Sinais do Reino




Artigos
  • Voltar






16/04/2021
Carta / É por isso que eu, como médico, me oponho à obrigação de vacinar. E por isso vou perder meu emprego

Carta / É por isso que eu, como médico, me oponho à obrigação de vacinar. E por isso vou perder meu emprego

16-04-2021

Caros amigos do Duc in altum , recebo e proponho esta carta que me foi enviada por um médico do hospital sobre a obrigação de vacinar-se.

Salvo em: Blog por Aldo Maria Valli

Caríssimo Doutor Valli,

Sou um médico de hospital prestes a ser suspenso do trabalho e sancionado (ou talvez destituído) da Ordem dos Médicos, visto que me recuso a submeter-me à obrigação de vacinação. De imediato, gostaria de salientar que não sou um no-vax, categoria com a qual, hoje, quem guarda sérias e fundadas dúvidas sobre o que seja, como é amplamente conhecido mas não admitido pela maioria, não o é. uma vacina, mas uma terapia, gene experimental.

As razões da minha recusa em obedecer são principalmente de natureza médico-científica:

A terapia só recentemente iniciou a última fase experimental, a fase IV, que segue a colocação da vacina no mercado.

A experimentação envolveu sujeitos saudáveis, de modo que as reações que poderiam ocorrer em sujeitos com várias patologias ainda não são conhecidas. Provavelmente levará mais 2-3 anos.

A segurança, portanto, bem como a eficácia real, são desconhecidas.

Os efeitos sobre a gravidez e a amamentação não são conhecidos.

Há evidências claras de que em alguns casos a imunidade não pode se desenvolver, mas acima de tudo há evidências claras de que uma pessoa vacinada pode transmitir a infecção e pode contrair a doença ela mesma. A prova é que ainda é necessário manter medidas de proteção.

Além disso, sendo um crente convicto, não posso aceitar o uso de células retiradas de fetos vivos abortados (porque devem sê-lo e no quinto mês de gravidez), como bem explicado por uma carta recente publicada no Duc in altum . É por isso que assinei o apelo em apoio à posição de Monsenhor Schneider.

Por fim, há razões fundadas para considerar a provisão da obrigação de vacinação altamente lesiva às liberdades e direitos da pessoa, razões que se chocam violentamente com diversos artigos de nossa Constituição, considerados sagrados e invioláveis ​​somente quando conveniente.

Ela vai me dizer: essas são coisas bem conhecidas. Mas, além da amargura de ter de ser suspenso de uma profissão que amo profundamente e que pratico por trinta e oito anos sem nunca ter procedido contra mim e sempre no pleno respeito à deontologia e à ética, você pode imaginar a preocupação de poder continuar a sustentar minha família (renda única). Observo com extrema dor que, mais uma vez, a posição assumida pela Igreja gera nada menos que confusão e perplexidade, e também noto o silêncio ensurdecedor da política e das confederações sindicais, que literalmente abandonaram o povo.

Saúdo-vos cordialmente e renovo toda a minha profunda estima

Um médico de hospital

Fonte:https://www.aldomariavalli.it/2021/04/16/lettera-ecco-perche-io-medico-mi-oppongo-allobbligo-di-vaccinazione-e-per-questo-perdero-il-lavoro/




Artigo Visto: 303

 




Total Visitas Únicas: 2.149.771
Visitas Únicas Hoje: 547
Usuários Online: 211