"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
13/08/2017
O VATICANO ME ESCREVE QUE BERGOGLIO E PAROLIN CONCORDAM EM TUDO. MAS OS FATOS DIZEM O CONTRÁRIO...
 

O VATICANO ME ESCREVE QUE BERGOGLIO E PAROLIN CONCORDAM EM TUDO. MAS OS FATOS DIZEM O CONTRÁRIO...

Publicado em: 9 de agosto de 2017 - 10:12 AM PDT

http://www.antoniosocci.com/wp-content/uploads/2017/08/papa-francesco-bergoglio-e-il-cardinale-parolin-827509-768x428.jpg

Caro Sr. Socci,

Já outra vez, confiando em sua sensibilidade como um crente, fui autorizado a convidá-lo a ser mais objetivo em dar algumas notícias, talvez buscando informantes mais confiáveis.

Sua matéria (AQUI) hoje (domingo, 6 de agosto), lamento lhe dizer, é ofensiva em relação ao Papa e até mesmo ao Cardeal Parolin.

Afora o hoax de Enzo Bianchi, não-Cardeal, deve saber que a política da Santa Sé sobre Maduro foi enviada por mútuo acordo entre a Secretaria de estado e o Papa, sem qualquer oposição.

Assim também sobre o bebê Charlie, o Santo Padre, na recepção da carta dos pais, concordou com a Secretaria de estado para as iniciativas a serem tomadas a favor da criança.

O Cardeal Parolin não inspirou, nem corrigiu o Papa, a expressar e favorecer a disponibilidade do Hospital Menino Jesus em caso de eventual hospitalização.

Tanto pela objetividade dos fatos e respeito pelo papel do Santo Padre.

Com os melhores cumprimentos.

 + Angelo Becciu

------

No domingo passado, quando chegou o meu artigo ao Secretário de Estado Cardeal Parolin, que tenta remediar ou evitar os fracassos políticos colossais do papa Bergoglio, de Oltretevere veio a mim essas duas descobertas: "Você fez centro" e " será um alvoroço".

Na verdade, eu recebi esta carta (irritual), o que significa que eu coloquei o dedo sobre uma praga muito sensível e explosiva.

É necessário saber que o Arcebispo Angelo Becciu é o substituto dos assuntos gerais da Secretaria de estado da Santa Sé.

Está no topo do Vaticano, o braço operacional do Papa e do Secretário de Estado. É a ele, portanto, a tarefa de nos dizer se o papa Bergoglio e o Cardeal Parolin tem perfeita identidade de pontos de vista, ao contrário do que Socci escreveu.

O PRECEDENTE

Eu tive a oportunidade de conhecer pessoalmente o substituto Becciu em uma circunstância semelhante, como ele recorda no início de sua mensagem.

Aconteceu quando ele me telefonou no outono 2012 (então nos encontramos pessoalmente). Ele queria refutar um artigo no qual eu apontava a distância sideral entre a sábia paternidade pastoral de Bento XVI e o estilo de comando do Cardeal Bertone (então um poderoso Secretário de estado).

O tempo me instruiu a mostrar que eu estava certo, que então eu era quase o único que tinha a inconsciência de atacar um homem forte como Bertone (agora caído em desgraça).

O tempo também mostrou o estranho espetáculo de tantos que nessa situação Omaggiavano o mesmo alegou Bertone e então, na virada de uma manhã, eles se tornaram paladinos da revolução Bergogliana (talvez depreciando o tempo de Bertone).

Eu venho ao mérito da carta.

OMISSÕES SIGNIFICATIVAS

Eu percebi imediatamente que o arcebispo Becciu glosa completamente sobre a questão "migrantes": eu tinha mencionado que o cardeal Parolin foi considerado pela imprensa, em um comunicado no mês passado, em rota de colisão com o Mons. Galantino (isto é Bergoglio). Portanto, não há contradição nisso. É significativo tal constrangimento.

Na verdade, o martelamento ideológico obsessivo do Papa Bergoglio em aceitá-los todos, é uma idéia que vai contra a mesma doutrina social da igreja, que teve uma influência prejudicial sobre o governo italiano que na prática se renderam à invasão. E ele alimentou a impopularidade do Vaticano entre as pessoas.

Mas o substituto tem evitado refutar também (e acima de tudo) a oposição flagrante entre o Secretariado de estado e Papa Bergoglio sobre o relacionamento Trump/Putin e Putin/Assad.

O papa fez a declaração fatídica a Scalfari. Desde suas palavras muito graves, eu elogiei o cardeal por ter claramente virado esse julgamento, reafirmando a posição tradicional da Santa Sé, que é para o diálogo entre as grandes potências e contra a parede levantada (por Obama) para a Rússia de Putin.

Constato que o substituto não tem nada a dizer sobre isso.

CASO MADURO

Em vez disso, nega o que escrevi sobre a Venezuela. Mas Mons. Becciu é lamentável porque, apenas nestas horas, o próprio Maduro o negou.

