Sinais do Reino


Reflexões
  • Voltar






08/10/2021
JESUS NO SANTÍSSIMO SACRAMENTO, MODELO DE VIRTUDE

Qui appropinquant pedibus eius, accipient de doctrina illius — Os que chegam a seus pés, receberão da sua doutrina (Deut. 33, 3).

JESUS NO SANTÍSSIMO SACRAMENTO, MODELO DE VIRTUDE

Publicado em 04/10/2018

I. Consideremos os belos exemplos de virtude que nos dá Jesus Cristo na Santíssima Eucaristia. Inefável é a suapaciência. Ele vê que a maior parte dos homens não O adora neste sacramento, nem O quer reconhecer pelo que é. Já antes da instituição sabia que muitas vezes os homens chegariam a calcar aos pés as hóstias consagradas e a atirá-las sobre a terra, à água e ao fogo.

Mas o que mais Lhe amargura o coração tão sensível, é o ver que também a maior parte dos que n’Ele crêem, em vez de repararem tantos ultrajes pelos seus obséquios, ou vão à Igreja para o ofenderem pela sua irreverência, ou o deixam abandonado sobre os altares, desprovidos às vezes de lâmpada e dos ornamentos necessários. Tudo isso Jesus, escondido sob as espécies eucarísticas, o vê e sabe, e todavia sofre-o com paciência e fica calado. Oh, que exprobração de nossa loquacidade nos momentos de ira!

É igual à humildade de Jesus, pois que em nenhuma obra de seu divino amor se ocultou tanto como no mistério do Santíssimo Sacramento. Para nos inspirar confiança, e ao mesmo tempo, para nos dar um remédio de nosso orgulho, chegou a ocultar a sua Majestade, a esconder as suas grandezas, a consumir e aniquilar a sua vida divina. Pode, portanto, com razão dizer-nos de dentro do tabernáculo: Discite a me, quia mitis sum et humilis corde (1) — “Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração”.

Mas sobretudo o Senhor nos dá na Eucaristia exemplos de obediência. Enquanto vivia na terra, diz São Lucas que Ele obedecia a Maria Santíssima e a São José (2). São Paulo acrescenta que Jesus se fez obediente a seu Pai Eterno até a morte na cruz (3). Mas neste sacramento Jesus vai mais longe ainda, pois aí quer obedecer não somente ao Eterno Pai, não somente a seus pais, mas a tantas criaturas quantos sacerdotes há, e não somente até à morte, mas enquanto durar o mundo. — Coisa assombrosa! O Rei do céu desce à terra por obediência ao homem; e sobre os altares parece que não faz outra coisa senão obedecer aos homens, deixando-se tratar por todos conforme entenderem, sem replicar uma palavra, sem se subtrair à obediência. Ego autem non contradico, retrorsum non abii (4) — “Eu não contradigo; não me retirei para trás”.

II. Diz São Paulo que para nossa salvação é mister que no dia do juízo a nossa vida se ache conforme a de Jesus Cristo:Quos praescivit et praedestinavit conformes fieri imaginis Filii sui(5) — “Os que Ele conheceu na sua presciência, também os predestinou para se fazerem conformes à imagem de seu Filho”. Esforça-te, portanto, por imitares as virtudes exímias de que o divino Redentor nos dá na Santíssima Eucaristia; exemplos tão luminosos.

Por isso sê sempre e em tudo obediente às leis de Deus e aos preceitos da Santa Madre Igreja. Se tiveres a ventura de viver numa comunidade religiosa, considera todas as prescrições da Regra como ordens vindas do céu e a pessoa do superior como pessoa do próprio Deus.

Sê também humilde e prova sê-lo não somente com palavras, senão com obras, aceitando tranquilamente as humilhações, os desprezos e levando enquanto o permitir o teu estado, uma vida retirada e oculta. – Mas, sobretudo, sê sempre paciente, suportando os defeitos do próximo, assim como este deve suportar os teus. Aceita também de boa vontade as cruzes que Deus te envia para teu bem. — Para suprir as tuas faltas, oferece ao Senhor muitas vezes, e especialmente nas visitas a Jesus sacramentado ou na assistência à santa missa, os merecimentos de teu divino Redentor.

Pai Eterno, ofereço-Vos hoje todas as virtudes, todos os atos e todos os afetos do coração do vosso querido Jesus. Aceita-os em meu nome, e pelos seus merecimentos (que aliás são todos meus, porque Jesus m´os cedeu), dai-me aquelas graças que Jesus os pede por mim. Com esses merecimentos agradeço-Vos toda a misericórdia que tivestes para comigo. Com eles satisfaço o que Vos devo em expiação de meus pecados. Por meio deles espero de Vós todas as graças: o perdão, a perseverança, o paraíso e, sobretudo, o dom supremo do vosso amor.

Vejo que sou eu quem opõe impedimentos a tudo; remediai também a esta minha miséria. Eu Vô-lo peço em nome de Jesus Cristo, que prometeu: Si quid petieritis Patrem in nomine meo, dabit vobis (6) — “Se pedirdes alguma coisa ao Pai em meu nome, Ele vô-lo dará”. Não m’o podeis portanto recusar. Senhor, o que quero é amar-Vos, dar-me inteiramente a Vós e nunca mais ser-Vos ingrato, assim como hei sido até agora. Olhai para mim e atendei-me; fazei que o dia de hoje seja o de minha conversão, para nunca mais deixar de Vos amar. Amo-Vos, meu Deus; amo-Vos, bondade infinita; amo-Vos, meu amor, meu paraíso, meu tesouro, meu tudo. — Amo-vos também a vós Mãe de Deus e minha Mãe, Maria. (*I 393.)

Math. 11, 29.
2. Luc. 2, 51.
3. Phil. 2, 8.
4. Is. 50, 5.
5. Rom. 8, 29.
6. Io. 16, 23

Meditações: Para todos os Dias e Festas do Ano: Tomo III – Santo Afonso

Fonte:http://www.catolicosribeiraopreto.com/jesus-no-santissimo-sacramento-modelo-de-virtude/




Artigo Visto: 164

 




Total Visitas Únicas: 5.352.771
Visitas Únicas Hoje: 269
Usuários Online: 113