"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
04/12/2015
Bergoglio declara guerra contra a Igreja Católica quando chama os muçulmanos de irmãos na fé.
 

Bergoglio declara guerra contra a Igreja Católica quando chama os muçulmanos de irmãos na fé.

Bergoglio declara a guerra contra a Igreja Católica quando chama os muçulmanos de irmãos na fé. Ele é igual a Walter Kasper e Hans Kung, que não acreditam que a Igreja guarda infalivelmente a revelação divina. Eles negam que a Igreja tenha a Verdade Absoluta e por isso em várias entrevistas Bergoglio os chama de “opiniosos” e por esta razão, despoticamente chega a afirmar que a Igreja possui a Verdade Absoluta é “fundamentalismo”, o qual ele afirma ser uma enfermidade e uma idolatria que precisa ser combatida.

http://assets0.exame.abril.com.br/assets/images/2015/11/592883/size_810_16_9_papa-visita-mesquita-em-bangui.jpg

Está no Vaticaninsider: “O fundamentalismo é uma enfermidade que existe em todas as religiões. Entre nós católicos existem alguns (muitos) que acreditam ter a Verdade Absoluta e seguem adiante sujando os demais com a calunia, a difamação e causando danos. Isso eu digo por que é minha igreja. É preciso combater o fundamentalismo religioso”. (Bergoglio em sua viagem de regresso da África em 30/11/2015)

Obama também tem atacado a Igreja Católica acusando-a de fundamentalismo, por sua postura provida e seus ensinamentos morais contra a homossexualidade.

Quando Bergóglio acusa os católicos de fundamentalistas, está então incitando a combater contra eles.

Profecia de São Francisco de Assis: Não um Pastor verdadeiro, mas um destruidor. Aqueles que perseverem no seu fervor e permanecerem na virtude por amor à Verdade, hão de sofrer injúrias e perseguições. Serão considerados como rebeldes e cismáticos, porque os seus perseguidores, tomados por maus espíritos, dirão que estão prestando um grande serviço à Deus mediante a destruição destes homens pestilentos da face da terra. Porém o Senhor há de ser o refúgio dos aflitos e salvará a aqueles que confiam Nele. E para ser como sua Cabeça, estes, os eleitos, atuarão com esperança, e por sua morte comprarão para eles próprios a vida eterna. E elegendo obedecer a Deus antes que os homens eles não temerão nada, e hão de preferir perecer antes de consentir na falsidade e na perfídia.

Assim advertiu o Arcebispo Dom Fulton Sheen: "Olhe para a igreja em tempos de fanatismo, os homens dizem que ela deve ser destruída em nome de Deus, como Cristo foi crucificado, enquanto seus inimigos pensaram estar fazendo um favor a Deus. Olhe para a igreja rejeitada pelo mundo para obter suporte para ser infalível, como Pilatos rejeitou a Cristo porque Ele chamou a si mesmo a Verdade”.

Em julho de 2014 Bergoglio também atacou a Igreja acusando-a de estar possuída pelo diabo, quando visitou seu amigo pentecostal Giovanni Trenttino em Caserta, Itália: “Entre os que têm perseguido e condenado membros da comunidade pentecostal como se fossem loucos que destruiriam a humanidade, havia também católicos. Eu sou o pastor dos católicos e lhes peço perdão por estes irmãos e irmãs católicos que estavam possuídos pelo diabo e que não entendiam nada”.

Assim advertiu o Arcebispo Dom Fulton Sheen: "Olhe para a Igreja, que é acusada de ser retrógrada, como Cristo foi acusado de ser ignorante e sem nunca ter aprendido. Olhe para a igreja que a humanidade despreza por ser socialmente inferior como foi e desprezados nosso Senhor por vir de Nazaré. Olhe para a Igreja acusada de ter o diabo quando nosso Senhor também foi acusado de ser possuído por Belzebu, príncipe dos demônios”.

Estes hereges consideram que a Igreja tem sido opressora e se intrometido na vida dos homossexuais.

Durante o voo em que regressava do Rio de Janeiro ele disse que se uma pessoa homossexual tem boa vontade e busca a Deus, quem sou eu para julgá-la. Ao afirmar isso ele contra diz o Catecismo, porque a religião tem direito de expressar suas próprias opiniões a serviço das pessoas, porque Deus na criação nos fez livres: não é possível uma ingerência espiritual na vida das pessoas.

“Dialogar não significa renunciar as suas próprias ideias e tradições, porém sem a pretensão de que elas sejam absolutas” (Francisco)

Assim nos advertiu Dom Fulton Sheen: A religião do anticristo será uma falsa irmandade sem a paternidade de Deus. Os muçulmanos e os judeus negam a Trindade, portanto não acreditam que Deus é Pai.

