Sinais do Reino


Notícias da Igreja
  • Voltar






09/10/2023
Casos de Covid-19 no Sínodo

Na sessão desta segunda-feira participaram 346 dos 464 membros desta assembleia, ou seja, menos 118, conforme declarou o cardeal maltês e secretário-geral do Sínodo.

Hoje teve início a IV Congregação Geral da XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, na qual o módulo B1 do Instrumentum Laboris foi apresentado pelo relator geral, ou seja, o Cardeal Jean-Claude Hollerich. Foi transmitido em streaming, portanto pode ser consultado, e nele cada um faz os assuntos que preferir. Um deles é o aparecimento do coronavírus.

Informação da agência EFE, 09/10/2023.

Cidade do Vaticano, 9 out (EFE).- O Sínodo dos Bispos que se realiza este mês no Vaticano registou vários casos de coronavírus, confirmados na abertura da sessão de hoje pelo cardeal Mario Grech, que negou qualquer “alarme”.

O Papa Francisco não participou na sessão desta manhã, embora a sua presença tenha sido anunciada, devido a “compromissos imprevistos”, explicou à EFE o porta-voz da Santa Sé, Matteo Bruni. “Nada sobre covid”, ressaltou.

Na sessão desta segunda-feira participaram 346 dos 464 membros desta assembleia, ou seja, menos 118, conforme declarou o cardeal maltês e secretário-geral do Sínodo.

Grech não especificou o número de pacientes com covid-19 e limitou-se a dizer que “alguns dos participantes não estão na sala de aula esta manhã (…) porque testaram positivo e não estarão no trabalho nos próximos dias por precaução." ".

"Esperamos que se recuperem o mais rápido possível. Depois de ouvirmos o parecer médico, podemos confirmar que não há alarme, mas podemos tomar alguns cuidados razoáveis, como lavar as mãos com frequência ou fazer com que os idosos ou pessoas com saúde frágil usem máscaras", disse o cardeal.

Nas mesas de assembleia, na Sala Paulo VI do Vaticano, foram distribuídos esta manhã frascos de gel desinfetante, embora esta manhã praticamente ninguém usasse máscara.

O Sínodo tem 464 membros, incluindo bispos de todo o mundo e leigos, dos quais 364 terão direito de voto no documento final, incluindo pela primeira vez 54 mulheres.

O evento vai durar até 30 de outubro e as suas sessões abordarão temas importantes para a Igreja Católica como o celibato, a bênção dos casais LGTBIQ+ ou a maior presença de mulheres na Igreja, o que tem suscitado críticas do setor mais conservador.

Fonte:https://religionlavozlibre.blogspot.com/2023/10/casos-de-covid-19-en-el-sinodo.html




Artigo Visto: 474

 




Total Visitas Únicas: 6.306.369
Visitas Únicas Hoje: 623
Usuários Online: 146