver? Se o enterra para evitar que dele se desprendam miasmas perigosos e infecções mortais.

Cada cristão e, com maior razão, cada sacerdote deve ser lâmpadas acesas no mundo envolto em trevas, para irradiar luz, para dar testemunho de Mim, Palavra de Deus feito Carne, Luz do mundo.

Coerência e fidelidade

Para fazer isso, há de se viver a própria fé com coerência e fidelidade.

Nos últimos anos, muitas vezes Meu Vigário elevou com força sua voz iluminada. Sacerdotes e cristãos em grande número não deram ouvidos as suas palavras, não raramente fizeram objeto de zombaria e ridicularização.

Como, Meu filho, não estar profundamente angustiado por tanta insensatez e impenitente conduta?

O materialismo, que por décadas e décadas se amplia, alimentado por Satanás, contaminou a humanidade; ele está apagando cada vez mais das almas o incomparável dom da fé, da esperança, da caridade, da vida interior e da graça divina, sem a qual ninguém pode ser salvo.

Há sim, no Meu Corpo Místico, brotos vigorosos. Conhecidos ou ocultos aos olhos de muitos, eles serão os germes fecundíssimos da Minha Igreja renascida, regenerada e purificada neste atual deserto, porque tal se pode delinear hoje para a Minha Igreja, onde abundam moitas, canas, espinhos e ramos secos, transformando o caminho tão difícil para os bons.

Mas quando o incendio, que já sob as cinzas incuba, se inflama, abrasará todas as coisas, os inúmeros brotos de vida recobrirão então o solo purificado dos frutos da loucura humana, do orgulho, da impureza e de todas as outras abominações.

A terra, como um jardim exuberante e fértil, dará asilo para os homens tornados sábios e instruídos, reconciliados com Deus em Mim e entre eles, e no Amor viverão em paz.

O sentido da vida

Quanto Eu gostaria que sacerdotes e fiéis, libertos do peso que os oprimem e sufocam, reconquistassem o sentido da vida, voltando-se para Mim, para a Luz, para a verdadeira vida retornando à Casa de Meu Pai que os espera e os ama, apesar de sua perversão.

Por isso, filho, te falo para que tu leves a Meus sacerdotes a conhecer a amargura do Meu Coração misericordioso e a angústia de Meu Pai que vê Seus filhos, arrancados de Seu Amor, caminhar em direção a ruína e a morte. Pobres almas, redimidas por Mim, bêbadas e cegas, vão tropeçando e caindo na escuridão.

Ignoram que a vida terrena, dom de Deus Criador, está em ordem com a vida eterna, ignoram que ela é breve e fugaz, que dura tanto quanto a erva e a flor do campo que a foice colhe, murcha e seca.

Pobres filhos Meus! O orgulho, a vaidade e a presunção os envolveu na escuridão tanto que já nem se quer se reconhecem.

Nada deve ser negligenciado, filho, para obter-lhes a graça de uma verdadeira conversão, porque, mais uma vez te digo, é para a conversão de muitos.

É necessário rezar e suplicar orações: oferecer as tribulações e contrariedades. Os sofrimentos semeados na vida de todos, aceitos com fé e oferecidos com generosidade, são verdadeiros fermentos de graça e de misericórdia.

Mas o tempo disponível não é muito. Ai se não aproveitá-lo!

Te abençoo e as pessoas unidas a ti na fé e no amor fraterno.

Me ame muito. Tu sabes que Eu te amo.

(Mensagem de Jesus de 25 de setembro de 1975)

Do livro "Confidências de Jesus a um Sacerdote", de Mons. Ottavio Michelini

Fonte: http://www.santisimavirgen.com.ar/michelini/mensajes.htm

 
 
 

Artigo Visto: 805 - Impresso: 11 - Enviado: 3

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.248.696 - Visitas Únicas Hoje: 890 Usuários Online: 109