Sinais do Reino


Artigos
  • Voltar






27/09/2023
A Espetacular Batalha do Arcanjo Miguel Defendendo uma Primavera Milagrosa contra os Pagãos

A batalha épica entre o verdadeiro Arcanjo Miguel e o impostor da Nova Era, Arcanjo Miguel.

O mundo está se tornando pagão, acreditando em superstições que o distanciam do verdadeiro Deus.

Onde o poder do verdadeiro Deus se dilui nas energias cósmicas.

Estas forças paganizadoras também entraram na Igreja, através da incorporação de atos de veneração aos cultos pagãos e aos seus ritos supersticiosos, mesmo em missas.

Enquanto a Nova Era paganiza o Arcanjo Miguel há quase um século, considerando-o quase sua maior divindade.

Mas há uma grande aparição do Arcanjo Miguel em Colosas, a maior do cristianismo oriental, que aconteceu justamente para combater os pagãos.

Aqui falaremos sobre como o Arcanjo Miguel apresentado pela Nova Era é um impostor, porque não responde a Deus, mas ao maligno, e como, pelo contrário, o verdadeiro Arcanjo Miguel desceu a Colosas para lutar contra os pagãos.

O esoterismo floresce e ocupa o lugar deixado vazio pelo declínio do cristianismo e pelo esquecimento do sagrado.

Apoiados na dispensação dos sacerdotes, que não se preocupam em diferenciar as crenças pagãs das cristãs.

O paganismo da Nova Era adora a natureza como um ser vivo, acredita na reencarnação e usa símbolos e rituais supersticiosos, acreditando no seu poder, independente de Deus.

E o seu ponto culminante é considerar os anjos como seres que fazem a sua própria vontade, como emergentes de energias cósmicas, sendo o seu maior expoente o Arcanjo Miguel.

Hoje muitos católicos acreditam que os anjos nos conectam com energias invisíveis.

Eles caem nas ilusões da Nova Era de que os anjos capacitam as pessoas a atingirem seu pleno potencial, a se livrarem de ansiedades e problemas, e a ganharem dinheiro e terem sucesso.

O Arcanjo Miguel que pregam na Nova Era é um impostor.

Eles se referem a ele como um ser incrível de Inteligência Cósmica, um ser espiritual altamente evoluído que reflete a Luz Crística.

E dizem que pode ser invocado por qualquer pessoa que pretenda crescer, evoluir e alinhar-se com o universo.

Em outras palavras, enquanto para a Nova Era os anjos são seres “cósmicos” que agem livremente, os anjos do Cristianismo são criação de Deus, que fazem a Sua vontade, e Ele os colocou a serviço dos homens.

Eles falam sobre como se comunicar com os anjos é preciso modificar o nível vibracional humano.

E isto é um grande engano, porque quando um anjo aparece a um ser humano, fá-lo a pedido de Deus, e de forma inesperada, simples e espontânea.

Sem a necessidade de exercícios especiais ou de exigir que as pessoas mudem sua “frequência vibratória”.

E esse engano se torna mais sombrio e mostra de onde realmente vem essa doutrina, quando ensinam que as pessoas tiveram uma impressão muito falsa dos anjos caídos.

E que Lúcifer é o verdadeiro “Portador da Luz”, dedicado ao nosso crescimento espiritual.

Assim concebidos, os anjos não são mais ministros ou auxiliares de Deus, mas antes obstáculos no relacionamento dos homens com o verdadeiro Deus.

O nome Mi-ka-El, em hebraico “que é como Deus”, reflete o programa do Arcanjo Miguel.

Ele é um intermediário eficaz e um poderoso defensor da humanidade, mas fá-lo em virtude de ser um mensageiro que responde ao seu Criador.

Segundo a Sagrada Escritura e a Tradição, ele intercedeu pela humanidade em múltiplas ocasiões e continua a servir como defensor da fé.

Em Apocalipse 12, ele está à frente dos anjos para lutar contra Lúcifer e o joga na Terra.

Ele apareceu aos seres humanos em vários picos de montanhas, lugares teofânicos por excelência, para nos lembrar que o seu papel é o de servo do Céu.

No Monte Gargano na Itália apareceu 4 vezes ao longo da história, desceu ao Monte Saint Michel na França.

E ele foi o mensageiro enviado por Deus para guiar Santa Joana D’Arc.