Na verdade, o ditador, após o "torpedo" da Secretaria de estado do Vaticano, declarou a rádio Argentina: "uma coisa é o caminho do Papa como defensor dos povos cristãos com sua humildade, outra, muito diferente, é a estrutura do Secretariado do estado do Vaticano, da burocracia. Infelizmente, "acrescentou Maduro" Monsenhor Parolin caiu nas mãos dos setores mais extremistas da cúpula da Igreja Católica venezuelana ".

Exatamente o que eu escrevi no domingo. Diferente do acordo entre Bergoglio e Parolin.

O fato é que o ditador de Caracas está agora sendo mal falado em todo o mundo, pelas mortes que ele fez em seu regime, por ter reduzido a fome a Venezuela e espezinhar os direitos humanos; Portanto, o povo venezuelano e a igreja já não aceitavam que eles poderiam vangloriar-se da proximidade tácita de Bergoglio (que já em 2013 Gratificou-o com a bênção pública).

Conseqüentemente Bergoglio teve que render-se às pressões dos venezuelanos e dos Bispos e teve que desistir do tirano para impedir seu descrédito Internacional de cair sobre ele também.

Ou pelo menos ele tivesse feito ao Secretariado do estado uma declaração crítica ao regime. Pela excomunhão dirigida por Bergoglio contra Maduro não há nem mesmo uma sombra. Isso só os reserva para Trump, não para ditadores vermelhos.

VERMELHO PROFUNDO

Gostaria de perguntar a Becciu: porque Bergoglio, em vez de liberar o duo Spadaro/Figueroa contra os políticos americanos "Pro Life" (de Reagan a Trump), não soltá-los contra Maduro ou contra os Castros, déspotas de Cuba, ou contra os tiranos comunistas chineses?

Becciu sabe que palavras e gestos amigáveis teve o Papa populista para ditadores cubanos e chineses, cujos regimes estão cheias de sangue e lágrimas.

É por isso que é inaceitável - para mim - o Vice considerar "ofensivo para o Papa", um artigo onde eu expus os acontecimentos políticos e atos que são visíveis para todos. O Papa se ofende com a verdade?

Ou melhor, é ofensivo para Igreja esta atitude para com regimes comunistas que perseguem os cristãos?

Papa Bergoglio, atuando como um político (na minha opinião é um péssimo político), está sujeito às regras da política: portanto, está indignado com a esquerda e criticado por aqueles que condenam os regimes de liberdade.

Além disso Mons. Becciu sabe que a Igreja deve sempre distinguir o ministério da pessoa.

O maior poeta católico de todos os tempos, Dante, foi dedicado à Catedra de Pedro (o Ministério), mas ele foi feroz com as pessoas que - em seu tempo - ocupou a posição de Papa, colocando-os no inferno. Ele fez isso principalmente por seus atos políticos.

Sobre as infelizes escolhas políticas de Bergoglio não é somente legítima a dissidência, mas eu diria que é obediência. É caridade cristã –, bem como dever profissional – criticá-lo.

Ao contrário de Dante, eu não envio para o inferno ninguém: Eu me limito a análise crítica, como um jornalista.

RUPTURA

Parece-me evidente (e até mesmo afirmou triunfante) o abandono do ensino social e político tradicional da Igreja pelo Papa Bergoglio.

E aqui vamos nós para o caso do pequeno Charlie Gard. É claro que Bergoglio pôs de lado os "princípios não-negociáveis" da igreja, tornando sua, em vez disso, a agenda de Obama e da agenda onusiana (ecologia, emigração, abraçar com o Islã e pontes para a ideologia da revolução sexual).

A distorção da Pontifícia Academia para a Vida e declarações de pessoas indicadas por ele, mesmo no caso de Charlie, são mais uma confirmação triste.

Bergoglio sobre o drama desta criança manteve um silêncio teimoso. Os católicos tiveram que inundar a central telefônica do Vaticano de protestos, quando o destino da criança já estava marcado, a fim de ser capaz de arrebatar do Papa, embora de uma forma vaga e indireta, alguma referência à tragédia daquele pequenino.

É humilhante para os católicos ver o quanto o Vaticano hoje é subordinado à ideologia dominante.

NEGAÇÕES

Finalmente, no que diz respeito ao roxo para Enzo Bianchi: a notícia foi lançada em 12 de julho no "Giornale", assinado por um jornalista Bergogliano, recuperado de vários meios de comunicação e nunca foi negado.

Parece-me, portanto, inacreditável que o substituto nega hoje, para mim, algo assim.

Além disso, por quatro anos – apesar das tensões – o Vaticano se recusa a negar a enormidade heterodoxa que Eugenio Scalfari atribui a Bergoglio durante suas entrevistas, que o Papa também continua a emitir-lhe, confirmando implicitamente como atributos a ele (ele mesmo publicou um volume sob o seu nome). Isso desacredita a Santa Sé e escandaliza os fiéis.


Antonio Socci

Fonte: http://www.antoniosocci.com/vaticano-mi-scrive-bergoglio-parolin-concordi-fatti-dicono-lopposto/

 
 
 

Artigo Visto: 350 - Impresso: 6 - Enviado: 2

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 2.848.738 - Visitas Únicas Hoje: 124 Usuários Online: 125