"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
08/09/2018
A grande batalha
 

A grande batalha

https://deusilusao.files.wordpress.com/2011/10/jesus1.jpg

Há uma guerra que não terminará até o final dos tempos.

A maior batalha de proporções apocalípticas é travada no Céu entre os anjos fiéis a Deus e os anjos rebeldes a Deus, o primeiro liderado pelo Arcanjo Miguel e o segundo por Lúcifer, o terrível dragão do Apocalipse.

"Então uma guerra irrompeu no céu: Miguel e seus anjos lutaram com o dragão que foi precipitado". É Satanás, a antiga Serpente que corrompeu os primeiros pais induzindo-os pelo orgulho à desobediência.

Esta é a terrível realidade da qual o mundo ri estupidamente enquanto sofre sua ação mortal feita de tirania, escuridão e sofrimento. O reino de Satanás é o reino das trevas, é o reino do mal, de todos os males, porque os males de qualquer natureza fluem dele como a fonte de toda a iniqüidade.

A batalha que foi travada no Céu na presença de Deus foi uma imensa batalha de Inteligências, que determinou para a eternidade o futuro destino de anjos e homens. Foi um evento histórico de importância primordial que cobriria o céu e a terra.

A história da humanidade está ligada e condicionada a este evento, não importa o que os homens digam ou pensem!

As Sagradas Escrituras, as afirmações dos Padres e dos Doutores da Igreja dão claro testemunho disso.

Céticos e incrédulos

Os momentos particulares que viveis e o futuro imediato que vos aguarda o farão acreditar na intervenção das milícias celestes, seja por uma presença peculiar da Providência divina que governa o mundo, seja pela gravidade dos acontecimentos que poderão se manifestar na  presença do perturbador da ordem estabelecida por Deus, como o papa Paulo VI corajosamente disse: "primeiro o racionalismo, o materialismo agora tem feito de tudo para desacreditar o fato mais importante do céu e da terra sem a qual nenhuma explicação é aceitável ".

A presença não só Minha, mas também de Satanás na história e na Igreja, com os fatos que a comprovam, colide terrivelmente com a tentativa pueril dos inimigos Dela para minimizar e até negar a realidade límpida.

Com tristeza e dor, deve ser notado hoje que não apenas os Meus inimigos tradicionais e da Minha Igreja negam a presença junto aos homens de seres de natureza diferente da humana, mas mesmo cristãos e Ministros de Deus são céticos e incrédulos, com sérios prejuízos pessoais e sérios danos sociais.

O Inimigo do homem conseguiu narcotizar muitas almas e muitos corações, por isso é menos contrastado seu raio de ação. Infelizmente, na Igreja, mesmo aqueles que afirmam acreditar não têm a coerência mais elementar com a fé que afirmam possuir.

Indiferença culpável

Pode-se permanecer passivo, ou quase, diante da ação de um inimigo furiosamente ativo que não carece nem de inteligência nem de poder para lutar contra as almas que ele odeia e quer atropelar e perder?

Razoavelmente se diria que não. Mas, infelizmente, a realidade é muito diferente: indiferença e ceticismo são encontrados mesmo naqueles que, por causa de seu estado, pelo propósito primordial de sua vocação e pela coerência com a fé, devem não apenas sustentá-la, mas defendê-la e difundi-la, e em vez disso, eles permanecem inertes.

Eles se atrofiaram em ações secundárias e certamente impróprios para confinar e limitar a tremenda obra devastadora de Satanás e sua igreja.

Como se explicam certas lacunas, que abriram terríveis aberturas ao inimigo? Assim, por exemplo, de improviso se anulam cada dia meio milhão de exorcismos que um grande Pontífice havia estabelecido com intuição profética para este século, para lutar contra Satanás e suas legiões ...

Refiro-me à oração à Minha Mãe e vossa e a São Miguel que se recitava no final da Santa Missa.

Qual é o propósito de substituir tão importantíssima disposição tomada por um Vigário Meu e confirmada por tantos santos Sucessores seus? Sem nenhuma medida!

É sensato destruir o que foi construído com sabedoria e inteligência, sem então fornecer depois para substituí-lo? Este é um exemplo: mas quantos mais poderiam ser trazidos!

Não é um caso de reflexão, fazendo um sério exame de consciência?

Te abençoo, Meu filho.

(Mensagem de Jesus de 24 de maio de 1976)

Do livro "Confidências de Jesus a um Sacerdote", de Mons. Ottavio Michelin

Fonte: http://www.santisimavirgen.com.ar/michelini/mensajes.htm

 
 
 

Artigo Visto: 770 - Impresso: 9 - Enviado: 2

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.213.519 - Visitas Únicas Hoje: 575 Usuários Online: 113