Sinais do Reino


Artigos
  • Voltar






02/10/2023
Entrevista exclusiva / O obelisco da Praça de São Pedro fala

De vez em quando passam por baixo juízes, advogados e réus. História ruim. Há muito dinheiro em jogo. Falam de milhões como se fossem amendoins: cem milhões aqui, duzentos milhões ali...

por Aldo Maria Valli

Bom dia, obelisco.

Bom dia para você.

Obrigado por nos conceder esta entrevista.

Por favor. Vejo que todo mundo aqui dá entrevistas. Então eu disse para mim mesmo: por que não eu?

Já. Então, como vai?

Bem. Mas me sinto um pouco sozinho.

Como assim?

Há muitas cadeiras por aqui, mas elas permanecem vazias. Na verdade, nem sei por que os colocaram. Não é como costumava ser...

Poucas pessoas na praça?

Sim, poucas pessoas, pouco entusiasmo. Tudo um pouco triste. Lembro-me de quando a praça estava repleta de fiéis vindos de todo o mundo.

No entanto, temos um Papa muito amado, o Papa da alegria e da misericórdia...

Você diz? Eu não sei. Constato apenas que as cadeiras estão vazias.

Imagino que você, na sua posição, ouça todo tipo de coisa. O que se diz no Vaticano?

Tantos sussurros de pessoas que têm medo de serem ouvidas. E também para serem visto. Um clima ruim, se devo ser sincero.

Realmente? Mas novidades não faltam. Acaba de haver um consistório... um sínodo está chegando...

Sim, mas quem se importa? Os jornalistas já não são vistos. Era uma vez em que vinham em massa, procurando monsenhores e cardeais, paravam para conversar. Agora nada, zero, vazio. Até porque há regras rígidas: só a sala de imprensa fala.

Mas ela realmente não tem indiscrições, vamos lá...

Bem, eu ouvi algo. No julgamento em andamento, por exemplo…

Aquele de Becciu?

Sim, de vez em quando passam por baixo juízes, advogados e réus. História ruim. Há muito dinheiro em jogo. Falam de milhões como se fossem amendoins: cem milhões aqui, duzentos milhões ali... E não são os únicos...

Deixa eu explicar melhor…

Dias atrás, passaram por aqui duas pessoas de Sant'Egidio, membros de Sant'Egidio. Falaram do dinheiro, muito dinheiro, recebido da Comunidade para “integrar os migrantes”.

E então quem vê, quem ouve?

Turistas, é claro. Esses nunca faltam. Mas eles falam pouco. Eles tiram principalmente fotos e selfies com seus celulares.

Sacerdotes? Freiras?

Sim, é claro. Mas eles têm pressa.

E o que eles dizem?

Bem, percebi que os padres de Roma estão bastante zangados.

Por quê?

Pelo que ouvi, eles sentem que não são amados pelo Papa. Perguntam-se: porque é que o Papa sempre nos ataca e não confia em nós? O que fizemos com ele? Um deles, ainda ontem, disse: “Mas por que o Papa foi à Lombardia para escolher o chefe do seminário? Não existe em Roma um bom sacerdote capaz de fazer esse trabalho?”. E suspirava.

Vamos mudar de assunto. Você está feliz porque um presépio será montado ao seu lado para o Natal?

Não me fale sobre isso.

Significa o quê?

Desculpe-me, mas você já viu os presépios que eles construíram ultimamente? Coisas para não acreditar. Esqueça.

Ouça, o que você pode me dizer sobre o Sínodo?

Nada.

Nada?

Nada. Ninguém se importa.

Mas muitos bispos e outros participantes virão.

Sim, mas acredite: as pessoas não se importam com um figo seco. Ouço o que se diz: um sínodo sobre a sinodalidade? Só o nome já faz você rir.

Parece-me que você é um pouco negativo em relação a tudo.

Alguém como eu, que viveu outros tempos, cerimônias e celebrações muito diferentes e, se me permitem, pontificados muito diferentes, como posso ser positivo?

Um pouco nostálgico?

E como não ser?

Vamos, um pouco de esperança... O caminho sinodal é uma coisa linda...

Acredite: um grande drama.

Mas como?…

Ouço os discursos de quem trabalha no Vaticano: “Falamos em caminhar juntos, mas quem decide é sempre o mesmo”.

Veja, sua inscrição diz: Ecce Crux Domini. Fuja das partes adversárias. Vicit Leo de tribu Iuda .

Exato.

Significa: "Eis a cruz do Senhor, fugi dos lados adversos, triunfa o leão da tribo de Judá". Basicamente, um exorcismo. Sente essa responsabilidade?

Eu sinto isso, claro. Estou aqui como sentinela, e isso é um aviso para aqueles que vão à basílica. Mas agora ninguém percebe. Pouquíssimos que entendem o seu significado. Afinal, nem os cardeais sabem mais latim.

Nostalgia de novo...

Talvez seja a idade. No entanto, sou e continuo sendo o único obelisco de Roma que nunca caiu. Eles me mudaram e me transportaram muitas vezes, mas não desisti.

Bem, parabéns. E obrigado por esta entrevista. Desejo-lhe muitos mais anos de serviço.

Obrigado a você, muito gentil. Estou aqui, de pé. Apoiar a cruz que está no meu topo é um dever e uma alegria. E não importa se sinto desolação ao meu redor. Tempos melhores virão. Talvez.

AMV

Via:https://www.aldomariavalli.it/2023/10/02/intervista-esclusiva-parla-lobelisco-di-piazza-san-pietro/




Artigo Visto: 533

 




Total Visitas Únicas: 6.308.183
Visitas Únicas Hoje: 232
Usuários Online: 104