"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
05/01/2019
Brotos separados do tronco
 

Brotos separados do tronco

https://deusilusao.files.wordpress.com/2011/10/jesus1.jpg

Meu filho, escreve:

Não é suficiente a fé na Minha presença eucarística no meio de vós, não, Meu filho, nem todos os sacerdotes que celebram em pecado, e, portanto, sacrilegamente, estão sem fé, a maioria tem a fé, enfraquecida, mas a tem, no entanto, são maus sacerdotes; Acreditam em Mim, mas  sentem uma aversão a Mim originado pelo estado de culpa em que se encontram.

Quando um sacerdote está em pecado, interrompe voluntariamente a ação das graças presentes em sua alma, isto é, àqueles impulsos de Graça que Deus infinitamente bom dá liberalmente às almas em medida e proporção à sua receptividade e, enquanto praticamente fecha a alma a Deus, se abre para o Demônio, que pode então sem dificuldade influenciar as almas dos culpados até que se tornem seus escravos.

Se um sacerdote não se sente atraído para o Tabernáculo, é um broto sem raízes, um ramo separado do tronco. Um sacerdote que não sente atração alguma pelo Tabernáculo onde o Amor reside, não pode ter senão um espírito oleoso e infértil.

Meu filho, quantos são hoje, os sacerdotes neste estado de aridez e infertilidade espiritual? Tantos que não poderás contar!

Temos alguns aliados

Filho, quero te explicar a dúvida que entrou em teu espírito neste momento; Tu há pensado: se um sacerdote está em pecado e quebrou todas as relações com Deus, nada pode dar e nada pode receber de Deus; Além do mais entra na órbita de Satanás e, então, para este ou para isto, já não há esperança de salvação, não é assim?

Resposta: não é assim, filho, nunca deves esquecer a grande luta entre os poderes do mal e os poderes do bem, a ação do Anjo da Guarda, do Santo Protetor e a ação dos Abençoados do Paraíso, esta luta está em andamento e não terminará até o final dos tempos.

Nem as almas da graça deveriam cair, mas a ação das forças escuras do inferno não se detém, exceto com a morte.

Não basta pois crer na Eucaristia, mistério inefável do qual o sacerdote é também o artífice, mas que o sacerdote deve estar consciente da parte que neste grande mistério Deus reservou para ele.

Na Santa Missa, o sacerdote com Jesus e com a Mãe é o protagonista do mistério da Cruz, participante do sacerdócio real e eterno de Jesus, que vive nestes momentos como nunca antes do seu sacerdócio com Cristo e com a Mãe oferecendo-se como Cristo e como a Mãe ao Pai para a remissão dos pecados, e nesta oferta negligenciada e tão incompreendida está a fonte verdadeira e eficaz da salvação de si mesmo e das almas.

Repito que, se um sacerdote não está convencido dessa realidade sobrenatural, ele é como alguém que joga fora uma jóia preciosa de valor incalculável, não conhecendo e, portanto, não apreciando nem sua beleza nem seu preço.

Esta oferta que o sacerdote deve renovar com Jesus e com a Mãe cada vez que celebra é muito importante, porque deve ser uma oferta eficaz, isto é, a aniquilação do próprio "eu", como em Jesus e na Virgem Maria e isto quer dizer a imolação moral e espiritual de si mesmo. Não foi vivida por Jesus: "Não se faça a minha vontade mas a Tua?

Para ser um imã

É isso que torna o sacerdote santo, é isso que torna o sacerdote frutífero, esta é a fonte da levedura fermentadora da Graça para as almas e para toda a ação pastoral que o sacerdote deve realizar.

Os sacerdotes de hoje, salvo as exceções dos poucos verdadeiramente afortunados, são áridos, estéreis, inférteis, ramos secos, bons apenas para queimar, no entanto a febre aguda que os agitam e os move para trabalhar ainda muito ativamente.

A Santa Missa, celebrada em perfeita comunhão com Cristo e com a Santíssima Virgem pelos mesmos propósitos para os quais Cristo continua a ser imolado e a Virgem oferecendo-se, será para o verdadeiro e santo sacerdote o terror dos demônios que verão arrancar-se dele inúmeras almas.

O santo sacerdote que celebra a sua Missa em união Comigo e com a Mãe é o objeto do amor de Deus e, ao mesmo tempo, um ímã poderoso para todas as almas necessitadas de ajuda e consolação espiritual.

Nele essas almas sentirão o perfume de Cristo, verão nele outro Cristo, o bom cheiro de Cristo emanará dele; É assim que o sacerdote, segundo o Meu Coração, se torna corredentor Comigo.

Só assim o santo sacerdote será o sacerdote sem véus, isto é, sem ficção; sua alma límpida e pura será o espelho de tantas e tantas almas.

O sacerdote verdadeiramente santo está e estará convencido de não ser ele somente o responsável pelas almas, de seu apostolado, de sua atividade, mas ele sabe bem e acredita com convicção de que o protagonista da redenção é Jesus; Ele sabe que ele é um colaborador escolhido, acreditando bem nas palavras: “Não sois vós que haveis Me escolhido, mas Eu que vos escolhi”.

Te abençoo, filho, reze e Me ame.

(Mensagem de Jesus de 02 de dezembro de 1976)

Do livro "Confidências de Jesus a um Sacerdote", de Mons. Ottavio Michelin

Fonte: http://www.santisimavirgen.com.ar/michelini/mensajes.htm

 
 
 

Artigo Visto: 732 - Impresso: 6 - Enviado: 2

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.545.397 - Visitas Únicas Hoje: 1.249 Usuários Online: 255