Sinais do Reino


Palavra do Bispo
  • Voltar






22/09/2023
Bispo Strickland: Devemos estar constantemente vigilantes

O fiel clérigo sublinhou que “não podemos ficar calados. Não podemos simplesmente avançar e permitir que os compromissos, as mentiras, nos superem”, “O que o mundo precisa agora é de uma fé ousada”.

TYLER, Texas – Dom Joseph Strickland desafiou os católicos a uma “vigilância constante” na oração e a guardar o depósito da fé, ao mesmo tempo que os encorajou a permanecerem alegres durante uma recente conferência na sua diocese natal.

Durante a Conferência Católica “Defenda a Nossa Fé” deste ano, em Tyler, Texas, o Bispo Strickland enfatizou que, porque vivemos numa época de grande engano – de falsidades – devemos esforçar-nos mais do que nunca para “falar” sobre a Verdade.

O bispo animou sua palestra com o áudio de uma cena icônica do filme Gato em Teto de Zinco Quente, em que “Big Daddy”, interpretado por Burl Ives, exclama: “Não há nada com que conviver, exceto a falsidade.” ! Está aí?" O personagem alcoólatra de Paul Newman, Brick, então gesticula para Ives com um copo de bebida alcoólica e responde: “Oh, sim, senhor, você pode viver com isso”.

Strickland usou esta cena para sublinhar o facto de que, como católicos, temos uma resposta infinitamente maior à falsidade do nosso tempo, que se infiltrou até na hierarquia da Igreja Católica: o nosso remédio é a “Verdade Encarnada”, Jesus Cristo.

“Ele é aquele que devemos apontar constantemente”, disse Strickland.

Além disso, ele enfatizou o poder vivificante de Cristo e compartilhou como, embora ele beba café e seu apresentador de podcast, Terry Barber, beba chá gelado, nenhum dos dois precisa disso.

“O que nos carrega é Jesus Cristo”, disse Strickland.

Strickland disse que hoje a falsidade “flui como lava sobre a civilização”, apontando como exemplo a confusão generalizada de gênero. No entanto, acrescentou que é importante não perdermos a alegria, “por maior que seja a escuridão”.

“Como a Dra. Janet Smith nos lembrou ontem à noite, não paramos na mentira e apenas dizemos 'coitado de mim'! Tenho certeza de que todos nós fazemos isso até certo ponto, mas temos que seguir a Cristo. Temos que viver na Sua luz, temos que continuar o caminho.”

Strickland continuou a partilhar verdades essenciais da fé católica que servem de guia na nossa era de engano.

“A Igreja Católica é guiada pela verdade que Deus revelou à humanidade através do seu filho Jesus Cristo e a doutrina da Igreja protege-nos dos erros naturais que surgem na cultura humana. Permitir que estes erros não sejam controlados tem consequências devastadoras para a vida cristã”, partilhou Strickland.

Ele primeiro enfatizou que a Verdade personificada, Jesus Cristo, “não veio até nós há 2.023 anos”, mas está “conosco agora” na Eucaristia.

“Não duvide da sua verdade. Não duvide de Cristo. Saiba no fundo que você foi abençoado por saber as respostas para os mistérios do universo”, disse Strickland.

Assim como Cristo, como “Senhor do universo”, nunca esteve verdadeiramente adormecido, mesmo enquanto o Seu corpo humano dormia num barco com os Apóstolos durante uma tempestade, Ele está verdadeiramente presente connosco hoje, mesmo no meio das crises da Igreja, observou Strickland.

Ele se referiu a este incidente com os Apóstolos como “um grande lembrete para muitos de nós neste tempo, porque, infelizmente, muitos se distanciaram da Igreja dizendo que parece que Deus não está mais conosco”.

“Sabemos que isso não é verdade. Sabemos que Ele nos prometeu isso. Ele estará conosco até o fim dos tempos. Por isso acredito plenamente que o mais forte que podemos fazer é recorrer à Eucaristia na adoração e no Sacrifício da Missa”.

A respeito dos “erros naturais que surgem na cultura humana”, Strickland disse: “Todos nós devemos lembrar-nos da tendência de ignorar a verdade. Isso acontece nas famílias. Isso acontece em cada uma de nossas vidas individualmente. “Sempre precisamos corrigir.”

“De muitas maneiras, é para isso que serve a Igreja: para nos enviar, nos guiar e nos guiar pelas mentiras de cada época.”

“Um erro natural que devemos denunciar”, disse Strickland, é a ideia de que riqueza suficiente resolverá os nossos problemas. Mas “torna-se uma bola e uma corrente que nos pesa”.

Depois abordou o modernismo, que se refere ao “espectro destes erros no nosso mundo de hoje”.

Strickland observou que enquanto alguns identificam o Concílio Vaticano II como um ponto de partida para a “mentira” do modernismo, outros salientam que estes erros remontam ao chamado “Iluminismo” e, como observou a Dra. em última análise, com Adão e Eva.

“Temos que estar atentos a esses tentáculos do modernismo. Sei que serei criticado (qualquer um de nós será) se falarmos a verdade perene da Igreja.

Referindo-se àqueles que foram arrastados pelo modernismo ou por qualquer outro tipo de falsidade, Strickland aconselhou os ouvintes a “orar por eles” e “pela conversão dos seus corações”.