Bergóglio prega então uma falsidade porque a Igreja ensina que para sermos irmãos é preciso que nós tenhamos um só Senhor, uma só fé e um só batismo (Efésios 4,5)

Mas para difundir a sua mentira Bergoglio começou negando a Santíssima Trindade ao dizer: Eu creio em um Deus! Não um Deus católico, não existe um Deus católico!

Mas está em João 8, 42: Jesus lhes disse: Se Deus fosse vosso Pai, Me amaríeis porque Eu saí de Deus e vim Dele, pois não vim pela Minha própria vontade e sim a Dele que Me enviou.

Também está em 1ª João 5, 10. Aquele que crê no Filho de Deus tem em si o testemunho de Deus. Aquele que não crê em Deus, o faz mentiroso, porque não crê no testemunho que Deus deu a respeito de seu Filho. 11. E o testemunho é este: Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em seu Filho. 12. Quem possui o Filho possui a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.

Está em Mateus 3, 8. Dai, pois, frutos de verdadeira penitência. 9. Não digais dentro de vós: Nós temos a Abraão por pai! Pois eu vos digo: Deus é poderoso para suscitar destas pedras filhos a Abraão.

Todos os que se unam a esta falsa igreja de Bergoglio formam então o corpo místico do anticristo. A traição dos neomodernistas contra os cristãos que sofrem nas mãos dos maometanos e o estabelecimento desta falsa igreja neomodernista é equivalente a uma terceira besta. Este engano atraiçoa a numerosíssimos cristãos que estão sofrendo e morrendo, agora mesmo, nas mãos dos islâmicos e facilita a perseguição que segue, uma ameaça que terão que enfrentar. Ao fazer isso o neomodernismo permite ser desmascarado por qualquer pessoa que tenha conhecimento sobre o que é o Islã, mostrando sua malícia e sua origem.

Disse Dom Fulton Sheen em 1950: Estamos vivendo os dias do Apocalipse. Os últimos dias de nossa era. As grandes forças do Corpo Místico de Cristo e do corpo místico do anticristo estão começando a elaborar suas linhas de batalha, para um final catastrófico. (Flynn T & L. El Trueno de la Justicia. Maxkol Comunicaciones, Sterling, VA , 1993, p . 20)

Fonte:http://nazareusrex.blogspot.com.br/2015/12/bergoglio-le-declara-la-guerra-la.htm

COMENTÁRIO

O texto acima é autoexplicativo, entretanto devo comentar mais profundamente este tema que tanto o padre Jorge Mário tem insistido nos últimos tempos: a Verdade absoluta! E ele acusa de fundamentalistas a todos os que defendem esta verdade, e de “corações duros” os que não aceitam as mudanças que ele quer fazer. Que mudança boa pode fazer um homem que acusa de possuídos pelo diabo os católicos que se defenderam dos ataques protestantes? Acaso foram os católicos que começaram tais guerras religiosas, ou protestantes e maometanos?

Eu simplesmente não entendo como é que nossos bispos e cardeais estão engolindo tudo isso pacificamente. A coisa é visível, a heresia é descarada e escancarada e ainda se fala em “papa” e terrível, em “sua santidade” e “santo padre”. Tudo isso ignorando a causa primeira que simplesmente fulmina estes três títulos que não lhe cabem. Diante de Deus eles soam como balfêmia. Mas vamos ao tema!

O que é uma VERDADE ABSOLUTA? Uma verdade se diz absoluta porque ela é incontestável. Trata-se de uma realidade que não pode ser desmentida, nem falseada, não pode ter duplas interpretações, nem contestações. Se eu digo: o planeta terra existe! Ou digo: existe um sol que nos aquece e alumia!... Estou dizendo duas verdades que ninguém pode negar, sem negar-se a si mesmo, sem mentir para o vento, porque ninguém acreditará em quem diz que a terra não existe, nem o sol. Isso é incontestável, e quem nega isso é um louco, pois até um imbecil reconhece!

Mas estas duas são apenas realidades físicas, visíveis, com todos os seus efeitos naturais, e como estas existem bilhões, trilhões que comprovam a existência física e natural do ser e do existir. Entretanto a batalha que se dá aqui não é sobre realidades físicas e naturais, e sim sobre questões espirituais. E se pergunta: existe a Verdade Absoluta, em se tratando das coisas espirituais? Óbvio que existem as Realidades Espirituais, incontestáveis e imutáveis! Existem porque Deus existe, e este Deus é católico, sim senhor!

Comecemos por Javé: Que disse Ele a Moisés no Sinai: Eu sou aquele que É! Quando Deus diz isso, Ele está a nos confirmar que Ele é Tudo, que está em Tudo, que criou Tudo, que mantém Tudo. Está a dizer também que sem Ele Nada existe, Nada subsiste, Nada pode ser feito, Nada é imperfeito, Nada acontece, Nada permanece, Nada deixa de existir. Ele é o ABSOLUTO! E o Absoluto É a Verdade!

