"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
06/10/2017
O Abade Faria tem medo de ir ao Vaticano. E o Cardeal Müller descreve a atmosfera de medo na Igreja.
 

O Abade Faria tem medo de ir ao Vaticano. E o Cardeal Müller descreve a atmosfera de medo na Igreja.

06/10/2017

https://www.razon.com.mx/wp-content/uploads/2017/06/arton352287.jpg

Marco Tosatti

Depois de um estranho período de silêncio, o Abade Faria voltou a escrever-me. Eu estava preocupado pela ausência, mas agora eu entendo o porquê.

Nestes dias de correções fraternas ou não, vagueei um pouco menos perto do Vaticano, para não encontrar confrades e ouvir as suas queixas pró e contra o Pontífice. Em Roma agora é um caos, o Vaticano se parece com o forte Apache. Eu sou muito cauteloso, mesmo com os meus confrades e evito em fazer selfies com eles, eu não gostaria de me encontrar num jornal amanhã acoplado a um padre investigado por algum delito, não passa um dia que alguém não acabe na crônica negra.

Sinto muito pelo Papa, se eu pudesse falar com ele eu diria a ele o que muitas almas piedosas sussurram para mim quando com condição de confidências secretas: a reforma do clero é verdadeiramente uma prioridade. Se é astuto como se diz, dê uma olhada nas condições de trabalho em seu próprio Vaticano, você perceberia que não há atmosfera fraternal, de fato....certamente não em todos os lugares e há certamente boas pessoas, mas também sacerdotes de uma arrogância ilimitada. Em algumas instituições do Vaticano existem caldeirões que fervem e borbulham... mas o Papa não deve confiar naqueles que têm interesse em proteger seu lobby geográfico, político, maçônico ou sexual. Será que ele jamais discutirá com eles?

Abade Faria

Claro, certo? Bravo Abade Faria. E acrescentemos uma passagem da entrevista que Eward Pentin, do National Catholic Register, fez com o cardeal Gerhard Müller sobre o clima que se respira hoje - e há anos - no Vaticano, no reino do Pontífice. Nós o escrevemos várias vezes no passado; dizendo que em tantos anos de atendimento aos Palácios Sagrados e nas áreas circundantes nunca sentimos essa atmosfera. E, desculpe-me, dizer que a responsabilidade cai no estilo do governo do Pontífice. Fico feliz que um cardeal, leal ao papa, diga-lhe em letras claras.

"Os carreiristas e oportunistas não devem ser promovidos, e outras pessoas, que são funcionários competentes não devem ser excluídos sem razão ou expulso da Cúria. Não é nada bom. Ouvi de algumas casas aqui que as pessoas que trabalham na Curia vivem com grande medo; Se eles mesmo pronunciam uma pequena e inofensiva palavra de crítica, os espiões passam os comentários diretamente ao Santo Padre e a pessoa acusada falsamente não tem nenhuma chance de se defender. Essas pessoas, que falam mal e dizem mentiras contra outras pessoas, perturbam e destroem a boa fé, e o bom nome de outros que o chamam de seus irmãos. O evangelho e as palavras de Jesus são muito fortes contra aqueles que denunciam seus irmãos e que criam uma má atmosfera de suspeita. Sinto que ninguém fala; Todos tem um pouco de medo, porque podem ser suspeitos de espião ... "

Pentin comentou: "Um ancião prelado da Igreja, falando em anonimato, chamou de "reino do terror".

O Cardeal respondeu: "é o mesmo em algumas faculdades teológicas , se alguém tem observações ou problemas sobre Amoris Laetita, ele será expulso, e assim por diante.... uma certa interpretação da nota 351 do documento não pode ser o critério para se tornar um bispo. Um futuro bispo deve ser um testemunho do Evangelho, um sucessor dos Apóstolos, e não apenas alguém que repete algumas palavras de um único documento do Papa sem um entendimento teológico maduro. "


Fonte: http://www.marcotosatti.com/2017/10/06/labate-faria-ha-paura-di-andare-in-vaticano-e-il-cardinale-muller-descrive-il-clima-di-paura-nella-chiesa/#more-2975

 
 
 

Artigo Visto: 411 - Impresso: 9 - Enviado: 1

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 2.766.176 - Visitas Únicas Hoje: 112 Usuários Online: 118