O imperador Constantino atribuiu a ele sua brilhante vitória sobre o imperador pagão Maxêncio.

Durante uma peste que despovoou a cidade de Roma, ele apareceu ao Papa Gregório Magno, em procissão, com a espada erguida, cortando a peste.

Ele apareceu em Tlaxcala, no México, para anunciar uma nova fonte de água curativa.

Em 1884 Leão XIII criou a famosa oração a São Miguel, para pedir ajuda, dada a visão que teve de bandos de demônios atacando o Vaticano.

Foi enviado para preparar os pastorinhos de Fátima para receberem as aparições de Nossa Senhora.

Ensinou-os a rezar e deu-lhes a sagrada comunhão, algo que também aconteceu em Garabandal.

E a tradição conta que Miguel apareceu no santuário de Colosas, na Frígia, hoje Turquia, onde todos os enfermos que ali se banhavam foram curados, invocando a Santíssima Trindade e a Miguel.

Esta é uma aparição expressamente contra os pagãos.

Porque quando esses pagãos, que tinham crenças supersticiosas como as da Nova Era, quiseram destruir o santuário e a fonte de cura, o Arcanjo Miguel apareceu e os dispersou.

A história é esta. Depois que Nossa Senhora foi para o Céu, São João Apóstolo chegou à Frígia.

E uma vez lá, o Espírito Santo o instruiu a fundar um culto a São Miguel Arcanjo, para que o local se tornasse um epicentro de reverência e amor ao líder de todos os anjos.

Ele pregou aos nativos sobre a grandeza de São Miguel e uma fonte de água brotou por onde São João caminhava.

Logo os enfermos vieram pedir a intercessão de São Miguel.

E quando chegaram, foram instruídos sobre como fazer o sinal da cruz em homenagem à Santíssima Trindade, rezaram a São Miguel e ficaram curados instantaneamente.

Muitos dos peregrinos eram pagãos e se converteram à fé.

Não muito longe dali, São Miguel apareceu ao pai de uma menina que havia nascido muda, disse-lhe que a levasse até a nascente e lhe desse de beber.

O pai pegou sua filhinha e orou pela cura dela.

E de repente, a menina falou dizendo “obrigada, São Miguel”.

O pai e a filha foram catequizados e depois batizados.

E mais tarde o padre liderou a fundação de uma bela igreja dedicada a São Miguel, junto à nascente, como forma de agradecimento ao Arcanjo.

Nesta primavera, a igreja ficou sob a jurisdição de um arcebispo muito bom e santo, e foi palco de uma miríade de milagres.

Mas os pagãos locais ficaram tão furiosos com as curas milagrosas e a santidade do arcebispo que planejaram a destruição.

Capturaram e arrastaram o arcebispo pelos cabelos, enquanto o espancavam com porretes.

Mas os dedos que puxavam os cabelos do arcebispo secaram instantaneamente.

Tentaram desmontar a nascente, mas dela saiu fogo em vez de água, o que confundiu os pagãos e eles fugiram.

E depois tentaram inundá-lo, desviando um rio, para diluir a água benta da nascente e sujá-la.

Então o santo arcebispo ajoelhou-se diante do altar de São Miguel e pediu que os esforços para poluir a nascente não tivessem êxito.

E ouviu a voz de São Miguel lhe dizendo para ter coragem.

E quando os pagãos conseguiram desviar a água do rio, que esperavam que inundasse a nascente, São Miguel apareceu, fez o sinal da cruz e a sua presença impediu que a água do rio tocasse a nascente.

O paredão de água do rio obedeceu-lhe, não molhou nem a nascente e protegeu o terreno por onde caminhou São João Apóstolo.

Pois bem, aqui queríamos falar sobre como o Arcanjo Miguel aparece para lutar contra os pagãos, e de fato hoje, contra a paganização New Age de sua figura.

E gostaria de lhe perguntar se você já ouviu católicos referirem-se às energias cósmicas e os viu cultivar superstições distantes do poder de Deus ou não.

ASSISTA OS VÍDEOS ABAIXO

Fonte:https://forosdelavirgen.org/batalla-arcangel-miguel-paganos/









Artigo Visto: 432

 




Total Visitas Únicas: 6.308.177
Visitas Únicas Hoje: 226
Usuários Online: 111