Sinais do Reino


Notícias da Igreja
  • Voltar






04/10/2023
Divorciados e recasados, castidade e comunhão. Assim Francisco completa a sua “missão”

Na Igreja o edifício da fé é perfeito, por isso mover um único ponto significa fazer tudo desabar. Na verdade, desta decisão, as consequências em cascata são devastadoras:

Dentro de um dia, o Ex-Jovem Padre (observe com atenção: ex-jovem, não ex-padre, e assim respondo à curiosidade de seu amigo Giovanni) volta a escrever ao Duc in altum para comentar sobre a eliminação da castidade das condições necessárias para que os divorciados recasados ​​possam receber a comunhão.

do Ex Jovem Padre

Prezado AldoMaria,

nem tivemos tempo de comentar a resposta às novas dubia , quando durante a noite a resposta que o novo Dicastério para a Doutrina da Fé liderado por Fernández, com a referenda de Francisco, deu no dia 25 de setembro à pergunta apresentada pelo Cardeal Duka, em nome da Conferência Episcopal Checa, sobre o acesso à comunhão para pessoas divorciadas e recasadas.

Se, para acessá-la, João Paulo II indicou a necessidade de viver “como irmãos e irmãs” e Bento XVI acrescentou “como amigos”, a novidade explosiva de Francisco reside na eliminação da castidade das condições necessárias para receber a comunhão.

O Papa faz questão de fazer saber que esta decisão cabe plenamente no “magistério ordinário”. É a sua resposta, com alguns anos de atraso, aos primeiros dubia de 2016.

No que diz respeito ao tema em questão (a comunhão dos divorciados recasados), gostaria de recordar por um momento a declaração magisterial mais importante sobre o tema que encontramos na Familiaris consortio 84: "A Igreja reafirma a sua prática, baseada na Sagrada Escritura , de não admitir à comunhão eucarística os divorciados recasados. São eles que não podem ser admitidos, porque o seu estado e a sua condição de vida contradizem objectivamente aquela união de amor entre Cristo e a Igreja, significada e realizada pela Eucaristia”.

Ou seja, a prática da Igreja de negar a comunhão aos divorciados e recasados ​​baseia-se na Sagrada Escritura!

Já anteriormente, em 1977, a Comissão Teológica Internacional havia estabelecido que “a Comunhão para os recasados ​​faz da Igreja um contratestemunho de Cristo” e que “o acesso dos divorciados recasados ​​à Eucaristia é incompatível com o mistério do qual a Igreja é servo e testemunha, fazendo-os acreditar que podem comunicar com Aquele cujo mistério conjugal rejeitam no plano da realidade, o que constitui uma contradição objectiva e evidente com a vida e o pensamento do Senhor, esposa da Igreja”.

Encontramos este ensinamento constante no Catecismo da Igreja Católica no n. 1650, na Carta da Congregação para a Doutrina da Fé de 14 de setembro de 1994 e na declaração do Pontifício Conselho para os Textos Legislativos de 24 de junho de 2000.

Depois desta digressão voltamos ao dia de hoje. O Papa Francisco, ao responder dessa forma, virou tudo de cabeça para baixo, contradisse as Escrituras e acusou implicitamente João Paulo II e a Igreja antes dele de terem mentido sempre que discutiam o assunto.

Passando da teologia à vida concreta das pessoas, neste momento não posso deixar de pensar na dor que a decisão do Papa causou naquelas pessoas que decidiram permanecer fiéis ao seu casamento durante toda a vida, para não violar o ensinamento de a Igreja, que sempre julgaram ser o ensinamento de Cristo. Camaradas de contra-ordem! Eles estavam todos errados! Sem falar de nós, sacerdotes, que nos veríamos confrontados com pedidos inaceitáveis, com um enorme drama de consciência devido ao conflito entre o que sabemos ser a verdade e a “permissão” do Vaticano, que inevitavelmente nos colocará contra alguns dos nossos fiéis.

Na Igreja o edifício da fé é perfeito, por isso mover um único ponto significa fazer tudo desabar. Na verdade, desta decisão, as consequências em cascata são devastadoras:

– o adultério já não parece ser um mal absoluto;

– cai o sexto mandamento e a proibição do ato sexual fora do casamento;

– é inaugurado um estranho conceito de “fidelidade”, a ser aplicado a um casal que vive em estado de adultério;

– é possível obter a remissão dos pecados na Confissão para aqueles que continuam a viver violando o sacramento do matrimônio.

Por isso, o cardeal Cafarra depois da Amoris Laetitia advertiu que "a doutrina é tocada aqui. Inevitavelmente. Você também pode dizer que não faz, mas faz." E em mais detalhes o Cardeal Burke disse: "Se a Igreja permitisse a recepção dos sacramentos (mesmo em um caso) a uma pessoa que está em uma união irregular, isso significaria que o casamento não é indissolúvel e, portanto, a pessoa não está vivendo em um estado de adultério, ou que a santa comunhão não é comunhão no corpo e sangue de Cristo,  que exige a disposição correta da pessoa, isto é, o arrependimento do pecado grave e a firme resolução de não cair nele novamente".

Com este ato, Bergoglio confere a si mesmo um poder que não lhe pertence e que induzirá os divorciados-recasados ​​a “enganar-se” (Tiago 1,22), porque “quem diz que o conheço não observa os seus mandamentos, é mentiroso e a verdade não está nele” (1 João 2:4).

Não podemos deixar de reconhecer que com a sua estratégia de pequenos passos conseguiu chegar onde esperava: mudar a Igreja, cujo rosto está irreconhecível comparado com apenas dez anos atrás.

Muitos não acreditaram que isso fosse possível devido às óbvias deficiências teológicas e humanas do argentino, porém a história nos mostrou que certamente não é preciso ser um gênio para destruir, basta a vontade. E o nosso provou ter isso. Não importa se não sobrou ninguém na sua frente (basta olhar para a Praça de São Pedro), o importante é ter cumprido a missão que “alguém” lhe confiou ao elegê-lo, ou seja, a demolição dos baluartes da Igreja de Cristo. Nesta Igreja nada mais é estável, nada mais é seguro. Que Deus nos ajude e nos liberte!

Via:https://www.aldomariavalli.it/2023/10/04/divorziati-risposati-castita-e-comunione-cosi-francesco-porta-a-termine-la-sua-missione/




Artigo Visto: 279

 




Total Visitas Únicas: 6.308.121
Visitas Únicas Hoje: 170
Usuários Online: 118