"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
04/11/2017
FELICIDADE DOS RELIGIOSOS EM MORAREM JUNTO COM JESUS NO SANTÍSSIMO SACRAMENTO
 

FELICIDADE DOS RELIGIOSOS EM MORAREM JUNTO COM JESUS NO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

Beati qui habitant in domo tua, Domine; in saecula saeculorum laudabunt te — “Bem-aventurados, Senhor, os que moram em tua casa; pelos séculos te louvarão” (Ps. 83, 5).

http://www.ucatholic.com/wp-content/uploads/2013/06/Corpus-Christi.jpg

I.

A Venerável Madre Maria de Jesus, fundadora de um instituto em Tolosa, dizia que por dois grandes motivos estimava a sua felicidade de ser religiosa: o primeiro, porque os religiosos são todos de Deus pelo voto de obediência; segundo, porque os religiosos têm a ventura de habitar sempre com Jesus sacramentado. — E na verdade, se os mundanos estimam tanto serem chamados pelos reis para habitarem nos seus palácios, quanto mais os religiosos devem estimar o habitarem continuamente com o Rei do céu na sua casa?

Nas casas religiosas, Jesus se deixa ficar na igreja expressamente para eles, a fim de que O achem a toda hora. Os seculares podem ir visitá-Lo apenas de dia, e em muitas partes só de manhã; mas o religioso acha-O no sacrário sempre que O procure: de manhã, de dia e de noite. Aí pode entreter-se continuamente com seu Senhor, e aí Jesus se compraz em tratar familiarmente com seus amados servos, que Ele para este fim tirou do Egito, isto é, do mundo, para nesta vida lhes fazer companhia, escondido no Santíssimo Sacramento, e na outra, ser-lhes companheiro, mas então descoberto, no céu. A respeito de qualquer casa religiosa pode-se dizer: “Ó beata solidão, em que Deus fala e trata familiarmente com os seus!” (1)

As almas que amam deveras a Jesus Cristo não sabem desejar na terra outro paraíso mais perfeito do que acharem-se na presença de seu Senhor sacramentado, que aí está por amor de quem O procura e visita. Non habet amaritudinem conversatio illius, nec taedium convictus illius (2) — “A sua conversação não tem nada de desagradável, nem a sua companhia nada de fastidioso”. Acha fastio junto de Jesus quem não O ama; mas uma alma que nesta terra pôs o seu amor só em Jesus, acha no Santíssimo Sacramento todo o seu tesouro, o seu repouso, o seu paraíso. Por isso, só pensa em fazer corte a seu Jesus sacramentado e em visitá-Lo o mais que puder, expandindo ao pé do altar os seus afetos, as suas aflições, os seus desejos de amá-Lo e de vê-Lo um dia face a face no paraíso e entretanto cumprir em tudo a sua vontade.

II.

Eis-me aqui na vossa presença, ó meu Jesus sacramentado. Vós sois aquele que um dia Vos sacrificastes por mim na cruz. Vós sois aquele que tanto me amais e por isso residis encerrado neste cárcere de amor. De entre tantos que menos do que eu Vos tinham ofendido e mais do que eu Vos amavam, me escolhestes, por vossa bondade, para Vos fazer companhia nesta casa, onde, depois de me arrancardes do meio do mundo, me destinastes a viver sempre unido convosco, para me conservardes depois junto de vosso trono a louvar-Vos e amar-Vos no reino eterno. Senhor, eu Vos agradeço. Como podia merecer tamanha ventura?

Elegi abiectus esse in domo Deis mei, magis quam habitare in tabernaculis peccatorum (3) — “Preferi estar aviltado na casa de meu Deus, a morar nas tendas dos pecadores”. Sim, contente estou, meu Jesus, por ter deixado o mundo e antes quero fazer na vossa casa o oficio mais humilde, do que morar nos mais soberbos palácios dos homens. Aceitai-me, pois, meu Senhor, para ficar convosco toda a minha vida; não me expulseis, como eu merecia. Consenti que no meio de tantos bons irmãos que Vos servem nesta casa Vos sirva também eu mísero pecador. Muitos anos vivi longe de Vós: mas já que me iluminastes para conhecer a vaidade do mundo e a minha insensatez, não me quero mais afastar de Vós, ó meu Jesus. A vossa presença me animará no combate quando for tentado: a vossa proximidade me recordará a obrigação que tenho de Vos amar e de recorrer sempre a Vós nos meus combates contra o inferno. Por isso sempre quero estar perto de Vós, para cada vez mais me unir e abraçar-me convosco.

Amo-Vos, ó meu Deus, escondido neste Sacramento. Vós, por meu amor, estais continuamente neste altar; por vosso amor quero ficar o mais possível na vossa presença. Vós, aqui encerrado, estais-me sempre amando; eu também aqui encerrado quero amar-Vos sempre. Assim, meu Jesus, meu amor, meu tudo, estaremos sempre juntos, no tempo nesta casa, na eternidade no céu. Assim espero, assim seja. — Maria Santíssima, obtende-me um grande amor ao Santíssimo Sacramento. (IV 427.)

    S. Hieron.
    2. Sap. 8, 16.
    3. Ps. 83, 11.

Meditações: Para todos os Dias e Festas do Ano: Tomo III – Santo Afonso

Fonte: http://www.catolicosribeiraopreto.com/felicidade-dos-religiosos-em-morarem-junto-com-jesus-no-santissimo-sacramento/#more-11141

 
 
 

Artigo Visto: 259 - Impresso: 5 - Enviado: 0

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 2.813.598 - Visitas Únicas Hoje: 259 Usuários Online: 73