“Ore para que seus olhos sejam abertos. Nunca se esqueça que nós, como Corpo místico de Cristo, devemos operar, viver e compartilhar o amor verdadeiro. O tipo de amor sofrido que morre pelo bem do outro”, disse ele, apontando para um crucifixo.

Strickland afirmou então a terceira “verdade essencial” da fé católica, que “a vigilância constante da Igreja… e a preservação rigorosa da verdade… constituem o seu dever fundamental de defender e transmitir a doutrina da fé sem compromisso…”

O bispo falou da vigilância não só da doutrina, mas da vida espiritual em geral como uma exigência de todo ser humano.

“Vigilância constante. As Escrituras nos dizem para orar constantemente. Na nossa condição humana... é difícil fazer algo constantemente. Você pode tentar e fazer algum progresso aqui, e então você escorrega novamente.”

“Admito que a vigilância constante é exaustiva. Mas só porque é exaustivo não significa que não seja necessário”, disse Strickland, aludindo às “coisas que saem do Vaticano e que enrolam o cabelo mesmo quando você é careca”.

Ele observou que quando se trata de guardar o depósito da fé, embora os ordenados tenham a maior responsabilidade, continua a ser um “dever fundamental” que as pessoas em todas as esferas da vida estejam constantemente vigilantes e ajudem a preservar a fé católica.

Para atingir este objetivo, “a maior arma de todas” é a oração, disse Strickland.

Ele enfatizou que é especialmente importante compartilhar a Verdade hoje, quando tantas pessoas sem fé sobrenatural estão sofrendo nestes tempos difíceis, observando que “muitos de nós fomos movidos pela tristeza” do suicídio.

“É por isso que é tão vital que conheçamos a verdade e a compartilhemos”, disse Strickland, observando que embora “os grandes filósofos possam nos levar a um… certo nível de sanidade, as únicas ferramentas reais que combatem o desespero que que penetra em todos os nossos corações, mesmo como pessoas de fé, é conhecer Jesus Cristo. Acreditar que ele morreu e ressuscitou por nós e que permanece conosco”.

O bispo deixou aos seus ouvintes um apelo para expressarem com ousadia a Verdade face às mentiras.

“Não podemos ficar calados. “Não podemos simplesmente seguir em frente e permitir que os compromissos, as mentiras, levem a melhor sobre nós.”

“Eu não quero deixar você com a mentira. Em vez disso, quero desafiá-los à ousadia”, disse Strickland, apontando os santos e mártires como modelos de “fé ousada”.

“O que o mundo precisa agora é de uma fé ousada”, concluiu.

LifeSiteNews

Fonte:https://ejercitoremanente.com/2023/09/19/obispo-strickland-debemos-estar-constantemente-vigilantes/

---

APENAS ALGUNS SERÃO SUFICIENTEMENTE CORAJOSOS PARA PROCLAMAR ABERTAMENTE A PALAVRA DE DEUS DURANTE A CRUCIFICAÇÃO DA IGREJA DO MEU FILHO NA TERRA

Quarta-Feira, 25 de Setembro de 2013, 12:15 h.

Minha filha, a Crucificação da Igreja do Meu Filho na Terra está verdadeiramente a começar e todos os sinais começaram a ser vistos. Quando o Meu Filho foi pregado na Cruz apenas alguns dos Seus apóstolos ficaram com ele até ao fim, e, também por isso, alguns dos Seus discípulos na Terra que se atrevem a ser vistos a defender o Seu Corpo Místico na Terra, são saqueados, perseguidos e aniquilados.

Muito poucos daqueles que juraram fidelidade ao Meu Filho assistiram à Sua flagelação ou caminharam ao lado d’Ele na subida ao Monte Calvário. Eu só tive quatro leais discípulos - a Minha prima Maria, Martha, Maria Madalena e João - para me apoiarem e ajudarem na Minha agonia, em que Eu tive que testemunhar a terrível tortura do Meu Filho. E muitos seguirão as instruções do Meu Filho através destas sagradas Mensagens para o mundo, mas só alguns serão suficientemente corajosos para proclamar abertamente a Palavra de Deus durante a Crucificação da Igreja do Meu Filho na Terra.

A Minha tristeza neste momento é grande, pois tudo o que foi predito por Mim durante as aparições em La Salette e Fátima está a desenrolar-se diante de todos vós, mas muitos de vós sois cegos. Aqueles de vós que dedicais horas diante de Mim nos meus mais sagrados Santuários deveis vir e pedir-Me, à vossa Mãe, para abrir os vossos olhos para a Verdade. Vós deveis pedir-Me para consagrar os vossos corações e almas ao Meu Filho, caso contrário também vós O negareis.

A vossa amada Mãe

Mãe da Salvação

Fonte:https://www.elgranaviso-mensajes.com/news/a25-set-2013-apenas-alguns-ser%c3%a3o-suficientemente-corajosos-para-proclamar-abertamente-a-palavra-de-deus-durante-a-crucifica%c3%a7%c3%a3o-da-igreja-do-meu-filho-na-terra/





Artigo Visto: 432

 




Total Visitas Únicas: 6.308.121
Visitas Únicas Hoje: 170
Usuários Online: 120