"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
06/10/2017
Bento XVI diz que o "escurecimento" de Deus na liturgia é a raiz da crise atual na Igreja
 

Bento XVI diz que o "escurecimento" de Deus na liturgia é a raiz da crise atual na Igreja

05/10/2017 - 8:05 PM

Bento XVI, papa emérito, escreveu um prólogo à edição russa de seu livro "Teologia da Liturgia", no qual ele afirma que a raiz da crise atual na Igreja tem sua origem em um mal entendido da reforma litúrgica.

http://infocatolica.com/files/17/10/benedhilarion.jpg

(NCRegister/InfoCatólica)

O Papa Bento XVI lamentou o "escurecimento" de Deus na liturgia, que, segundo ele, é a raiz da crise atual na Igreja.

No prefácio de uma nova edição russa de seu livro Theology of the Liturgy , Bento XVI afirma que um mal entendido generalizado sobre a reforma litúrgica levou o homem a colocar "sua própria atividade e criatividade no centro do culto".

Ele acrescenta que a Igreja vive na "celebração correta da liturgia", porque se a preeminência de Deus já não é evidente na liturgia e na vida, a própria Igreja "está em perigo".

Bento XVI continua: "Nada precede o culto divino, com estas palavras, São Bento, em sua Regra (43.3), estabeleceu a prioridade absoluta do culto divino sobre qualquer outra tarefa da vida monástica".

Ele ressalta que, mesmo assim, as demandas do tempo gasto em agricultura ou artesanato poderiam fazer esse trabalho parecer mais importante que a liturgia. São Bento, então, assegurou-se de dar prioridade à liturgia, enfatizando inequivocamente "a prioridade do próprio Deus em nossas vidas".

"Na hora do Ofício Divino, assim que você ouvir o sino, deixe tudo o que tenhas em suas mãos, adverte com o máximo  cuidado", escreve Bento XVI, lembrando a Regra.

Mas hoje, ele acrescenta: "as coisas de Deus e, portanto, a liturgia não parece urgente". E acrescenta que existe uma necessidade urgente de "tudo o que é possível", mas as coisas de Deus "não parecem urgentes".

"No entanto, pode-se dizer que a vida monástica é em qualquer caso algo diferente da vida dos homens no mundo, e isso certamente é correto", diz Bento XVI". E ainda a prioridade de Deus que temos esquecido, vale a pena para todos.

"Se Deus já não é importante, se movem os critérios que estabelecem o que é importante", explica. "O homem, deixando de lado Deus, submete-se às limitações que o tornam escravo de forças materiais e que se opõem à sua dignidade"

Fonte: http://infocatolica.com/?t=noticia&cod=30602

 
 
 

Artigo Visto: 332 - Impresso: 9 - Enviado: 1

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 2.766.179 - Visitas Únicas Hoje: 115 Usuários Online: 120