"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
20/05/2018
Novo escândalo de pedofilia na Igreja do Chile
 

Novo escândalo de pedofilia na Igreja do Chile

19 de maio de 2018 às 22:24

"Eu não estudei para ser detetive, estudei para ser pastor", diz o bispo Alejandro Goic, mas pede perdão.

http://www.periodistadigital.com/imagenes/2018/05/19/goic.jpg

(José M. Vidal / Agências) .- A Igreja chilena parece absolutamente podre por dentro e por fora e continua a sangrar sem parar por causa da ferida aberta da praga dos abusadores. Um dia depois que todos os bispos chilenos se demitiram pelo escândalo dos abusos sexuais, um novo caso de pedofilia veio à tona.

Sacerdotes da Diocese de Rancagua, no centro do país sul-americano, foram acusados de fazer parte de um grupo secreto que se chamava “Família” e que, nos últimos anos, teriam se aproveitado sexualmente de menores.

Elisa Fernández, ex-coordenadora do ministério de jovens, denunciou essa situação, na qual presumivelmente uma dúzia de presbíteros está envolvida, em uma reportagem televisiva que foi ao ar na sexta-feira à noite pelo canal 13.

"Eu não sei se posso chamar de irmandade, seita ou grupo de padres que têm práticas que não condizem com sua condição de padres, e com respeito aos jovens, pelo menos na minha época, de entre 15 e 29 anos", explicou Fernandez. Que participou ativamente em atividades da Igreja Católica por 14 anos.

Esta mulher afirmou ter testemunhado como os padres da diocese de Rancagua, cidade localizada a 85 quilômetros de Santiago, comentavam sobre suas preferências sexuais por menores de idade.

A denunciante entregou uma lista com o nome dos padres envolvidos nesses eventos há um ano e meio atrás ao bispo de Rancagua, Alejandro Goic, embora o religioso, diz Fernandez, não tenha tomado nenhuma ação.

Por esta razão, há alguns meses, ele criou uma conta no Facebook em que ele fingiu ser um jovem chamado Pablo, que tinha 16 anos e entrou em contato com um dos sacerdotes questionados, o pároco Luis Rubio Contreras, da cidade de Paredones.

O pároco de 54 anos de idade enviou ao suposto menor de idade mensagens de conteúdo erótico e fotos suas totalmente despido, fatos que ele mesmo admitiu na reportagem da televisão. "Eu reconheço que fiz isso, sei que é horrível, porém mais do que isso não posso dizer mais nada", disse o pároco, que acrescentou: "É um dia de grande tristeza e lamento o que fiz, me sinto muito envergonhado".

Como resultado deste episódio, o Bispado de Rancagua anunciou sua decisão de suspender temporariamente o pároco de suas funções e enviar as informações à Santa Sé.

Elisa Fernandez denunciou a passividade do bispo Alejandro Goic diante dos fatos, apesar de ter se encontrado com ele em quatro ocasiões para discutir o assunto.

Goic, que chegou ontem ao Chile vindo de Roma, onde participou com o restante dos bispos chilenos nas reuniões com o Papa Francisco para tratar dos escândalos de abuso sexual na Igreja, garantiu ao Canal 13 que Luis Rubio não foi investigado em profundidade porque nunca houve uma "queixa formal".

"Eu não estudei para ser detetive, estudei para ser pastor", disse Goic, um dos bispos chilenos mais influentes e que também dirige o Conselho Nacional para a Prevenção de Abusos contra menores  e Acompanhamento das Vítimas da Conferência Episcopal Chilena.

Essas novas acusações agravam a situação delicada da Igreja chilena após os encontros dos bispos com o papa, que lhes entregaram uma carta contendo parte das conclusões da extensa investigação realizada pelo arcebispo maltês Charles Scicluna sobre os abusos cometidos pelo clero no Chile.

Depois das reuniões, todos os bispos chilenos colocaram seus cargos nas mãos do Papa Francisco para decidir quem permanece em suas funções.

http://www.periodistadigital.com/imagenes/2018/05/19/catedral-e-rancagua.jpg

Catedral de Rancagua

Goic pede perdão

O bispo de Rancagua, Alejandro Goic Karmelic, pediu perdão por meio de um comunicado sobre o padre Luis Rubio Contreras, designado como parte de uma "irmandade" de sacerdotes da diocese da cidade, que se chamava "A Família" e que teria realizado condutas sexuais impróprias e possíveis abusos.

Nesse sentido, Goic disse através de um comunicado que "eu quero me desculpar por minhas ações neste caso". Eu admito que recebi este jovem que aparece na reportagem e eventualmente agi sem a agilidade apropriada no processo do inquérito do padre Luis Rubio e outros presbíteros citados por ela ", diz ele.

Junto com isso, ele valorizou o trabalho feito pelos meios de comunicação para esclarecer os fatos e, ao mesmo tempo, confirmou que  "nós fizemos uma denúncia ao Procurador de Rancagua, com os antecedentes fornecido pelo canal 13, sobre Luis Rubio Contreras ".

Texto integral do comunicado da diocese de Rancagua

O Bispado de Rancagua informa a comunidade, que tomamos conhecimento no sábado, 12 de maio, através do padre diocesano Luis Rubio Contreras, que ele incorreu em conduta imprópria ao seu status sacerdotal. Queremos salientar:

1.- O Bispado de Rancagua recebeu em reserva antecedentes destas condutas impróprias, investigando os fatos sem resultados. Em seguida, o presbítero Luis Rubio reconheceu neste sábado ao Vigário Geral da diocese seu comportamento impróprio, observando que ele havia sido contatado por um meio de comunicação diante do qual ele aceitou esses fatos. Diante desta situação, hoje, segunda-feira, 14 de maio, tomamos a medida de suspender temporariamente o exercício de seu ministério ao presbítero, como medida cautelar, enquanto se indague e entregue à Santa Sé os antecedentes da causa.

2- Tomamos conhecimento que esta mesma mídia também entrevistou outros sacerdotes diocesanos sobre esses comportamentos.

3.- O Bispo de Rancagua Alejandro Goic Karmelic, que está em Roma para participar da reunião que o Santo Padre mencionou, foi informado da situação que está sendo vivida na diocese de Rancagua e apresentou as diretrizes das medidas a tomar.

4.-Lamentamos profundamente qualquer ato ou situação que viole os valores e princípios que sustentam nossa Igreja e expressamos nossa clara disposição de colaborar em qualquer tipo de procedimento que derive do conhecimento desses fatos.

5.- Mais uma vez, fazemos um chamado àqueles que têm informações sobre fatos que não se condizem com a Ordem Sacerdotal, que deem a conhecer às respectivas instâncias da Igreja.

6.- Pedimos orações para que a verdade, que nos torna livres, prevaleça em nossa Igreja e que todos nós trabalhemos para a dignificação das pessoas como Nosso Senhor Jesus Cristo nos pede.

http://www.periodistadigital.com/imagenes/2018/05/19/monsenor-goic.jpg

Fonte: http://www.periodistadigital.com/religion/america/2018/05/19/nuevo-escandalo-de-pederastia-en-la-iglesia-de-chile-iglesia-religion-ios-jesus-abusos-curas-rancagua.shtml

 
 
 

Artigo Visto: 445 - Impresso: 9 - Enviado: 4

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.213.561 - Visitas Únicas Hoje: 617 Usuários Online: 173