Sinais do Reino


Artigos
  • Voltar






08/10/2023
Você sabia que existem pecados que clamam ao céu por vingança? [e são punidos nesta vida por Deus]

Os piores pecados que o mal está trazendo ao mundo.

O pecado separa o homem de Deus e é a decisão mais ruinosa que uma pessoa pode tomar, tanto pelas consequências para a sua vida terrena como pelas consequências para a vida eterna.

Porque corta o vínculo com Deus, que é a fonte de toda graça.

E são 4 pecados que os separam dos demais, diz-se que clamam pela vingança do Céu, e que Deus castiga nesta vida.

Pouco se fala sobre eles como categoria, e até mesmo sobre cada um de forma independente.

Porque não só a humanidade perdeu o sentido do pecado, mas também porque ultimamente tem se desviado para a atitude de que a simples menção da existência de pecados é um insulto.

Qual é a consequência necessária de negar a existência de uma lei moral.

Aqui falaremos sobre quais são os pecados que clamam por vingança do Céu, por que são considerados graves e como se relacionam com as demais categorias de pecado reconhecidas pela doutrina católica.

A forma infeliz como a humanidade vive na Terra se deve às consequências do pecado original de Adão e Eva, a desobediência a Deus.

E daí ficou uma mancha na humanidade, que a faz tender ao pecado, manifestado no egoísmo, na desobediência e no afastamento de Deus.

O que foi ampliado nos últimos tempos com o aumento da rejeição a Deus.

O que realmente é pecado?

O pecado é uma transgressão intencional e consciente da lei moral de Deus.

Uma ação, omissão ou atitude que vai contra os mandamentos e ensinamentos de Deus.

E isso separa o indivíduo de um relacionamento adequado e harmonioso com Deus.

É considerado não apenas uma violação da comunhão com Deus, mas também uma ofensa a Ele.

Destrói a graça santificadora, a caridade e expulsa o Espírito Santo da alma do pecador.

Existem vários tipos de pecado.

Por um lado temos o Pecado Mortal ou grave, que separa o homem de Deus e o entrega ao poder do diabo.

Se uma pessoa morrer em pecado mortal, sem confissão e arrependimento sincero, cairá no inferno, que é um lugar de fogo e sofrimento eterno.

Mas para que um pecado seja mortal deve haver três condições principais:

A gravidade deve ser uma violação grave da lei moral, como homicídio, adultério, roubo, entre outros.

Conhecimento, a pessoa deve saber que o que está fazendo é um pecado grave.

E Consentimento Livre, a pessoa deve cometer o pecado deliberada e voluntariamente.

E depois temos o Pecado Venial, que é menos grave.

E embora não rompa completamente o relacionamento com Deus, ainda pode enfraquecê-lo e afetar a vida espiritual da pessoa.

Seja qual for o pecado, devemos enfatizar a importância do arrependimento, da confissão e do recebimento da absolvição sacramental, como meio de restaurar o relacionamento com Deus depois de tê-lo cometido.

Mas a doutrina católica destaca que existem pecados específicos que clamam ao Céu por vingança e são punidos neste mundo.

São transgressões de natureza grave que provocam a justiça divina.

E a sua gravidade é tal que os seus ecos supostamente ascendem ao Céu, implorando por retribuição.

Distinguem-se não só pela sua gravidade, mas também pela dor profunda que infligem às suas vítimas.

São mais do que simples infrações contra indivíduos, ofendem a ordem divina de Deus, suscitando o apelo à Sua justiça.

E estão associadas a uma rejeição consciente e deliberada da lei moral de Deus.

Contudo, a tendência na política moderna é minimizar ou ignorar estes pecados, até mesmo promovê-los.

Eles são quatro. Um deles é o homicídio culposo.

Refere-se à morte deliberada e injustificada de uma pessoa, em situação de fraqueza.

O Quinto Mandamento proíbe o assassinato e é um dos pecados mais graves no ensino católico.

Em Gênesis 4 lemos que o sangue inocente de Abel clamou da terra a Deus e Caim foi punido.

Este é um assassinato vil de uma pessoa inocente.

Hoje é um dos pecados mais difundidos.

Dois é o pecado de Sodoma e Gomorra, um pecado contra a natureza humana.

Opõe-se diretamente à propagação da espécie e do bem social.

É retirado do relato bíblico da destruição das cidades de Sodoma e Gomorra, no livro de Gênesis 18 e 19.

E é tão abominável que Deus derramou fogo e enxofre para destruir os ímpios.

Hoje a impureza é considerada normal, devido à apostasia das nações anteriormente cristãs.

O número três é a opressão dos pobres e indefesos.

O que inclui a exploração e o tratamento injusto dos mais vulneráveis da sociedade, como os órfãos, as viúvas e os pobres.

É derivado do Livro do Êxodo e de outras passagens bíblicas que enfatizam a importância de cuidar dos menos afortunados.

Clama ao Céu, não só com a simples negação dos benefícios da misericórdia que a caridade prescreve, mas sobretudo quando se abusa da condição humilde e impotente das pessoas, obrigando-as a prestar serviços iníquos.

Como se os impedisse de exercer certos deveres, dando-lhes salários de fome e outras coisas semelhantes, contra as quais não podem defender-se ou exigir reparação dos homens.

E o número quatro é a fraude aos trabalhadores.

Refere-se à exploração laboral e ao não pagamento de salários justos aos trabalhadores, confiando precisamente na sua impotência para se defenderem eficazmente.

E baseia-se em passagens bíblicas que condenam a injustiça económica.

Por outro lado, existe um pecado que é considerado ainda mais grave que os 4 que clamam por vingança ao Céu, é o pecado contra o Espírito Santo.

O pecado contra o Espírito Santo refere-se a uma rejeição teimosa e persistente da graça e da obra do Espírito Santo na vida de uma pessoa.

É uma atitude de desprezo e rejeição constante à obra divina na vida de uma pessoa.

E é considerado imperdoável, porque impede a pessoa de se arrepender e buscar o perdão de Deus.

Este pecado se manifesta de forma diferente dos pecados que clamam pela vingança de Deus; refere-se à atitude do coração e não à natureza dos atos pecaminosos.

O pecado contra o Espírito Santo concentra-se na atitude de rejeição e desprezo pela graça divina e pela obra do Espírito Santo na vida de alguém. E, portanto, é uma questão de coração e atitude.

Enquanto os pecados que clamam ao céu por vingança referem-se a ações específicas, que são consideradas tão graves que clamam ao céu pela intervenção divina, devido à sua maldade.

E por outro lado temos outra classificação de pecados, que são os “pecados capitais”.

Os pecados capitais não invocam necessariamente a “vingança” divina da mesma forma que aqueles que clamam ao Céu, mas são considerados obstáculos significativos no caminho da santidade e da comunhão com Deus.

E são considerados importantes como categoria, porque são fontes de outros pecados e vícios.

Os sete pecados capitais são orgulho, ganância, inveja, ira, luxúria, gula e preguiça.

Bom, é isso que queríamos falar sobre os pecados que clamam por vingança do céu em comparação com outras categorias de pecados.

E gostaria de lhe perguntar se ultimamente você tem ouvido padres pregando sobre pecados graves ou não.

ASSISTA ESTES VÍDEOS

Via:https://forosdelavirgen.org/pecados-proclaman-venganza-cielo/









Artigo Visto: 476

 




Total Visitas Únicas: 6.306.377
Visitas Únicas Hoje: 631
Usuários Online: 154