Jesus: que disse Ele sobre Si mesmo? Eu sou o caminho, a verdade e a vida! Ou seja: Jesus está afirmando aqui três coisas são absolutas em Deus: Ele É o único caminho a ser seguido! Ele É a Verdade na suprema essência! Ele É o autor da Vida, e de TUDO o que existe. E este é sim o Deus dos Católicos, o Único Deus que existe!

A Trindade Santíssima: Deus é Uno e é também Trino. Um Deus em três Pessoas absolutamente distintas, a quem conhecemos por Pai, Filho e Espírito Santo, Alfa e Ômega, Eterno e Infinito! Verdade Absoluta!

Ora, a partir destas afirmações e confirmações feitas pelo Próprio Deus, surgem outras Verdade que são Absolutas, são inegáveis, e somente são negadas pelos ateus, pelos loucos e pelos inimigos de Deus! Mas mesmo que eles neguem isso de forma alguma deixa de ser absolutamente Verdadeiro.

-Por exemplo: Os 10 mandamentos da Lei de Deus! Gravados em pedra, como Lei Eterna.

-Por exemplo: A unicidade da Igreja de Cristo, a Católica Apostólica e Romana! Fundada sob a rocha de Pedro e adquirida por Jesus Cristo ao preço do Seu Preciosíssimo Sangue!

-Por exemplo: A origem divina das Sagradas Escrituras! Trata-se da Palavra do Próprio Deus, que é eterna e imutável, é a Verdade Divina revelada aos homens.

-Por exemplo: Todos os nossos dogmas de fé, sem exceção de um só. Depois de haverem sido proclamados, ex-cátedra, todos passam a ser Verdade Absoluta, cuja negação por um católico implica em pena de excomunhão.

-Por exemplo: Todos os novíssimos, nossas realidades finais, o Céu o Inferno e o Purgatório, conforme constam da divina revelação, sua existência é real e inconteste.

Estes são alguns exemplos, e pode haver outros! Mas para levarem este título todos eles devem ter ligação direta com Deus que é a Verdade Absoluta e de Quem procede esta mesma Verdade. Mas somente deste Deus dos católicos, e de nenhum outro, porque todos os outros credos, religiões e seitas são criações exclusivamente humanas, sob a pérfida ação dos espíritos das trevas. Nada do que provém deles, absolutamente NADA pode receber a conotação de uma Verdade Absoluta, porque o homem é falível, não é eterno e o que é falível mortal e imperfeito não pode gerar o Absoluto.

Óbvio então que, todos os credos e seitas, serão sempre antagônicos da Verdade Absoluta, porque tudo aquilo que é falível, mutável e imperfeito não consegue penetrar no sentido do Absoluto, imutável e perfeito. Mas não é pelo fato de o Bergoglio negar que existam Verdades Absolutas que elas deixam de existir. Ele não tem poder de mudar a Palavra Eterna, mesmo que se diga muito arrogantemente: eu sou o pastor dos católicos. E meu é que ele não é, nunca foi e nunca será. Mesmo que os credos não aceitem as Verdades Absolutas que somente a Igreja Católica Apostólica Romana tem, ainda assim elas não deixam de existir. Nem Deus a pode ou irá mudar!

Eis o motivo pelo qual ele tanto insiste em classificar de “fundamentalistas”, os católicos que se mantêm firmes a estas Verdades Eternas: elas impedem a união de todas as religiões, como ele deseja! Nossos Dogmas de Fé, por exemplo, têm sempre sido um obstáculo para o avanço do falso ecumenismo, porque os protestantes não os aceitam. Para eles a verdade é relativa, pode mudar: o que é verdade hoje pode não ser amanhã, fruto da evolução e da modernidade. Seriam então os homens que decidiriam, em cada tempo, o que é verdade ou não! Ora, ao tempo de Stalin, na Rússia a verdade era o comunismo sanguinário e assassino. No tempo de Hitler na Alemanha, ele mesmo era a “verdade absoluta”. O mesmo se dá com os filhos de Alá e Maomé: não existe Verdade ali, só mentira!

Eu, na realidade, traçando estes parâmetros, me sinto é muito feliz em ser taxado de fundamentalista, porque significa que trabalho em cima do fundamento da Verdade Eterna, que é o Próprio Deus. Sem mudar, nem para a direita, nem para a esquerda, sem me desviar um centímetro do “caminho” indicado por Jesus, sem ser condescendente com o pecado e com a heresia e sem deixar de buscar a “Verdade” que é Cristo, porque anseio a “Vida” que somente Nele se encontra. Claro que no mais profundo da imperfeição, das falhas humanas, porém sempre persistindo na melhora, no conhecimento e na vivência dos Seus Mandamentos e em fidelidade a Sua Santa Igreja, a de João Paulo II e Bento XVI. Ao nosso Catecismo! Renhidamente! Mas com imenso amor de salvação!

