"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
14/10/2020
Vaticano, Cecilia Marogna, a "senhora" do Cardeal Becciu presa
 

Vaticano, Cecilia Marogna, a "senhora" do Cardeal Becciu presa

14-10-2020

A gerente do cardeal Becciu, Cecilia Marogna, presa em Milão pela Guardia di Finanza por uma ordem de prisão internacional através da Interpol. Ela é a mulher, especialista em relações diplomáticas, envolvida no escândalo financeiro que está varrendo o Vaticano. Suspeita-se de ter estabelecido relações com a Secretaria de Estado, quando o Cardeal Angelo Becciu era suplente, e de ter recebido meio milhão de euros pelos seus conselhos.

Salvo em: Blog por Aldo Maria Valli

Marogna foi presa em Milão pela Guardia di Finanza: os investigadores do Vaticano emitiram um mandado de prisão internacional contra ela, ativando a Interpol. Na mira dos investigadores do Vaticano, conforme revelado por uma investigação das Hienas, as transferências de meio milhão de euros recebidas da Santa Sé para operações humanitárias secretas na Ásia e na África, e quase metade delas acabaram na compra de bolsas. cosméticos e outros produtos de luxo. Marogna, que estaria de posse de uma carta assinada por Becciu credenciando-a como pessoa de confiança, teria recebido o dinheiro em várias tranches entre dezembro de 2018 e julho de 2019 na conta à ordem da Logsic doo, a empresa, com sede em Liubliana , da qual ela é a administradora. Todos os pagamentos com a finalidade de “contribuição para missão humanitária”.

Além disso, a própria Logsic teria se revelado uma empresa 'fantasma', tanto que no prédio de Ljubljana, indicado como sua sede, a Hienas encontrou apenas uma caixa postal - compartilhada com outras cinco empresas -, e uma agência fechada sem sequer a placa. As transferências em questão teriam sido assinadas quando Becciu já havia sido sucedido como Substituto para Assuntos Gerais por Mons. Edgar Pena Parra, mas teria sido o ex-prefeito da Congregação para as Causas dos Santos quem pediu a monsenhor Alberto Perlasca, na época chefe do escritório administrativo do SdS (agora sob investigação na investigação do Vaticano), que honrasse os acordos tomadas com o diretor-gerente da Logsic. La Marogna, que se apresentou como especialista em relações diplomáticas e diplomacia paralela, teria entrado em contato com o cardeal em 2016, atuando como mediador em crises internacionais de vários tipos. Becciu, após ter filtrado à luz da notícia de que se sentia "enganado" e disposto a registrar queixa contra a senhora, também especificou, por meio de seu advogado, o advogado Fabio Viglione, que "os contatos com Cecília Marogna dizem respeito exclusivamente questões institucionais ". Quanto a ela, afirmou "o resultado de ter construído uma rede de relações na África e no Oriente Médio para proteger as Nunciaturas e as Missões dos riscos ambientais e das células terroristas", explicando que "os fundos na Eslovênia eram uma garantia para as operações na África " E sobre os gastos com bens de luxo esclareceu às hienas: “Foi um pouco uma volta dos adiantamentos que eu tinha usado como recursos ...”. Por outro lado, "exerço uma profissão sensível e particular.

Fonte: Adnkronos - Via: https://www.aldomariavalli.it/2020/10/13/vaticano-arrestata-cecilia-marogna-la-dama-del-cardinale-becciu/

 
 
 

Artigo Visto: 279 - Impresso: 0 - Enviado: 0

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 4.336.186 - Visitas Únicas Hoje: 1.239 Usuários Online: 245