O contrário de um “fundamentalista” é um “modernista”, que vive e prega aquilo que o Papa Pio X definiu como a síntese de todas as heresias. Modernista é aquele para quem a “verdade” evolui: se adapta aos tempos e as modas e modismos humanos e cambia, naturalmente sempre para mais distante da Verdade Absoluta, qual seja o Próprio Deus. O modernismo tende a fazer o homem o centro de tudo, tem na busca dos prazeres mundanos a sua meta principal e na medida em que avança acaba se afundando cada vez mais na imoralidade, porque justifica o pecado como uma expressão da liberdade humana, não como grave ofensa ao Deus Verdade. Desde que não fira o outro pode pecar! Como se isso fosse possível! Eis aqui o célebre: “quem sou eu para julgar?”.

Então, quando este que se diz papa despeja todo o seu ranço contra aqueles que desejam se manter fiéis à Verdade, à Tradição e a Sã Doutrina, e quando nega verdades eternas, se mostra um modernista e comunista, e seus atos mostram isso como “Verdade Absoluta”, na devida proporção é claro. Todo modernismo é condenado, porque no fundo deifica o próprio ser humano, e em Bergoglio isso se nota, quando emprega grande parte do se verbo e de suas ações no sentido do bem estar social, casa, comida, trabalho, locomoção e saúde das pessoas, algo que SIM, os católicos como cidadãos devem se envolver – Com Deus à frente – mas não como prioridade e meta da Igreja, porque ela foi fundada por Jesus com a finalidade maior de dar o Céu para todos. Não este mundo!

Quem acompanha e anota tudo o que ele faz e diz, desde o começo de seu antipontificado, percebe que ele tem verdadeira aversão pelas Sagradas Escrituras, pois já declarou publicamente que a Bíblia é um livro antigo, e que precisa de novas interpretações. E ele está fazendo isso: uma nova bíblia ecumênica! Entretanto ele tem amiúde se declarado a favor do Alcorão dos maometanos, o que é realmente muito suspeito. Mas nisso se mostra a ira dele contra a Bíblia, porque ela contém a Verdade Absoluta, que impede união com os filhos de Maomé, que vivem uma falsa doutrina, distante da Verdade, porque distantes do Deus Único, fonte Única da Verdade imutável e eterna.

Portanto é de todo impossível qualquer tipo de ecumenismo com os protestantes, com maometanos e budistas, igualmente com qualquer ou com todos os outros credos e seitas, porque isso implicaria em termos de nos afastar da Fonte Única da Verdade Absoluta, ou seja, do Próprio Deus. E quando critica os católicos tradicionalistas de terem um “coração duro”, de não aceitarem as mudanças que ele pretende impor na Igreja, Bergoglio apenas mostra a sua face de lobo, já nem escondida por trás da pele de um cordeiro. Sua heresia é escancarada, e somente não vê quem não quer e quem foi cegado pelo inimigo, quem é conivente e participa da destruição da Igreja. Seguir Bergoglio é combater a Cristo é demolir a Igreja Única que Ele fundou.

E quem faz isso, pelos documentos claríssimos da Santa Igreja, e pelos escritos dos nossos santos, está fora da verdade e, portanto, fora da verdadeira Igreja. Quem segue um herege e aprova os seus atos é outro herege. Se ele segue o herege, ignorando suas intenções é um cego, porque suas obras são manifestas e ninguém pode alegar diante de Deus que não sabia da lei. Quem não sabe tem a obrigação de estudar e aprender. E tudo isso deve ser bem estudado para que sirva de base para a escolha que teremos de fazer em breve: Com Deus ou contra Deus!

Ou você está com as Verdades Absolutas e com Deus Uno e Trino, ou você está com o relativismo modernista de Bergoglio e do seu anticristo. Cada um é livre para escolher, Deus não irá interferir. Uma última coisa: todos nós somos responsáveis pela salvação de todos. Então agora, neste tempo de batalha final, a ninguém que conhece estas realidades é dado escondê-las, ou se acovardar de levar avante, para que mais pessoas não se deixem enganar. É tempo de semear, ainda que não acreditem agora, pois com a futura explosão do Zelo do Espírito Santo, todo aquele que um dia teve contato com a Verdade e rejeitou, mais facilmente cairá aos pés de Deus, Verdade Absoluta!

(Aarão)
 

Fonte:recadosdoaarao.com.br

 
 
 

Artigo Visto: 1163 - Impresso: 34 - Enviado: 8

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.281.660 - Visitas Únicas Hoje: 216 Usuários Online: 73